segunda-feira, setembro 18, 2006

Fon-Fon

Fon-Fon (Otaviano Romero Monteiro), regente, arranjador, instrumentista e compositor nasceu em Santa Luzia do Norte/AL em 31/01/1908 e faleceu em Atenas/Grécia em 10/08/1951. Iniciou as atividades musicais aos dez anos, tocando piano numa zabumba em sua cidade.

Foi para Recife/PE estudar no Colégio Batista, mas, logo depois, abandonou a escola e voltou para Santa Luzia do Norte, onde recebeu convite para trabalhar no interior do Estado de São Paulo. Quando chegou a São Paulo/SP, resolveu permanecer na capital, mas, sem carteira de reservista, e, portanto, sem possibilidades de conseguir emprego, ingressou no Batalhão de Polícia, pensando em participar da banda (o que não foi possível porque não sabia ler música). Voltou para sua terra e, em seguida, foi para Maceió/AL, onde passou a trabalhar como correntista em um escritório. Nessa época, começou a estudar música.

Em 1927, transferiu-se para o Rio de Janeiro/RJ, para servir no 2º Regimento de Infantaria. Com o mestre de frevo Garrafinha, contramestre da banda do regimento, aperfeiçoou seus conhecimentos musicais, estudando saxofone. O apelido foi-lhe dado pelo clarinetista Dedé, companheiro de regimento, porque, quando tocava saxofone, não tirava os agudos com clareza e o som saia sempre parecido com fon-fon.

Por essa época, começou a tocar em "dancings". Numa festa em que Dedé faltou, substituiu-o na clarineta, interpretando, com muito sucesso, You Are Meantfor Me. Em 1930, deixou o Exército e passou a atuar em diversos conjuntos, e com um deles fez uma viagem à Argentina, onde permaneceu por um ano. De volta ao Brasil, ingressou na Orquestra de Romeu Silva e, posteriormente, na de Silvio Sousa.

Em 1935, por motivo de doença, afastou-se das atividades musicais, retomadas em 1939, quando começou a ensaiar sua própria orquestra. Nessa primeira tentativa, não teve êxito. Mais tarde, reuniu novos músicos, com os quais passou a atuar no Cassino Assírio, tendo o maestro Radamés Gnattali como arranjador.

Com o mesmo estilo das orquestras de danças norte-americanas que faziam grande sucesso na época, como as de Benny Goodman, Tommy Dorsey e Artie Shaw, a Orquestra de Fon-Fon alcançou muito êxito entre a elite carioca, freqüentadora do cassino. Em 1941, com sua orquestra, excursionou por Buenos Aires, Argentina, onde se apresentou na Radio Splendid.

De 1942 a 1947, no Brasil, o grupo fez o acompanhamento em dezenas de gravações, na Odeon, para os maiores cantores da época. Gravou poucos discos instrumentais, entre os quais o famoso choro Murmurando (de sua autoria e Mário Rossi), em 1946, na Odeon.

Em 1947, Fon-Fon e sua Orquestra foram para Paris, França, a convite do Club des Champs Elysées, permanecendo na Europa até 1951, e apresentando-se em diversos países, inclusive a Grécia, onde morreu.

Foi no exterior que a orquestra gravou seu único LP, na etiqueta London, não editado no Brasil. Foi o primeiro chefe de orquestra uma banda com naipes de saxofone e metais (trombones e trompetes), com uma sonoridade característica e identificável, contribuindo também para o sucesso de diversos cantores importantes que acompanhou.

(fonte: Collector's)

Ericsson Martha

Ericsson Martha, cantor, estreou em discos em 1943, quando gravou pela Columbia, com acompanhamento de Benedito Araújo e seu conjunto regional, o samba O "X" da questão e a marcha Alto lá, seu João!, ambas de Humberto Teixeira e Carlos Barroso.

