quinta-feira, novembro 06, 2008

Sua Majestade o Neném



Trio Nagô
Sua Majestade o neném (balada, 1960) - Klécius Caldas e Armando Cavalcanti - Intérprete: Trio Nagô

Silêncio, ele está dormindo
Vejam como é lindo
Sua Majestade, o neném
A casa já tem novo dono
Novo rei, no trono
Sua Majestade, o neném.

Parece com o papai
Com a mamãe também
Parece com a vovó ? Não !
Não parece com ninguém !
Ele, é ele só
Sua Majestade, o neném.

Parece com o papai
Com a mamãe também
Parece com a vovó ? Não !
Não parece com ninguém !
Ele, é ele só
Sua Majestade, o neném....




Mambo da Cantareira




Mambo da cantareira (mambo, 1960) - Barbosa da Silva e Eloíde Warthoi - Intérprete: Gordurinha

Só vendo como é que dói só
Vendo mesmo como é que dói
Trabalhar em Madureira, viajar na cantareira
E morar em Niterói

Ê, cantareira, ê, cantareira,
Ê, cantareira vou aprender a nadar
Ê, cantareira, ê, cantareira

É cantareira, eu não quero me afogar

De tanto viajar já tô ficando bambo
Já tô com o corpo mole de canseira
Por isso agora resolvi cantar o mambo
Vamos cantar o mambo cantareira



Leva-me contigo



Marisa Gata Mansa
Leva-me contigo (samba-canção, 1960) - Dolores Duran - Interpretação: Marisa Gata Mansa
Tom: C  

(intro) CM7  Dm7  G7

CM7             Am7            Dm7                G7
Ai, leva-me contigo pela noite eterna da tua amargura
CM7                Am7                Dm7
Deixa que eu te ofereça, todo este carinho
              G7
Toda esta ternura
      CM7              A7
Não me deixe chorar novamente
Dm7                  G7
No tormento desta solidão
          Am7                              Dm7
Não me deixe todas as coisas que foram tão nossas
            G7
Dê-me a tua mão

 CM7            Am7              Dm7
Ai, leva-me contigo e perde a minha vida
              G7
Quando te perderes
       CM7              Am7
Deixa que eu te dê meus olhos
            Dm7                  G7
Para que tu chores sempre que sofrer
           Cm7         E7
Segue o teu sonho impossível
           FM7
Nгo tentes fugir
           E7                 Am7
O que eu quero é ficar a teu lado
Dm7                 G7              CM7
E te amar sempre, sempre, sem nada pedir

(instrumental)

  Am7                  E7
Segue o teu sonho impossível
           FM7
Não tentes fugir
          E7                 Am7
O que eu quero é ficar a teu lado
Dm7                 G7              CM7
E te amar sempre, sempre, sem nada pedir


Fechei a porta




Fechei a porta (samba/carnaval, 1960) - Sebastião Mota e Ferreira dos Santos - Intérprete: Miltinho

Eu não quero mais amar
pra não sofrer ingratidão
depois do que eu passei
fechei a porta do meu coração

Eu não quero mais amar
pra não sofrer ingratidão
depois do que eu passei
fechei a porta do meu coração

Eu dei pra ela todo o carinho
e no entanto acabei sozinho



Fantoche

Nelson Gonçalves
Fantoche (samba-canção, 1960) - Adelino Moreira

Título da música: Fantoche / Gênero musical: Choro / Intérprete: Nelson Gonçalves / Compositor: Moreira, Adelino / Gravadora Rca victor / Número do Álbum 802253 / Data de Gravação 00/1960 / Data de Lançamento 00/1960 / Lado B / Disco 78 rpm.



Quanto mais longe dos teus olhos, meu amor
Mais me atordoa o calor desta paixão
Estava certo em sua frase o inventor
"Longe dos olhos e perto do coração"
É na distância que dói mais a dor do amor
E se esse amor não foi apenas amizade
A gente chora a nossa mágoa, a nossa dor
Num labirinto de tristeza e de saudade.

