domingo, novembro 21, 2010

Eu não sou manivela

Eu não sou manivela (samba, 1953) - Ary Barroso - Interpretação: Araci de Almeida - "Samba é Aracy de Almeida" - Elenco, 1966 -

Você não tem nem a metade
Do valor que tinha outrora
Mudou, mudou, mudou

Só chega em casa
Pra dormir fora de hora
Não suporto mais
Manivela é que vai pra frente e pra traz

Hoje, vem e me abraça
Amanhã, nem me conhece quando passa
Não suporto mais
Manivela é que vai pra frente e pra traz

O primeiro milho é dos pintos

O primeiro milho é dos pintos (baião, 1953) - Fernando Martins e Vitor Simon

Título da música: O primeiro milho é dos pintos  /  Gênero musical: Baião / Intérprete: Diamantina Gomes / Compositores: Martins, Fernando - Simon, Vitor / Acompanhamento Regional / Gravadora Odeon / Número do Álbum 13514 / Data de Gravação 10/06/1953 / Data de Lançamento 10/1953 / Lado B / Disco 78 rpm


Escuta aqui, seu Jacinto
Onde come um, come dois
O primeiro milho é dos pinto
O galo come depois

Escuta aqui, seu Jacinto
Onde come um, come dois
O primeiro milho é dos pinto
O galo come depois

Tubarão come a tainha
Vence sempre o mais forte
Entre o galo e a galinha
O pintinho não tem sorte

Enquanto o pobre trabalha
O rico deita na cama
Papagaio come milho
Periquito leva a fama

Penha

Penha (samba, 1953) - Vicente Paiva e Luiz Peixoto

Disco 78 rpm / Título da música: Penha / Autoria: Peixoto, Luiz (Compositor) / Paiva, Vicente, 1908-1964 (Compositor) / Diamantina Gomes (Intérprete) / Orquestra (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 30/06/1953 / Nº Álbum 13514 / Data de Lançamento 10/1953 / Lado A / Gênero musical: Samba /

Penha
Numa estrada de granito
Penha
Que aos jardins do céu vai dar
Penha
Das alegres romarias
Das procissões
Das lanternas dos esplendorosos
E lindo altar
Sempre a brilhar

Penha
Onde a santa padroeira
Dá-nos o sorriso encantador
Ouve, com o ritmo de samba
A oração que a voz do bamba
Vai rezar em seu louvor

Jura

Zilda e Zé
Jura (samba, 1954) - Adolfo Macedo, Marcelino Ramos e Zé da Zilda

Título da música: Jura / Gênero musical: Samba / Intérpretes: Diamantina Gomes, Zé da Zilda e Zilda do Zé / Compositores: Macedo, Adolfo - Gonçalves, José - Ramos, Marcelino / Gravadora Odeon / Número do Álbum 13584 / Data de Gravação 00/1953 / Data de Lançamento 00/1954 / Lado B / Disco 78 rpm:


Foi uma jura
Que fiz de nunca mais amar
Foi uma jura
Que fiz de nunca mais amar

Ai, ai, ai, meu Deus
Pra que que eu jurei
Todo mundo sabe
Quebrei minha jura, quebrei.


(Repete tudo)

Vendedor de pirulito

Zilda e Zé
Vendedor de pirulito (marcha, 1954) - Zé da Zilda e Zilda do Zé

Título da música: Vendedor de pirulito / Gênero musical: Marcha / Intérpretes: Diamantina Gomes, Zé da Zilda e Zilda do Zé / Compositores: Gonçalves, José - Gonçalves, Zilda / Gravadora Odeon / Número do Álbum 13584 / Data de Gravação 00/1953 / Data de Lançamento 00/1954 / Lado A / Disco 78 rpm:


O que que há
Com seu Clemente,
Que está ficando,
Cada vez mais renitente,
Você quer ver ele contente
Compra um pirulito,
E dá pra ele de presente.

O que que há
Com seu Clemente,
Que está ficando,
Cada vez mais renitente,
Você quer ver ele contente ?
Compra um pirulito,
E dá pra ele de presente.

Lá vem o vendedor de pirulito,
Trazendo nas costas o latão,
Com a mão direita, toca castanhola,
Vende pirulito, com a outra mão...

Diamantina Gomes

Diamantina Gomes, cantora, atuou na década de 1950 e gravou discos pela Odeon e Copacabana. Estreou na vida artística em 1938, quando se apresentou no Cassino Atlântico.

