sexta-feira, março 14, 2008

Deusa do cassino

Orlando Silva
Deusa do Cassino (valsa, 1938) - Newton Teixeira e Torres Homem

Disco 78 rpm / Título: Deusa do cassino / Autoria: Teixeira, Newton (Compositor) / Homem, Torres (Compositor) / Orlando Silva (Intérprete) / Orquestra (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: RCA Victor, 28/03/1938 / Nº Álbum 34319 / Lado B / Junho/1938 / Gênero: Valsa


Ninguém foge ao seu destino
E por isso num cassino
Eu vim a te conhecer
Como louca borboleta
Volúvel como a roleta
Deusa do luxo e do prazer


Sentada na minha frente
Jogavas, nervosamente
Sem acertar uma vez
Era um duelo de morte
Que sustentavas com a sorte
Com teu destino, talvez.

As tuas mãos vaporosas
Mexendo as fichas nervosas
Tinham presos os olhos meus
Nas fichas mais valiosas
Nas dez fichas cor de rosa
Das pontas dos dedos teus

A tua boca vermelha
Com as copas se assemelha
No seu feitio e na cor
Boca que vale um tesouro
Vale mais que o ás de ouro
Numa seqüência de amor.

Ainda uma vez

Francisco Alves
Ainda uma vez (fox-canção, 1938) - José Maria de Abreu e Francisco Matoso

Disco 78 rpm / Título: Ainda uma vez / Autoria: Matoso, Francisco (Compositor) / Abreu, José Maria de, 1911-1966 (Compositor) / Francisco Alves (Intérprete) / Orquestra Copacabana (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 1938 / Nº Álbum 11645 / Gênero: Fox


Ainda uma vez
Procuro te encontrar
Só para te dizer
Que eu não posso
Que não quero e que não devo
Te olvidar...

Ainda uma vez
Quisera te beijar

Tal qual antigamente
Sob a luz suave
E meiga de um romântico luar

Ainda uma vez
Eu sei que hás de voltar
E então nós ficaremos
Para sempre
Para sempre bem juntinhos

A sonhar
Eu guardo a ilusão
Que ainda me crês
Meu coração alegre diz
Serei feliz
Ainda uma vez

Vou deixar meu Ceará

Almirante
Vou deixar meu Ceará (toada, 1937) - José de Sá Róris

Disco 78 rpm / Título: Vou deixar meu Ceará / Autoria: Sá Róris (Compositor) / Almirante, 1908-1980 (Intérprete) / Lacerda, Benedito, 1903-1958 (Acompanhante) / Regional (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 29/05/1937 / Nº Álbum 11484 / Lado B / Lançamento: Junho/1937 / Gênero: Toada sertaneja


Eu vô deixá meu Ceará
Mas eu vorto quando o tempo amiorá
Eu vô deixá meu Ceará
Mas eu vorto quando o tempo amiorá

Já nim canta a saracura
Já nim canta o sabiá
Meu açude já secô
Meus legume se acabô

Vô m'imbora pro Pará
(Vô m'imbora pro Pará)

(refrão)

Já perdi tudo que eu tinha
Cuma é que vô vevê
Meus bichinho tão morrendo
Tudo, tudo se perdendo
Já nem tenho o que comê
(Já nem tenho o que comê)

(refrão)

Vade a mim Nossa Senhora
Vem ouvir minha oração
Manda chuva com fartura
Pra sarvá as criatura
Tenha dó do meu sertão
(Tenha dó do meu sertão)

(refrão)

Lá no céu nenhuma nuvem
Nim choveu no Pioí
Só se vê gente passando
Eu inté já tô chorando
Só de vê que vô parti
(Só de vê que vô parti)

(refrão)

Última canção

Orlando Silva
Última canção (fox-canção, 1937) - Guilherme A. Pereira

Disco 78 rpm / Título da música: A última canção / Autoria: Pereira, Guilherme A (Compositor) / Orlando Silva (Intérprete) / Orquestra (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: RCA Victor, 09/07/1937 / Nº Álbum 34213 / Lado A / Lançamento: 12/1937 / Gênero musical: Fox trot


Esta será a última canção
Que cantarei ao me despedir
Depois verás então
Em breve eu partir
Para não ver em vão
O teu sorrir.

Esta será a última canção
Que cantarei ao me despedir
Quando eu te abraçar chorando
Para seguir e te deixar cantando.

FALADO:

Com os olhos rasos d´água
Olhos que vivem cheios de mágoas
Ao partir venho triste, soluçando
Me despedir
Dar-te o último adeus.
Lamento que os olhos meus
Não tenham sido os olhos teus
Para terem chorado tanto
Tanto, tanto quanto os meus.

(Retorna a estrofe primeira e finaliza.)

Solidão

Orlando Silva
Solidão (samba-canção, 1937) - José Maria de Abreu e Francisco Matoso

Disco 78 rpm / Título: Solidão / Autoria: Matoso, Francisco (Compositor) / Abreu, José Maria de, 1911-1966 (Compositor) / Orlando Silva (Intérprete) / Orquestra Victor Brasileira (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Victor, 1937 / Nº Álbum 34202 / Gênero: Samba canção


Quando a caminho da cidade
Te vi
A dor cruel de uma saudade
Senti
E eu chorei na solidão
Sem ter a felicidade
Me alegrando o coração

Hoje vivo só
E triste
O nosso amor recordando

E depois que partiste
Nunca mais eu sonhando
Vi o romance que eu quis
Ser feliz

Quando a caminho da cidade
Te vi
A dor cruel de uma saudade
Senti
E eu chorei na solidão
Sem ter a felicidade
Me alegrando o coração

Dizem que hoje na cidade
Vives com luxo e dinheiro
Tendo a felicidade
De esquecer o Salgueiro
Deixando no meu coração
Solidão...

Só nós dois no salão (E esta valsa)

Francisco Alves
Só nós dois no salão (E esta valsa) (valsa, 1937) - Lamartine Babo

Disco 78 rpm / Título da música: Só nós dois no salão... e esta valsa / Autoria: Babo, Lamartine, 1904-1963 (Compositor) / Francisco Alves (Intérprete) / Orquestra Victor Brasileira (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Victor, 17/03/1937 / Nº Álbum 34174 / Gênero: Valsa


Só nos dois num salão e esta valsa
E uma orquestra de anjos divinos
Uns acordes de um toque de sinos
Nos finais desta valsa de amor.

Pelo chão
Umas pétalas de flor

Luz azul percorrendo o salão
Só nós dois
Mais ninguém
Mais ninguém
Só nós dois
A saudade virá depois.