Em 1945, na Continental, gravou com acompanhamento de Benedito Lacerda e seu conjunto regional, a valsa Nininha, de Benedito Lacerda e Mário Rossi e o samba Manchete de estrelas, de Benedito Lacerda e Orestes Barbosa. Em seguida, gravou com acompanhamento de orquestra as valsas Morena e Primavera, de Irene de Almeida e Valter de Almeida.

No mesmo ano, transferiu-se para a gravadora Victor e gravou a marcha-hino Paz e o samba Brasil, ambas de Benedito Lacerda e Aldo Cabral, que seguiam o espírito patriótico daqueles tempos de guerra. Em seguida, gravou dois sambas Pedro da Conceição, de Benedito Lacerda e Eratóstenes Frazão e Não quero, de Benedito Lacerda e Aldo Cabral, com acompanhamento de Benedito Lacerda e seu conjunto regional.

Em 1946, gravou um último disco na Victor com os choros Minha prece, de René Bittencourt e Luiz Bittencourt, e Amoroso, de Garoto e Luiz Bittencourt, com acompanhamento de Garoto e seu conjunto.Em seguida, transferiu-se para a Continental e gravou com acompanhamento de Napoleão Tavares e Seus Soldados Musicais, os sambas História do Brasil, de Lauro Maia e Mendonça de Souza e Onde trabalha o seringueiro, de Mendonça de Souza.

Em 1948, transferiu-se para o selo Star, futura Copacabana, e gravou com acompanhamento de Raul de Barros e Sua Orquestra os sambas Meia-noite, de Humberto Paiva e Sebastião Cirino, além de Nós somos de lá, de Lauro Maia.

Em 1950, ingressou na Todamérica e em seu primeiro disco na nova gravadora lançou com acompanhamento de orquestra a marcha Falsa colombina e o samba Lá vem ela, ambas de Saint-Clair Sena. No ano seguinte, gravou de Armando Braga e Amauri Silva, com acompanhamento de Sebastião Cirino e sua orquestra, os sambas Humilhação e Oceano de pranto. Também em 1951, gravou com acompanhamento de orquestra os sambas Hino ao samba e Samba do adeus, de autoria da dupla José Maria de Abreu e Jair Amorim. Gravou também o samba Rosa maliciosa, de Sebastião Cirino e Rogério Nascimento.

Em 1952, gravou o samba No alto da serra, de Paulo Barbosa e Alberto Ribeiro, e o bolero Réstea de luz, de Amauri Silva e Almeida Filho.Gravou em 1953 os sambas Como bebe esse rapaz, de Rui de Almeida, Guido Medina e Orlando Trindade, e Vou beber, de Paulo Marques, Ailce Chaves e Sávio Barcelos.

Em 1954, gravou um último disco na Todamérica com a canção Mama, de Cherubini e Bixio, com versão de Guido Medina e a toada-baião Ave Maria do sertão, de Conde e Pádua Muniz.

Em 1955, contratado pela Odeon, gravou a valsa Quando a mulher erra, de Cicognini, Weston e Cahn, com versão de Júlio Nagib, e o samba Gesto covarde, de Henrique Gonçalez.

Em 1956, gravou o fox Esperando você , de Zareth e North, com versão de Haroldo Barbosa, e a valsa Bodas de Prata, de Roberto Martins e Mário Rossi, com acompanhamento de Osvaldo Borba e sua orquestra.

No final dos anos 1950, já em fim de carreira e sem maiores oportunidades, gravou um disco pelo selo Araribóia com a valsa Uma alegria sem fim e o fox Estrela vazia, de L. V. Mota

Fonte: Dicionário Cravo Albin da MPB.

Ave Maria do sertão

Ericsson Martha
Ave Maria do sertão (toada, 1954) - Pádua, Muniz Conde e Mathias da Cruz

Quando a tarde declina / Veste a campina / Seu manto de terra
Tudo é beleza / Sorri a natureza / No verde da mata.


Regressa da roça / Pra sua paioça / De pé no chão
A cabocla bonita / Traz a paz infinita / Em sua oração.

