quarta-feira, julho 30, 2008

Os amantes

Luiz Ayrão
Os amantes (samba, 1978) - Sidney da Conceição, Augusto César e Lourenço - Intérprete: Luiz Ayrão
Tom: Am
Introd. Em Em/D  

          Am Am/G     F#m7/5- B7
Qualquer dia, qualquer hora
Em Em/D
A gente se encontra
Am      B7             Em  Em/D
Seja onde for, pra falar de amor.

Am Am/G        F#m7/5- B7
Qualquer dia, qualquer hora
Em  Em/D
A gente se encontra
Am      B7              Em  E7
Seja onde for, pra falar de amor

Am    D7        G7M  C7M
Pra matar a saudade da felicidade
F#m7/5-              B7
Dos instantes, que juntos passamos
Em  E7
E promessas juramos
Am   D7               G7M  C7M
Reviver os momentos de sonho e de paixão
F#m7/5- B7               E/G# F#m
Das palavras loucas     vindas do coração.

B7    E                G#                 C#m
Meu amor, ah! se eu pudesse te abraçar agora
E7                 A
Poder parar o tempo nessa hora
B7                 E/G#     F#m
E nunca mais eu ver você partir (meu amor).

B7    E                G#                 C#m
Meu amor, ah! se eu pudesse te abraçar agora
E7                 A
Poder parar o tempo nessa hora
B7                  Em
E nunca mais eu ver você partir.
Introd. Em Em/D   
          
         Am  Am/G   F#m7/5-  B7  
Qualquer dia,    qualquer   hora  
                 Em Em/D  
A gente se encontra  
      Am      B7              Em  Em/D  
Seja onde for,  pra falar de amor  
  
         Am Am/G        F#m7/5- B7  
Qualquer dia, qualquer hora  
                 Em  Em/D  
A gente se encontra  
     Am      B7              Em  E7  
Seja onde for, pra falar de amor  
  
              Am    D7        Gm7  Cm7  
Pra matar a saudade da felicidade  
        F#m7/5-              B7  
Dos instantes, que juntos passamos  
                Em  E7  
E promessas juramos  
              Am        D7           Gm7  Cm7  
Reviver os momentos de sonho e de paixão  
              F#m7/5-  B7               E/G# F#m  
Das palavras loucas      vindas do coração 
  
B7    E                G#                 C#m  
Meu amor, ah! se eu pudesse te abraçar agora  
        E7                 A  
Poder parar o tempo nessa hora  
         B7                 E/G#     F#m   
E nunca mais eu ver você partir (meu amor)  
  
B7    E                G#                 C#m  
Meu amor, ah! se eu pudesse te abraçar agora  
        E7                 A  
Poder parar o tempo nessa hora  
         B7                  Em  
E nunca mais eu ver você partir 

Quero que volte

Luiz Ayrão

Quero que volte (samba, 1976) - Palinha e Pinto


Tom: A

Bb0        Bm7   E          A  Bm7  Dbm7
Quero que volte / Não posso mais
Cm7   Bm7            E      A
Há muito tempo que eu  /  Não tenho  paz
Bm7     E            A   Bm7   Dbm7
Não é verdade / Que existe alguém
Cm7   Bm7           E              A
O meu amor é só teu  /  De mais ninguém

Bm7       C0          A            Bm7
Noites e noites que espero  / Por você...
E        A    A7    D     Eb0         A
Que não vem   /     Cada minuto que passa
Gb7     Bm7     E            A
Mais aumenta . . .  o meu sofrer

Porta aberta



Porta aberta (samba, 1973) - Luiz Ayrão
Tom: G

G
Pela porta aberta
E7           Am
De um coração descuidado
D7    
Entrou um amor em hora incerta
Am      D7           G
Que nunca deveria ter entrado
F      E7
Chegou, tomou conta da casa
Am
Fez o que bem quis e saiu
Cm             G       E7
Bateu a porta do meu coração
A7   D7   G           D7
Que nunca mais se abriu / E por isso

G                       Gbm      B7
Por isso a nostalgia tomou conta de mim
B7             Em
Mas um amigo percebeu e disse assim :
Dm     G7        C
Para que tanta tristeza?          rapaz
Cm        G          E7        A7
Acabe com ela e vem comigo conhecer
D7    G                              E7
A Portela,   Portela / Fenômeno que não
Am                D7
Se pode explicar  /   Portela,    Portela
Am          D7          G
Uma corrente faz a gente sem querer sambar
F        E7 
É ela, é ela / O novo amor a quem eu quero
Am        Cm           G
Agora me entregar / O samba fez milagre
E7          Am              D7        G7
Reabriu meu coração para a Portela entrar
Cm          G        E7             Am
O samba fez milagre e reabriu meu coração
D7       G           D7
Para a Portela entrar  (pela porta)


Um cantinho e você

Dick Farney
Um cantinho e você (samba-canção, 1948) - José Maria de Abreu e Jair Amorim

Disco 78 rpm / Título da música: Um cantinho e você / Autoria: Amorim, Jair (Compositor) / Abreu, José Maria de, 1911-1966 (Compositor) / Dick Farney, 1921-1987 (Intérprete) / Orquestra (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Continental, 1948 / Nº Álbum 15916 / Lado B / Lançamento: 1948 / Gênero musical: Samba canção


Um cantinho e você
Uma rede e o luar
Uma vela a correr
Num pedaço de mar...

Na paisagem tranqüila
Um sussurro
E um beijo depois
Para nós dois...

Basta isso somente
E o que a gente não diz
Para um quadro feliz.

Um sorriso... um olhar...
Um aperto de mão
Todo um sonho a vibrar
Numa linda canção

Felicidade afinal
Vive do pouco que tem
Um cantinho e você
E mais ninguém !

Felicidade afinal
Vive do pouco que tem
Um cantinho e você
E mais ninguém !

Segue teu caminho

Mário Zan
Segue teu caminho (tango, 1948) - Mário Zan e Arlindo Pinto

Disco 78 rpm / Título da música: Segue teu caminho / Autoria: Pinto, Arlindo (Compositor) / Zan, Mário, 1920-2006 (Compositor) / Solon Sales (Intérprete) / Zan, Mário, 1920-2006 (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Continental, 02/01/1948 / Nº Álbum 16898 / Lado A / Lançamento: Maio/1948 - Junho/1948 / Gênero musical: Tango brejeiro


Hoje é meu dia e amanhã será o teu
Eu sei que um dia sofrerás mais do que eu
Embora digas que o passado não importa
Eu sei que um dia voltarás a minha porta

Mas se algum dia estiveres sem guarida
Se precisares de um prato de comida
Podes chegar que estarei ao seu dispor
Embora saibas muito bem
Que está morto o nosso amor

Vai, por esse mundo afora
Vai ver aonde é que mora a infelicidade
Para depois, voltar arrependida
Humilde e despida
De toda essa vaidade

Vai e segue o teu caminho
Que eu fico aqui sozinho
Aguardo o teu regresso
Porque quem age assim dessa maneira
Fazendo tanta asneira
Não pode ter progresso.