Tenho em meus olhos a visão da tua imagem
Sou um fantoche que a solidão apavora
Tento abraçar o teu vulto e é só miragem
Me atormentando, dia e noite a toda hora
De ti distante, vivo triste e a meditar
Nos separamos, mas não posso compreender
Porque razão choraste tanto, ao me deixar
Porque razão eu chorei tanto, ao te perder...




Doidivana

Nelson Gonçalves
Doidivana (samba-canção, 1960) - Adelino Moreira - Intérprete: Nelson Gonçalves



Doidivana das noites vadias
Sendo a razão dos meus dias
Quando tu quiseres
Faz um gesto, um aceno, e eu darei
Este amor, que neguei
A tantas mulheres.

Doidivana, apesar de tudo
O tempo passa e eu não mudo
Ainda te quero bem
Tu és doida, doida que só vendo
E eu te querendo
Sou doido também.

Doidivana, quem me calunia
Não sabe a agonia
Que passo e passei
Não ouviu tua voz quente e rouca
Nem beijou a tua boca
Que eu tanto beijei.

Doidivana, carícia suprema
Só me condena
Quem não gostou de alguém
Tu és doida, és doida varrida
E eu te amando na vida
Sou doido também!



Cheiro de saudade

Cheiro de saudade (samba, 1960) - Djalma Ferreira e Luís Antônio - Intérprete: Ana Lúcia


É aquele cheiro de saudade
Que me traz você a cada instante
Folhas de saudade
Mortas pelo chão
É o outono em fim, no coração.


É talvez que é tempo de saudade
Trago o peito tão carregadinho
Sofro de verdade

Fruto da saudade
Sem o teu carinho...

Quem semeia vento
Colhe tempestade
Quem plantar amor
Colhe saudade...



Carinho e amor

Carinho e amor (samba, 1960) - Tito Madi - Interpretação de Tito Madi





Se você quer voltar
Você quem manda amor
Nem tudo está perdido
Em nossa vida

Se eu choro por você
Você também por mim
Por que sofrer assim
Por que chorar assim

Se quer me devolver
Toda a alegria
Esqueça este orgulho
Que nos mata

E volte, por favor
Venha correndo
Que estarei para lhe dar
Carinho e muito amor.



A canção dos seus olhos

A canção dos seus olhos (samba-canção, 1960) - Pernambuco e Antônio Maria - Intérprete: Maysa




Ai, você foi embora, era hora de ir
Depois quem sabe que tristeza haveria
Ai, foi bom separar os meus sonhos dos seus
No meu olhar, o poder do seu olhar

Ai, não faz mal a distâcia
Ai, não faz mal a saudade
Hoje é melhor eu saber
Que você não sofreu
Se eu sofri não faz mal

Ai, nasceu no sofrimento
Na esperança e no amor
Nasceu de mim
A canção dos seus olhos



Vai ver que é

Vai ver que é (marcha/carnaval, 1959) - Carvalhinho e Paulo Gracindo - Intérpretes: Araci de Almeida e Joel de Almeida


Se veste de baiana
Pra fingir que é mulher
Vai ver que é
Vai ver que é

No baile do teatro
Ele diz que é Salomé
Vai ver que é
Vai ver que é

Cuidado minha gente
Com esse tipo de rapaz
................
................
Nervosinho bate o pé
Vai ver que é
Vai ver que é

Recado

Recado (samba, 1959) - Luís Antônio e Djalma Ferreira - Intérprete: Maysa



Você, errou quando olhou, pra mim
Uma esperança, fez nascer, em mim
Depois levou, pra tão longe de nós
Seu olhar no meu, a sua voz

Você deixou, sem querer deixar

Uma saudade, enorme em seu lugar
Depois nós dois
Cada qual a mercê do seu destino
Você sem mim, eu sem você!

Saudade, meu moleque de recado
Não diga que eu me encontro nesse estado

Você deixou, sem querer deixar
Uma saudade, enorme em seu lugar
Depois nós dois
Cada qual a mercê do seu destino
Você sem mim, eu sem você!