Gravou seu primeiro disco em 1952, pela gravadora Todamérica, registrando duas composições de Peterpan o choro Comida pesada, e o baião Baião da roseira

No mesmo ano, contratado pela Odeon, gravou com acompanhamento de Charles Wilson no órgão, os fox-trots Cantando na chuva e Você nasceu pra mim, de Brown e Freed, com versão de Haroldo Barbosa. Ainda nesse ano, gravou com a orquestra de Osvaldo Borba o frevo-canção Eis o frevo, de Geraldo Medeiros e Guio de Morais.

Em 1953, lançou o samba Cansei, de Ataulfo Alves, e Eu não sou manivela, de Ary Barroso. Com esta marcha, fez sucesso no carnaval daquele ano. No mesmo ano, gravou com a orquestra de Osvaldo Borba os sambas-canção Separados... nada somos, de Don Al Bibi e Valdir Calmon, e Ninguém sabe, de Paulo Soledade e Fernando Lobo. Gravou ainda, o samba Penha, de Vicente Paiva e Luiz Peixoto, e o baião O primeiro milho é dos pintos, de Victor Simon e Fernando Martins.

Para o carnaval de 1954, gravou com a dupla Zé da Zilda e Zilda do Zé, a marcha Vendedor de pirulito, e o samba Jura, de Adolfo Macedo, José Gonçalves e Marcelino Ramos. No mesmo ano, gravou os sambas Não sabes o que diz, de José Gonçalves e Valdir Machado, e A garoa no samba, de Felisberto Martins e Hianto de Almeida, o beguine Ternamente, de Lawrence e Gross, em versão de Alberto Ribeiro, e o samba-canção Amor de louca, de Dora Lopes e  Bidu Reis.

Ainda em 1954, foi contratada pela gravadora Copacabana. No ano seguinte, lançou com acompanhamento de orquestra e coro, a marcha Tiro-tirolês, de Haroldo Lobo e Milton de Oliveira, e o samba Vem meu grande amor, de Claudionor Santos e Mário Blanco, além dos sambas-canção Se eu quisesse, de Átila Nunes, e Coisas do amor, de Valdir Rocha e Jorge Gonçalves.

Em 1956, gravou com orquestra e coro os sambas Medita um pouco, de Luiz Soberano e José de Oliveira Mendes, e Já é demais, de Dermeval Silva. Nesse ano, participou do LP Carnaval de 1956 Nº 2 da gravadora Copacabana cantando o samba Medite um pouco, de Luis Soberano e J. de Oliveira Mendes.

Discografia

(1956) Medita um pouco/Já é demais • Copacabana • 78; (1955) Tiro-tirolês/Vem meu grande amor • Copacabana • 78; (1955) Se eu quisesse/Coisas do amor • Copacabana • 78; (1954) Não sabes o que diz/A garoa no samba • Odeon • 78; (1954) Ternamente/Amor de louca • Odeon • 78; (1953) Separados... Nada somos/Ninguém sabe • Odeon • 78; (1953) Penha/Primeiro milho é dos pintos • Odeon • 78; (1953) Vendedor de pirulito/Jura • Odeon • 78; (1952) Comida pesada/Baião da roseira • Todamérica • 78; (1952) Cantando na chuva/Você nasceu pra mim • Odeon • 78; (1952) Eis o frevo • Odeon • 78; (1952) Cansei/Eu não sou manivela • Odeon • 78.

Fonte: Dicionário Cravo Albin da MPB; Bibliografia Crítica: AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

Homero Marques

Homero Marques (Homero Pereira - Circa 1925, Santos, SP), cantor, atuou na década de 1950, iniciando como crooner da orquestra de Clóvis Mamede com a qual gravou em 1950, pela gravadora Elite Special, o samba Cabrocha Beatriz, de Gentil Castro, e o frevo Na onda do frevo, de Clóvis Mamede.

No ano seguinte, já gravando solo, registrou pela Elite Special, com acompanhamento de orquestra, a toada A saudade fez morada, de Orlando Monello e Hubaldo Silva, os sambas Distante de ti, de David Raw, É tarde demais, de Gomes Costa e Hubaldo Silva, e Parece incrível, de Bilu e Osvaldo Cruz, o beguine Fantasia, de Gomes Costa e Hubaldo Silva, o samba-canção Brasa dormida, de Marino Pinto e Mário Rossi, e as canções natalinas Noite de Natal, de Irving Berlin, com versão de Júlio Nagib, e Meu sapatinho, de César Brasil e Vladimir de Melo. Nessa época, fez parte do cast da Rádio Excelsior, que contava com nomes como Francisco Egídio; Sólon Sales; Oscar Ferreira; Cauby Peixoto; Roberto Luna; e Mauricy Moura. 