Ave-Maria / Do meu sertão
Temas de amor / Pro meu coração.

Acordes divinos / Vibram nos sinos / Da capelinha
Violas, violões / Soluçam paixões / Numa tendinha.

Canta a passarada / Na beira da estrada / Em doce harmonia

Gorjeios de prece / Como quem oferece / A Virgem Maria.

Ave-Maria / Do meu sertão
Ave-Maria / Do meu sertão
Dai paz e amor / Pro meu coração....

Babilônia maravilhosa

Blitz
Tom: E
Intro: E A A(B) 4x
E            A     A(B) E          A    A(B)
Hoje acordei nem li o jornal my brother
E     A   A(B)      E   A  A(B)
Eu te liguei pra dizer nada
E       A       A(B)  E           A     A(B)
Já é verão e a cidade ferve my brother
E       A     A(B)       E   A  A(B)
Andar no Rio com sol na cara
F#m           B7        E            C#7
Falida ferida cidade, Babilônia maravilhosa
F#m        B7                       D7    C#7
Côco pelas praias da princesinha do mar
F#m                   B7       C    D  E B7
E em câmera lenta eu e você fazendo amor
E          A                A(B)        E
Vem vem dançar que a música não vai parar
A B7   E        A     
Não Não, vem dance dance dance
A(B)     E     A(B) E A B7
o sonho não pode acabar
E             A         A(B)         E        A     A(B)
Rio cidade do arrepio essa é nossa casa my brother
E         A    A(B)        E     A  A(B)
Tem futebol, porrada no Maraca
E         A         A(B)          E          A
Nossos heróis estão em maus lençóis my brother
A(B)    E         A(B)   E  A  A(B)
Andar no rio dessa navalha
Repetir  2
E                              A                A(B)
Rio caótico e agonizante de antibiótico e anabolizante
E                                  A
A tua piada é uma desgraça corre tanto perigo
A(B)
Quando a tua vidraça
E               
No chiclete da criança um grito alucinado
A               A(B)
E um punhal cravado na esperança
E                                A      
Recuperar as esquinas de antes te levarei
A(B)
a um céu de diamantes
Repetir 2

Mais uma de amor

Blitz
Tom: F
Intro: G (C F C G)
C  F
Perdi meu amor
C   G
No paraíso
C     F
Dou tudo que eu tenho
C    G
Por um aviso

Am  F
Seja sob sol
Am    F
Ou debaixo de chuva
G          C
Minha alma geme por você

Refrão:
F      
Geme geme uh! uh!
C         
Por você        
G      
Geme geme ah!    
C          
Por você         

G              C    F
Não durmo de noite
C     G
Arrasto correntes
C    F
Sozinho na cama
C     G
Trincando os dentes

Am  F
Seja sob sol
Am    F
Ou debaixo de chuva
G          C
Minha alma geme por você

F      
Geme geme uh! uh!
C         
Por você        
G      
Geme geme ah!    
C          
Por você         


Am                    Em
Vocês podem estar pensando
Dm
Ela foi embora
Am
Mas está quase voltando

Não demora
Em
Ou ela foi pra muito longe
Dm
Felicidade
Am     G (C F C G)
Onde estás que não respondes

Am  F
Seja sob sol
Am    F
Ou debaixo de chuva
G          C
Minha alma geme por você

F      
Geme geme uh! uh!
C         
Por você        
G      
Geme geme ah!    
C          
Por você           

Você não soube me amar

A Blitz começou meio por acaso, em fevereiro de 81, quando o ator Evandro Mesquita formou às pressas uma banda para tocar num barzinho recém-inaugurado. Em julho do ano seguinte, modificada com a entrada das cantoras Márcia Bulcão e Fernanda Abreu e a substituição de alguns músicos — passou de seis para sete componentes —, lançou o seu primeiro disco, um compacto-simples que apresentava “Você Não Soube Me Amar”.

