terça-feira, dezembro 14, 2010

Catoni

Catoni
Catoni (Sebastião Vitorino Teixeira dos Santos), compositor, cantor e instrumentista, nasceu em Ouro Preto, MG, em 13/5/1930. Serralheiro por profissão, começou tocando sanfona e cantando calangos em sua cidade.

Em 1943 mudou-se para o Rio de Janeiro, indo residir em Jacarepaguá com uma família italiana. É dessa época seu apelido italiano e seu primeiro samba: Vai, meu amor. Ingressou na aia de compositores da Vai se Quiser, escola de samba que mais tarde se uniria à Corações Unidos de Jacarepaguá, para formarem o G.R.E.S. União de Jacarepaguá.

Compôs cerca de 12 sambas para essas escolas. Em 1966 transferiu-se para o G.R.E.S. da Portela, levado por Natal. Compôs o samba-enredo Lendas e mistérios da Amazônia (com Jabolô e Valtemir), com o qual a Portela desfilou na avenida em 1970.

Compôs ainda o samba de terreiro Perdi a namorada (com Jabolô e Valtemir), gravado em 1972 por Elizeth Cardoso; Se eu pedir, você me dá (1974); Bom-dia, Salgueiro (inscrito num concurso de samba no Salgueiro); No meio do povo (com Sérgio Fonseca e Joel Meneses), gravado por Eliana Pittman (1975); Berimbau amarelo (com Bira), gravado por Sonia Lemos (1975); Jeito de tatuagem (com Bira), gravado por Agepê (1975).

Realizou apresentações no Clube Renascença, tocando sanfona e instrumento de percussão. Em 1977 compôs o samba-enredo da Portela Festa da aclamação (com Jabolô, Dedé e Valtemir).

Obra

Ganga Zumba, 1971; Lendas e mistérios da Amazônia (com Jabolô e Valtemir), samba-enredo, 1969; Meu dinheiro não dá (com Candeia), 1971; Perdi a namorada (com Jabolô e Valtemir), samba de terreiro, 1972.