Em 1952, lançou o bolero Pede que eu dou, de Osvaldo França, o samba Seu desprezo, de Avaré, o samba-canção Feiticeira, de Lupicínio Rodrigues e Felisberto Martins, com o qual esteve nas paradas de sucesso, a toada-baião Meu barquinho, de Pádua Muniz e Conde, a toada Quem quiser amar, de Elizinha Ribeiro e Fernando Martins, a valsa A vida continua, de Cristóvão de Alencar e Fernando Martins, o baião Broto é camondongo, de Maugéri Neto e Maugéri Sobrinho, o samba Não te conheço mais, de César Brasil, o beguine Falso amor, de Aloísio Figueiredo e Nelson Cerqueira, e o samba-canção Razão dos meus protestos, de F. Neto e H. Carvalho. Também no mesmo ano gravou em dueto com a cantora Neide Fraga o baião Vamos namorar?, de Maugéri Neto e Maugéri Sobrinho, com acompanhamento de regional.

Para o carnaval de 1953, registrou as marchas Jardim da vida, de Valdemar Gomes e Rogério Nascimento, e Só sei do carnaval, de José Gama de Souza. Nesse ano, foi contratado pela Odeon e lançou o fox Um lugar ao sol, de Waxman, Evans e Livingstone, com versão de Mário Campos, e o samba-canção Sonho de criança, de Francisco Carlos e José Roy, com acompanhamento de orquestra. Em seguida, gravou também com acompanhamento de orquestra as valsas Minha mãe, de Petrus Paulus, Sonho de outono, de A. Joice e Ariovaldo Pires, o Capitão Furtado, e Feliz natal, Brasil, de B. Contador, os sambas Homenagem ao rei, de José Roy e Fernando Martins, Vida vazia, de Otávio Lacerda e Rolando Candiano, Hoje é domingo, de Pancho e Panchito, o baião Papai Noel, de Ramez Abud, e o bolero Tu solo tu, de F. Valdez e Tito Lima.

Também no mesmo ano, gravou o samba Louca, tão louca, de Felisberto Martins e J. Piedade, e a marcha Barbeiro de Sevilha, de José Assad e João Grimaldi. Ainda em 1953, participou do filme O cangaceiro, de Lima Barreto, primeiro filme brasileiro premiado internacionalmente, interpretando o sucesso mundial que foi a música tema Muié rendeira ao lado de Zé do Norte, e o grupo Demônios da Garoa.

Em 1954, gravou os sambas Floresta de chaminés, de Luiz Antônio, e Salve a terra da garoa, de Osmar Campos Filho e Newton Teixeira.

Em 1959, foi contratado pela gravadora Continental e lançou o bolero-mambo Maldição cigana, de Bob Capói e Léo Belico, e o samba Samba naquela base, de Marino Pinto e Aloísio Barros, com acompanhamento de orquestra. No mesmo ano, lançou a marcha Miss Petrolina, e o samba Meu santo, ambas de João de Barro, o Braguinha.

Em 1960, gravou o samba 23 de abril (São Jorge), de Raimundo Acher, uma homenagem ao santo de grande devoção no Rio de Janeiro. Dois anos depois, gravou, com a orquestra dirigida pelo maestro Guerra Peixe, o bolero Ídolo de barro, de Umberto Silva, Paulo Aguiar e Luiz Mergulhão, e com acompanhamento da bandinha do maestro Guerra Peixe o samba Maria da maloca, de Vitor Dagô.

Em 2004, sua gravação do samba-canção Feiticeira foi relançada no volume dois da série de quatro CDs lançados pelo selo Revivendo em homenagem ao centenário de Lupicínio Rodrigues. No mesmo período, sua gravação do fox Um lugar ao sol, de Franz Waxman, Jay Livingstone e R. Evans, com versão de Mário Camargo foi relançada no CD Grandes versões - volume 5, da Revivendo.

Lançou doze discos pela Elite Special, sete pela Odeon e quatro pela Continental, interpretando obras de autores como Lupicínio Rodrigues, João de Barro, Ariovaldo Pires, Zé do Norte, Marino Pinto, Mário Rossi e Felisberto Martins, entre outros.