Feita havia algum tempo para a peça “A Incrível História de Nemias Demutcha”, do grupo Banduendes, a canção explodiu imediatamente como o grande sucesso de 82, abrindo as portas da mídia para o rock brasileiro. Apropriada ao jeito performático do conjunto, “Você Não Soube Me Amar” é uma composição pop, de letra coloquial e irreverente, mais falada do que cantada (“Você não soube me amar / você não soube me amar / todo mundo dizia que a gente se parecia / cheio de tal e coisa e coisa e tal / e realmente a gente era / a gente era um casal sensacional/você não soube me amar...”), e que tem uma melodia de qualidade um pouco acima da média das canções do gênero.

Com um repertório que nunca se afastou do estilo do sucesso inicial, a Blitz durou três elepês e muitos shows, dissolvendo-se em 86, para voltar por algum tempo anos depois. Deixou como marca de sua popularidade, além das músicas, alguns bordões incorporados ao linguajar da época como “0K, você venceu” (de “Você Não Soube Me Amar”) e “calma Betty, calma” (de “Betty Frígida”) (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Você não soube me amar (1982) - Evandro Mesquita, R. Barreto, Zeca Mendigo e Guto

Tom: Am7
Intro: (Am7 Gm7) 4x

Am7 Gm7
Sabe essas noites que você sai caminhando sozinho

De madrugada com a mão no bolso
Am7 Gm7 Am7 Gm7
Na  rua

Am7 Gm7
E você fica pensando naquela menina

Você fica torcendo e querendo que ela tivesse
Am7 Gm7 Am7 Gm7
Na  sua

G F
Aí finalmente você encontra o broto
G     F         G     F
Que felicidade (que felicidade)
G          F                G        F
Você convida ela pra sentar (muito obrigada)
G     F         G   F
Garçom uma cerveja (Só tem chope)
G   F      G   F
Desce dois desce mais
G F                                G F
Amor   pede mais uma porção de batata frita
G      F          G F
OK você venceu batata frita

G F                                    G F
Ai  blá blá blá blá blá blá blá blá blá
G F
Ti ti ti ti ti ti ti ti ti
G F
Você diz pra ela
G  F
Tá tudo muito bom  (bom)
G  F
Tá tudo muito bem  (bem)
G F
Mas realmente
G F
Mas realmente
G F                   G F
Eu preferia que você estivesse
D   C Bb D7
Nu...a

Refrão:
G                   C/G
Você não soube me amar
Cm/G                 C  F G
Você não soube me amar
G                  A7/G
Você não soube me amar
Cm/G                 G  F C
Você não soube me amar

Em                D C
Todo mundo dizia
Bm Am
Que a gente se parecia
Bm       C       D
Cheio de tal coisa e coisa e tal
Em                   D   C
E realmente a gente era
Bm     Am
A gente era  um casal
Bm     C     D
Um casal sensacional  ...refrão

Em                   D C
No começo tudo era lindo
Em        Am
Tudo divino era maravilhoso
Bm            C       D      Em
Até debaixo d'água nosso amor era mais gostoso
D C             Bm Am
Mas de repente   a gente enlouqueceu
Bm   C
Eu dizia que era ela
D
Ela dizia que era eu  ...refrão

G  F              G  F
Amor que que'cê tem
G F
Cê ta tão nervoso
G F
Nada nada nada nada nada nada

Em              D        C     Bm Am
Foi besteira usar essa tática
Bm       C      D                 Em
Dessa maneira assim dramática (eu tava nervoso)
D  C                 Bm Am
O nosso amor era uma orquestra sinfônica (eu sei)
Bm        C   D
E o nosso beijo uma bomba atômica

G                   C/G
Você não soube me amar
Cm/G                 C  F G
Você não soube me amar
G                  A7/G
Você não soube me amar
Cm/G G
É foi isso que ela me disse
F C   G
Oh! baby não!

