domingo, setembro 26, 2010

Sussuarana

Hekel Tavares
Hekel Tavares (1896/1969) nasceu num berço musical: além da mãe pianista e pai flautista, cresceu em Alagoas ouvindo repentes, reisados, maracatus e congadas, e isto marcou sua vida para sempre. Quando veio para o Rio de Janeiro, em 1921, já tocava piano, harmônica e cavaquinho.

Estudou harmonia e composição com os maestros Francisco Braga e J. Otaviano, entre outros. Da mesma geração que Heitor Villa-Lobos e Francisco Mignone, Hekel aliou a sólida formação musical ao amor pela profusão de ritmos e formas que a música popular lhe oferecia.

E foi no teatro de revista que começou a compor de forma profissional. Durante a década de 20 compôs várias canções, com diversos letristas. Um dos mais constantes, o bamba Luiz Peixoto, o levou ao sucesso radiofônico com Sussuarana, pela voz de Gastão Formenti.

Sussuarana (toada, 1928) - Hekel Tavares e Luiz Peixoto

Disco 78 rpm / Título da música: Sussuarana / Autoria: Tavares, Hekel, 1896-1969 (Compositor) / Peixoto, Luiz (Compositor) / Formenti, Gastão (Intérprete) / Guimarães, Rogério (Acompanhante) / Violão (Acompanhante) / violões (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 1928 / Nº Álbum 10171 / Gênero musical: Canção


Faz três sumana / Que na festa de Sant'Ana
O Zezé Sussuarana / Me chamou pra conversar
Dessa bocada / Nóis saímo pela estrada
Ninguém não dizia nada / Fomo andando devagar

A noite veio / O caminho estava em meio
Eu tive aquele arreceio / Que alguém nos pudesse ver
Eu quis dizer / Sussuarana, vamo imbora
Mas Virgem Nossa Senhora / Cadê boca pra dizer

Mais adiante / Do mundo, já bem distante
Nóis paremo um instante / Predemo a suspiração
Envergonhado / Ele partiu para o meu lado
Ó Virgem dos meus pecados / Me dê a absorvição

Foi coisa feita / Foi mandinga, foi maleita
Que nunca mais indireita / Que nos botaram, é capaz
Sussuarana / Meu coração não me engana
Vai fazer cinco sumana / Tu não volta nunca mais


A Canção no Tempo - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Vol. 1 - Editora 34

Olhos japoneses

Francisco Alves
Olhos japoneses (valsa, 1928) - Freire Júnior

Título da música: Olhos japoneses / Gênero: Valsa / Francisco Alves (Intérprete) / Freire Júnior (Compositor) / Hotel Itabuja Orquestra (Acompanhante) / Gravadora Parlophon / Álbum 12812 / Gravação e lançamento: 00/1928 / Lado B / Disco 78 rpm


Olhos pequeninos / Olhos japoneses
Olhos que ferinos / Matam muitas vezes
De paixão a gente / Olhos que seduzem
Que me põem doente / Olhos que traduzem
Um amor ardente

Olhos buliçosos / Olhos tentadores
Olhos que maldosos / Ligam dois amores
Num só coração / Olhos delicados
Cheios de emoção / Só são encontrados
Mesmo no Japão

Caprichos da moda / Nossa alta roda
Faz imitação / São olhos pintados
De negro tarjeados / Causa sensação
A sua sedução / A influência do amor
O olhar da gueisha / Louco a gente deixa

Na raça amarela / A mulher que é bela
Esses olhos tem / Olhos desviados
Meigos, delicados / Os olhos pequenos
Em rostos morenos / Se encontram somente
Lá no Oriente

As manhãs do Galeão

Vicente Celestino
As manhãs do Galeão (tango, 1928) - Freire Júnior

Disco 78 rpm / Título: As manhãs no galeão / Autoria: Freire Junior (Compositor) / Vicente Celestino (Intérprete) / Orquestra Rádio Central (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Odeon, Junho/1928-Outubro/1928 / Álbum 10272 / Lado A / Gênero: Tango canção


Surge ao sol, raios brilhantes / nas montanhas verdejantes
que contornam a Guanabara / Sua luz rompendo ao dia
mostra o fundo da baía / uma praia em pérola rara

Esta ponta de uma ilha / verdadeira maravilhosa
bem juntinho ao continente! / Deu-lhe encanto a natureza
Se anoitece com tristeza / amanhece alegremente

Os amantes deixam os ninhos / ao romper da alvorada
Trinam alegres os passarinhos  / a canção da madrugada
Num sentimento profundo / diz a gente com emoção:
Nada mais belo no mundo / que as manhãs do Galeão

Sobre areias cor de prata / lindas jovens à frescata
buscam o banho matinal  / Pescadores gente boa
tiram a pesca da canoa  /  no labor habitual

Ondas vêm e ondas vão / entoando uma canção
que em soluços canta o mar / É a canção triste do amor
Faz prazer e causa dor  / Nos faz rir e faz chorar

Samba de caná

Turunas da Mauricéia
Samba de Caná (samba, 1927) - Tradicional

Disco 78 rpm / Título: Samba do caná / Autoria: não identificado (Compositor) / Augusto Calheiros, 1891-1956 (Intérprete) / Turunas da Mauricéia (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: Odeon, Indefinida / Álbum número 10073 / Lado B.