Faleceu na véspera do Natal de 1963, conforme escreve sua filha Myrian no comentário abaixo.


Musicas no playlist

01 Cabrocha beatriz (samba) - Gentil Castro / Gravadora Elite especial / Álbum 1002 / Gravação 1949-1955 / Lançamento 1949-1955 / Lado A / Disco 78 rpm; 02 Na onda do frevo (frevo) - Clóvis Mamede / Gravadora Elite especial / Álbum 1002 / Gravação 1949-1955 / Lançamento 1949-1955 / Lado B / Disco 78 rpm; 03 Mulhé rendeira (baião) - motivo popular / Acompanhamento: Demônios da Garoa / Gravadora Odeon / Álbum 13403 / Gravação 00/1953 / Lançamento 00/1953 / Lado A / Disco 78 rpm; 04 Vamos namorar? (baião) - Maugeri Neto e Maugeri Sobrinho / com Neide Fraga / Acompanhamento Regional / Gravadora Elite especial / Álbum 1089 /Lado B / Disco 78 rpm.

Discografia

(1962) Ídolo de barro / Maria da maloca • Continental • 78; (1960) 23 de abril (São Jorge) / Meu santo • Continental • 78; (1959) Maldição cigana / Samba naquela base • Continental • 78; (1959) Miss Petrolina / Meu santo • Continental • 78; (1954) Floresta de chaminés / Salve a terra da garoa • Odeon • 78; (1953) Jardim da vida / Só sei do carnaval • Elite Special • 78; (1953) Um lugar ao sol / Sonho de criança • Odeon • 78; (1953) Minha mãe / Sonho de outono • Odeon • 78; (1953) Homenagem ao rei / Vida vazia • Odeon • 78;  (1953) Feliz Natal, Brasil / Papai Noel • Odeon • 78; (1953) Tu solo tu / Hoje é domingo • Odeon • 78; (1953) Louca, tão louca / Barbeiro de Sevilha • Odeon • 78; (1952) Pede que eu dou / Seu desprezo • Elite Special • 78; (1952) Feiticeira / Meu barquinho • Elite Special • 78; (1952) Vamos namorar? • Elite Special • 78; (1952) Quem quiser amar / A vida continua • Elite Special • 78; (1952) Broto é camondongo / Não te conheço mais • Elite Special • 78; (1952) Falso amor / Razão dos meus protestos • Elite Special • 78; (1951) A saudade fez morada / Distante de ti • Elite Special • 78; (1951) É tarde demais / Parece incrível • Elite Special • 78; (1951) Fantasia / Brasa dormida • Elite Special • 78; (1951) Noite de natal / Meu sapatinho • Elite Special • 78; (1950) Cabrocha Beatriz / Na onda do frevo • Elite Special • 78.

Fonte: Dicionário Cravo Albin da MPB; Bibliografia Crítica: AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

Barra da Tijuca

Lúcio Alves
Barra da Tijuca (samba-canção, 1955) - Norival Reis e Irani de Oliveira

Título da música: Barra da tijuca / Gênero musical: Samba canção / Intérprete: Lúcio Alves / Compositores: Oliveira, Irani de - Reis, Norival / Acompanhamento Orquestra / Radamés Gnattali / Gravadora Continental / Número do Álbum 17055 / Data de Gravação 04/04/1955 / Data de Lançamento 01/1955 / Lado B / Disco 78 rpm:


Barra da Tijuca
Que bom lugar pra se amar
Barra da Tijuca
Você me faz recordar
Um certo alguém que eu amei
Não sei porque não me quis
Barra da Tijuca
Você me faz infeliz...

Quando a noite vem
Surgem em meu caminho
Casais e namorados
E eu sempre sozinho
Beijos e abraços
Fico a contemplar
Barra da Tijuca
Que bom lugar pra se amar...

Moreninha de Lisboa

Esther de Abreu
Moreninha de Lisboa (marcha fado, 1955) - Irani de Oliveira e William Duba

Título da música: Moreninha de Lisboa / Gênero musical: Marcha fado / Intérpretes: Ester de Abreu e Francisco Carlos / Compositores: Oliveira, Irani de - Duba, William / Acompanhamento Regional / Gravadora RCA Victor / Número do Álbum 801466 / Data de Gravação 18/05/1955 / Data de Lançamento 08/1955 / Lado A / Disco 78 rpm:


Linda morena / Lá de Lisboa
O meu carinho / Quero te dar
Lindo moreno / Sou toda tua
Desde o dia que te vi
Que eu vivo a te adorar

Linda morema / Trigueirinha de Lisboa
Tu és mesmo muito boa / Quero que sejas meu par
Por isso mesmo / Tenho ainda a esperança
De aprender a tua dança / Para contigo bailar...