Weekend

Weekend (1983) - Evandro Mesquita e Ricardo Barreto - Intérprete: Blitz
Tom: Gm7

Introdução: Gm7

Gm7
  Alô alô ativo ouvinte
  Você que está ligado na minha
  Na sua na nossa Rádio Atividade
  E pra você que vai viajar
  O tempo é bom
                                       D7/9+
  Sujeito a amores impossíveis no final    do período
  Gm7         Gm5+ Gm7    Gm5+    Gm7
  Dia após dia     durante se...manas
    Cm7      Dm7          Gm7 Gm5+ Gm7
  Fiquei esperando pra te ver
                Gm5+ Gm7                  Gm5+  Gm7
  Há mais de um mês     que eu espero uma chance
  Cm7        Dm7        Gm7 Gm5+ Gm7
  De me encontrar com você
  Cm7   Dm7        Gm7  Gm5+ Gm7
  Seu cabelo eletrizado
  Cm7 Dm7     Gm7 Gm5+ Gm7
  Sua boca de mel
  Cm7        Dm7     Gm7   Gm5+ Gm7
  Não sei se veio da terra
  Cm7            D7/9+
  Ou se desceu do céu
Refrão:
     Gm7
  Eu quero passar
 Cm7       Dm7       Gm7       Cm7
    Um weekend com você (eu também)
         Dm7       Gm7
  Um weekend com você
                 Cm7
  Eu só quero passar
         Dm7       Gm7 Gm5+ Gm7
  Um weekend com você
                     Gm5+       Gm7                  Gm5+ Gm7
  Estrada de terra estrada de asfalto estrada de luz
  Cm7    Dm7       Gm
  Um weekend com você
    Gm7              Gm5+       Gm7                  Gm5+ Gm7
  Estrada de terra estrada de asfalto estrada de luz
     Cm7               Dm7  Gm7
  Primeiro passou um cavalo
    Cm7             Dm7  Gm7
  Depois eu vi dois bois
    Cm7 Dm7     Gm
  Um ônibus acendeu o farol
  Cm7         Dm7               Gm7                 Gm5+  Gm7
  Eu liguei o rádio ela abriu a blusa ela me deu um beijo
 Cm7             D7/9+
    Parei pra esticar (Amor olha ali uma lanchonete)
  Gm7
  Xixi café chiclete  ...refrão
    Cm7         Dm7  Gm7
  Patrulha Rodoviária a quinhentos metros
    Cm7         Dm7  Gm7
  Patrulha Rodoviária a duzentos metros
  Cm7            Dm7               Gm7
  Eu desliguei o rádio ela abriu o vidro escureceu
 Cm7               D7/9+
  O guarda mandou parar (que chato)
  Gm7
  Blitz documentos (só temos instrumentos)
  Aí rapaz o que'cê faz?
  Tá vindo de onde tá indo pra onde?
  O que você tem nessa bolsa?
  E você aí meu irmão o que que'cê diz?
  Repete repete repete
  Tudo bem pode ir viajandão heim!

  Branco esperto
  Gm7
  Quero passar
 Cm7       Dm7       Gm7
    Um weekend com você
                                        Cm7      Dm7
  Estrada de terra estrada de asfalto estrada de luz
  Gm7
  Quero passar
 Cm7       Dm7       Gm7
    Um weekend com você