Versão cantada de Augusto Calheiros, em disco Odeon de 1953, álbum 13624, gênero musical intitulado como "embolada":

Salve Jaú

Aclamações de milhares de pessoas aos bravos aviadores do Jahú (Revista Careta - 09/07/1927)

João Ribeiro de Barros (Jaú-SP, 4/4/1900 — 20/7/1947), foi o primeiro aviador das Américas a realizar um voo transatlântico no dia 28 de abril de 1927, a bordo do hidroavião Jahú. Os demais tripulantes foram Arthur Cunha (na primeira fase da travessia) e depois João Negrão (co-pilotos), Newton Braga (navegador), e Vasco Cinquini (mecânico). Os quatro aeronautas partiram de Gênova, em Itália, até Santo Amaro (São Paulo), fazendo escalas em Espanha, Gibraltar, Cabo Verde, e Fernando de Noronha, já em território brasileiro. Ainda era uma época que tínhamos heróis "de verdade", como Santos Dumont e tantos outros.

Salve Jaú (marcha, 1927) - Salvador Correia

Título da música: Salve Jaú / Gênero musical: Marcha / Intérprete: Francisco Alves / Compositor: Correia, Salvador / Gravadora Odeon / Álbum 10025 / Gravação 00/1927 / Lançamento 00/1927 / Lado A / Disco 78 rpm.


Salve Jaú! / Ave altaneira / As tuas asas representam / A bandeira brasileira...

Uma outra composição (antes do evento) sobre o feito de nosso herói brasileiro, publicada em 26/11/1926, no jornal Correio da Manhã, composta por Antonio Peixoto Velho, com versos de Castro e Souza, editada pela casa Vieira Machado:

I

Triumphal, feliz / é o audaz "Jahú" / a bandeira do seu paiz. / Num gesto lindo, de brasileiro, / ninguém o vence no seu cruzeiro. / Pelo céo d'anil, / alma do Brasil, / rasga nuvens e vae a Deus. / E traz, em ancias, / de colossaes distancias, / a palma da victoria aos filhos seus!

II

É bandeira / que sobranceira, / à terra inteira / conseguiu se impor. / É estandarte / qu'em toda a parte / representará o poder d'um povo que tem valor!

______________________________________________________________________
Fontes: acervo.ims.uol.com.br/; Wikipédia; Correio da Manhã, de 21/11/1926; Revista Careta, de 9/7/1927.

O pequeno Tururu

Augusto Calheiros
O pequeno Tururu (samba, 1927) - Augusto Calheiros e Luperce Miranda

Disco 78 rpm / Título da música: O pequeno tururu / Autoria: Calheiros, Augusto, 1891-1956 (Compositor) / Miranda, Luperce (Compositor) / Calheiros, Augusto, 1891-1956 (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 1927 / Nº Álbum 10074 / Gênero musical: Samba.


Ôi balança o pequeno tururu
Ôi balança o pequeno de iaiá
Ôi balança o pequeno tururu
Ôi balança Benedito no ganzá
.................

Minha cumadi ainda ontem deu a luz
Se pegou-se com Jesus
Na porta da camarinha
Chamou-me na cozinha
Jeca me dá um tostão
Deixe de ser tão vilão
Vai comprar uma quarta de jabá
Que tu não come galinha
E balança o pequeno tururu ...

Indurinha de coqueiro

Augusto Calheiros
Indurinha de coqueiro (samba, 1927) - Tradicional

Disco 78 rpm / Título da música: Indurinha de coqueiro / Autoria: não identificado (Compositor) / Augusto Calheiros, 1891-1956 (Intérprete) / Turunas da Mauricéia (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 1927 / Nº Álbum 10066 / Data de Lançamento 11/1927 / Lado B / Gênero musical: Samba.

Helena

Augusto Calheiros
Helena (Samba, 1927) - Componentes do Turunas da Mauricéia

Título da música: Helena / Gênero musical: Samba / Intérpretes: Augusto Calheiros e Turunas da Mauricéia / Gravadora Odeon / Número do Álbum 10068 / Data de Gravação 00/1927 / Data de Lançamento 00/1927 / Lado A / Disco 78 rpm.