Lindo moreno / Do Brasil lindo e fagueiro
Por um samba brasileiro / O meu coração suspira
Por isso mesmo / Se tu és de fato bamba
Ponha a me ensinar um samba / Que eu vou te
Ensinar o vira...

O vira que se dança lá no Minho
É um passo pra cá outro pra lá
É o samba que se dança bem juntinho
Eu duvido que a morena queira um samba dançar

E o samba só se dança agarradinho
Seu maestro vira ou vira
Bota um samba pra tocar

Novamente abril

Carlos Galhardo
Novamente abril (samba, 1955) - Ari Monteiro e Irani de Oliveira

Disco 78 rpm / Título: Novamente abril / Autoria: Monteiro, Ari (Compositor) / Oliveira, Irani de (Compositor) / Galhardo, Carlos, 1913-1985 (Intérprete) / Coro (Acompanhante) / Orquestra (Acompanhante) / Imprenta[S.l.]: RCA Victor, 07/01/1955 / Nº Álbum 801413 / Lançamento: 03/1955 / Lado A / Gênero: Samba /

Novamente abril / Vai surgir o calendário
Desde cada santuário / Um prenúncio de alegria

Novamente abril / É o mês da grande festa
E todo devoto presta / A São Jorge no seu dia

Novamente abril / Vejo mocinhas e velhas
A comprar rosas vermelhas / Pra seu santo ornamentar

Novamente abril / Missa de alvorada
Vai toda cidade / Rezar...

São Jorge / És meu santo guerreiro
Que dá festa no terreiro / Na igreja e no lar
São Jorge / Mes de abril é o teu mes
Salve o dia 23 / Vamos todos festejar

Feliz páscoa

Gilberto Alves
Feliz Páscoa (valsa, 1953) -  Ari Monteiro e Irani de Oliveira

Título da música: Feliz páscoa / Gênero musical: Valsa / Intérprete: Gilberto Alves / Compositores: Monteiro, Ari - Oliveira, Irani de / Acompanhamento Coro e Orquestra / Gravadora RCA Victor / Número do Álbum 801091 / Data de Gravação 19/01/1953 / Data de Lançamento 04/1953 / Lado B / Disco 78 rpm:


Tange os sinos: blim blim blom
Um prenúncio de imensa alegria
Tange os sinos: blim blim blom
É a paz que se anuncia
A capela pra rezar
Todo mundo cristão se conduz
Todos vão celebrar
A ressurreição de Jesus!

Feliz Páscoa!
Eu desejo à você
E o mundo repete a cantar
Feliz Páscoa, feliz Páscoa
Que Deus abençoe o seu lar!

Feliz Páscoa!
Eu desejo à você
E o mundo repete a cantar
Feliz Páscoa, feliz Páscoa
Que Deus abençoe o seu lar!

Uma cruz na estrada

Carlos Galhardo
Uma cruz na estrada (samba, 1953) -  Ari Monteiro e Irani de Oliveira
 
Uma homenagem da dupla Ari Monteiro / Irani de Oliveira ao inesquecível Chico Viola (Francisco Alves), o cantor-rei da música popular brasileira, falecido em desastre automobilístico em 1952.

Disco 78 rpm / Título: Uma cruz na estrada / Autoria: Monteiro, Ari (Compositor) / Oliveira, Irani de (Compositor) / Carlos Galhardo, 1913-1985 (Intérprete) / Orquestra (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: RCA Victor, 1953 / Nº Álbum 801116 / Lado A / Gênero: Samba /

Existe lá na beira da estrada
Uma cruz abandonada
Que nos traz recordação
Quem passa rende culto à saudade
De uma voz que a cidade
Consagrou com devoção

Eu sofro
E esta dor que me entristece
Faz do meu canto uma prece
À memória do cantor
Que foi meu grande amigo inseparável
Amizade interminável
Nos uniu seu violão
E hoje sufocando a minha mágoa
Os olhos rasos d'água
E uma cruz no coração...

Foi meu amigo inseparável
Amizade interminável
Nos uniu seu violão
E hoje sufocando a minha mágoa
Os olhos rasos d'água
E uma cruz no coração...