A verdadeira história de Adão e Eva

Blitz
Tom: G
Introdução: G7
Aí bicharada, é festa no paraíso,
Cada macaco no seu galho,
Quero ver dançar! 
    G           G7
Adão vivia em paz
C/G        Cm/G
Andava nu pelo paraíso
G             G7
Se dava bem com os animais
C/G              Cm/G
E tinha tudo o que era preciso
  Aí ele disse
Em          G
Me dá (Deus me dá)
Em
O paraíso é pouco
Eb                    G
Eu quero um broto e só você pode dar
                        G7
Adão era "assim" com Deus
C/G           Cm/G
E tinha tudo o que queria
G                G7
O mar o fogo o ar a terra
C/G            Cm/G
Só não tinha uma companhia
  Aí ele disse
Em          G
Me dá (Deus me dá)
Em
Eu já não sou mais garoto
Eb                    G
Eu quero um broto e só você pode dar
  Vou comer maçã vou comer maçã
  Aí o céu se abriu e a terra estremeceu
  Você não se chama Eva e nem tampouco Adão sou eu
     Em          G
Me dá (Deus me dá)
Em
Quero amor no almoço
Eb              G
E maçã no jantar
                 G7
O tempo foi passando
C/G           Cm/G
E a vida era uma beleza
G             G7
Adão trazia a comida
C/G          Cm/G
E Eva botava a mesa
G                G7
Só porque um dia Eva sorriu
C/G                 Cm/G
Para o macaco Mandril
G              G7
Adão montou numa zebra
C/G                   Cm/G
E se mandou pro Brasil
Em          G
Me dá (Adão me dá)
Em
Adão segure sua cobra
Eb                     G
Que eu tô com maçã de sobra pra dar
Em         G
Me dá (Eva me dá)
Em
Quero comer de novo
Eb                  G
Já cansei de ovo com guaraná
  Vou comer maçã vou comer maçã
  Vem comer maçã vou comer maçã

Dali de Salvador

Blitz
Tom: A
Introdução: F#m E F#m E
  A   E     F#m  E
Visual do litoral
A    E      F#m   E
Surreal que lindo
A     E      F#m     E
Oi oi oi que bom dançar
A      E    F#m  E
Vem dançar comigo
Refrão:
A  E  F#m           E   
Oi oi oi oi oi que lindo    bis
A   E  F#m          E  
Vem Vem Vem dançar comigo  
  Bm7
Que bonito ver o entardecer
  Que bonito ver o sol se pôr
E
De Salvador
D           E
Dali de Salvador
D         E             F#m
De lá de lá de cima do mar
E       F#m
De cima do mar
E       F#m
De cima do mar
E       F#m  E
De cima do mar
  A   E     F#m  E                E    F#m  E
Visual do litoral... até ...dançar comigo  ...refrão
  D9              E
Agora anoiteceu
D9               E
Agora a noite é sua
D9                 E             F#m  E
E a gente pode dançar no meio da rua
D9          E
Dance e se lance
D9             E
Essa é a sua chance
D9               E              F#m  E
De ser um superstar um astro na rua
  F#m                        E
Há uma coisa boa sobre música
F#m                        E
É que quando a gente dança
F#m          E
Nunca sente dor  ...refrão
  Bm7                  E       F#m E
Que bonito... até ...cima do mar
  A   E     F#m  E                E    F#m  E
Visual do litoral... até ...dançar comigo
     A          E        F#m
O mar quando quebra na praia
E   A    E   F#m  E
É bonito é bonito
A          E        F#m
O mar quando quebra na praia
E   A  E   F#m  E
Poluído poluído

Egotrip

Egotrip (1984) - Evandro Mesquita, A. Pedro, R. Barreto e Patrícia Travassos - Intérprete: Blitz
Tom: F
Introdução: (C G C G Am)2x
 F                  G                         F
Um indivíduo alto magro vestindo um terno azul
G
(Quem vem lá quem será?)
F                          G                    F
Desceu de um coletivo às quatro e meia de manhã
G
(Olha lá quem será?)
F                       G               F G
Atravessou a rua assoviando uma canção
F                    G
Só uma suspeita silhueta na escuridão
Am          G          C
Tem um cara na esquina
G     Am
O que ele tem na mão?
G     C
Tem um cara na esquina
G     Am
Qual será sua intenção?
   F                           G
Não foi difícil entral no edifício mil e três
F                       G
Da avenida Copacabana bloco cinco posto seis
F                              G
O porteiro disse que ouviu o vento soprar
F                              G
E alguma coisa estranha vindo lá do nono andar
Am          G      C
Tem um cara na escada
G     Am
O que ele tem na mão?
G      C
Tem um cara na escada
G    Am
Qual será sua intenção?
 Dm       Am
Quem é?  (Sou eu)
Dm             Am
Quem é? (Sou eu princesa, o Batata)
Dm       Am
Batata,  a essa hora
Dm                          Am
Ah! desculpe princesa mas tinha que ser agora
Am7                    Am6     Am
Ai deixa pelo menos eu vestir alguma coisa
  Hum! você tá linda
C        G
Sabe o que é princesa
C   G Am
Hoje eu encontrei a pessoa que eu procuro (Jura)
C                   G     C           
Bom se isso te satisfaz eu juro eu juro
C G         Am
disse que juro   (Oh! Batata)
F                                           G
Uma pessoa que eu quisesse comigo vinte e cinco 
  horas por dia
F                             G
Uma pessoa que me entendesse que eu pudesse confiar
F                   G
Oh Batatinha eu eu sinto isso também
F
E essa pessoa princesa (diz diz)
G
Essa pessoa (diz)
C
Sou eu!
        G          C      
Eu te amo eu me adoro           bis
G               Am
Eu não consigo te ver sem mim  
   F                       G
Hei! vamos ver o sol nascer ali na praça
F                  G
Você faz café ou quer que eu faça
F                                        G
Ah! já não sei mais se eu quero que você vá 
  ou que você fique
F                              G              C
Nem sei que eu quero aturar sua egotrip porque (refrão)
 Dm                                    Am
Ninguém entendeu quando o dia amanheceu
Dm                            Am    Dm
Os dois pelados na Praça da Bandeira cantando 
  o samba da Mangueira
Am
Quando chegaram os camburões
Dm                          Am
Saíram assoviando o hino da República dos Camarões
  Dm       Am            Dm
Eu te amo  eu me adoro          bis
Am    
Eu não consigo te ver sem mim  

Quem te põe

Blitz
Tom: Am
Intro:  Am D Am G D (2x) 
    Am        D C        Am        D C
Eu moro longe       não tenho carro
Am       D C        AM        D C
Nem telefone        tô desempregado
Am         D C       Am      D C
O meu dinheiro      alguém levou
Am         D C       Am     D C
E o meu saldo       tá devedor
   D                    C
Às vezes não consigo falar
D                     C 
Às vezes esqueço ate meu nome
D                      C
Às vezes passo o dia com fome
D                  C 
Quem me pára na rua são os "home"
Am
Quem tem põe                   -
G  D     4x
Quem não tem tem que tirar     -
 Am            D C
Com quem eu falo
Am         D C         Am          D C
Alguem me diz       como é que eu vivo
Am    G D
No meu país
Am          D C        Am      D C
E o meu prazer       alguém levou
Am       D C     Am         D C
Eu sinto falta      do nosso amor
E               F
Olho pro mar ele fica revolto
D                   E
Sou sangue ruim sou bicho solto

Volta ao mundo

Blitz
Tom: E
E
Estive aqui pensando, uma maneira de acabar,
De acabar  com essa paz,
A
Com essa paz insurportável
Que temos vivido
E
Aí eu fico mudo
B7
Eu sei eu não me iludo
A
Mais um dia ainda me mudo
E             B7
“Prum” país oriental
E
È um povo amarelinho, só come com dois pauzinhos
A
Tem os “óios”puxadinhos mas são valentes pra cachorro
E
Tái o Kung Fu e o mestre Fu Manchu
B7                           A
Arroz “cololido”,camarões empanados
E                    B7
E salve o broto do bambu
E
Perguntei ao Kung Fu
Quem vence o Fla-Flu
Me mandou tomar no cu
A
E ainda disse invocado
Estou cansado de cinema
E
Vou morar em Ipanema
B7
Pois tive uns contatos
A
Dos tais imediatos
E                B7
Com uma nega de Bangu
E
Fiquei invocado com aquele gafanhoto
Careca  meio escroto
A
E me mandei daquelas bandas
E
Das bandas do oriente azeite não é meu parente
B7
Larguei o ping-pong
A
Vesti o meu sarongue
E                B7
Um mês com King-Kong na África
E
Por terra,por mar, pelo ar
Eu e meu amigo Júlio
A
Eu disse Júlio Tal do Verne
Dando a volta ao mundo
E        B7             A
78 dias, 79 dias no 80 quero estar...
E                    B7
Quero estar no Rio Voei!
E
Voei pro Havaí
Conheci uma havaiana
Que se chamava Ana
A
E digo a gata era uma onda
Parecia Jane Fonda
E
Tinha algo da Gioconda
B7
Sorria enigmática
A
Sabia  matemática
E                 B7
Noves fora nada absurdo
E
Por terra por mar pelo ar
Eu e meu amigo Júlio
A
Eu disse Júlio tal do Verne
Dando a volta ao mundo
E           B7            A
78 dias, 79 dias no 80 quero estar...
E
Quero estar no Rio, cheguei 

Vai, vai, love

Blitz
Tom: Am
Intro:  Am D Am G D (3X)
Am D C Am C D (2X)
Am                     C     D     Am C D
Era de noite eu não sabia o que fazer
Am                  C       D  Am C D
Naquelq hora não sabia qual era
Am            C
Meu bem me perguntou     (2X)
Am    D
O que é que eu acho
Am                  C   Am D
Da gente ir ate o baixo
Am                    C
Eu disse que não era bom
Am                      D
Baixo Leblon todo dia vicia
Am                       C
E você perde a classe vadia
Am                     D
Desvaloriza o passe maninha
Am C Am D C Am C D
Ai ui o ou ou
Am              G
Vai que eu já vou
Am              G
Vem que eu já fui
Am C Am D C Am C D
Ai ui o ou ou
Am        D C
B  Vai vai love
I  Am        D C
S  Vai vai love
Am7
Estar alegre ou estar triste
Com você ou com tudo que existe 
Estar alegre ou estar triste
Depende de Deus depende de mim    (2x)
Am         Am7M  Am7         Am6
Caia nessa água venha se molhar   (2X)

Blitz


Blitz - Septeto que traçou os caminhos do rock brasileiro nos anos 80, foi formado no Rio de Janeiro em 1980. Em 1982 sai o primeiro compacto, Você Não Soube Me Amar, um sucesso estrondoso, logo seguido pelo LP As Aventuras da Blitz.

Com um rock leve, letras bem-humoradas e performance teatral no palco, a Blitz tocou no Rock In Rio de 1985, se apresentou por todo o Brasil e no exterior e consolidou-se como fenômeno de massa. Lançaram produtos como revistas em quadrinhos e álbum de figurinha, em parte devido à sua grande popularidade entre as crianças.

Depois do terceiro LP a banda se desfez, em 1986, voltando a se reunir ocasionalmente para shows ou eventos. Fernanda Abreu seguiu uma bem-sucedida carreira solo e Evandro Mesquita se firmou como ator.

Em 1995 a EMI lançou Blitz ao Vivo e dois anos depois alguns ex-integrantes se reuniram e gravaram o CD Línguas.

Seus integrantes eram: Evandro Mesquita, guitarra e voz; Fernanda Abreu, backing vocal; Marcia Bulcão, backing vocal; Ricardo Barreto, guitarra; Antônio Pedro Fortuna, baixo; William Forghieri, teclados; Lobão, substitído por Jubá, bateria.

Fonte: Cliquemusic.

Algumas músicas cifradas:

A dois passos do paraíso
A verdadeira história de Adão e Eva
Babilônia maravilhosa
Biquini de bolinha amarelinha
Dali de Salvador
Egotrip
Mais uma de amor
Quem te põe
Vai, vai, love
Você não soube me amar
Volta ao mundo
Weekend