quarta-feira, dezembro 01, 2010

Cabrocha Maria

Gilberto Milfont
Cabrocha Maria (samba-canção, 1959) - Adelino Moreira

Título da música: Cabrocha Maria / Gênero musical: Samba canção / Intérprete: Gilberto Milfont / Compositor: Moreira, Adelino / Acompanhamento: Orquestra RGE / Gravadora RGE / Número do Álbum 10167 / Data de Lançamento 07/1959 / Lado A / Disco 78 rpm


Eu ouvia dizer que a gente do morro
Era mais feliz que nós aqui da cidade
E um dia suando um pedaço
Parti para o morro, paletó no braço
Para saber a verdade

Quando vi a madrugada chegando
O morro inteiro cantando
E lá embaixo a cidade deserta
Quase morta
Compreendi que afinal essa gente
É pobre, porém é contente
Tem o céu bem pertinho da porta

Comprendi quando a lua bonita
Surgia catita clareando o chão
Quando vi que as estrelas no alto
Estavam longe do asfalto
Mas quase na minha mão

Compreendi quando vi a cabrocha
Gingando faceira de pé no chão
Mas sofri quando ouvi dos seus lábios
Aquela frase tão fria:
Eu sou a cabrocha Maria
Não pense que eu sou Conceição

Compreendi quando vi a cabrocha
Gingando faceira de pé no chão
Mas sofri quando ouvi dos seus lábios
Aquela frase tão fria:
Eu sou a cabrocha Maria
Não pense que eu sou Conceição

Preciso de uma companhia

Ângela Maria
Preciso de uma companhia (samba-canção, 1962) - Adelino Moreira

Título da música: Preciso de uma companhia / Gênero musical: Samba canção / Intérprete: Ângela Maria / Compositor: Moreira, Adelino / Gravadora Rca victor / Número do Álbum 802526 / Lado B / Disco 78 rpm


Nunca mais em minha vida
Hei de pensar em ti
Nunca mais tu me dirás, querida
Se o disseres, fingirei que não ouvi
Como a planta que precisa
de água fresca todo dia,
Eu preciso de uma companhia

Que jeito de querer é o teu querer
Que abusa do direito de fazer sofrer
Dividindo o amor que devia ser de dor
Sumindo, pra voltar um mês depois
Como a planta que precisa
de água fresca, todo dia,
Eu preciso de uma companhia
(bis)

Eu te amo

Ângela Maria
Eu te amo (samba-canção,1962) - Adelino Moreira e Nelson Gonçalves

Título da música: Eu te amo / Gênero musical: Samba canção / Intérprete: Ângela Maria / Compositor: Moreira, Adelino - Gonçalves, Nelson / Gravadora Rca victor / Número do Álbum 802526 / Lado A / Disco 78 rpm


Eu te amo / Eu te amo
Eu te amo / Desesperadamente
Vejo nos olhos teus / A luz dos meus
Ò meu querido!

Eu te amo / Eu te amo
Eu te amo / Assim perdidamente
E sempre te direi / Que muito te amarei
Por toda a vida!

Se distante estás / O teu nome chamo
Com ternura e amor / Porque muito te amo
(Eu te amo! / Ah, como eu te amo!)

Se distante estás / O teu nome chamo
Com ternura e amor / Porque muito te amo
(Eu te amo! / Eu te amo!)
Eu te amo / Desesperadamente
E sempre te direi / Que muito te amarei
Por toda a vida!

Página portuguesa

Núbia Lafayette
Página portuguesa (marcha, 1962) - Adelino Moreira

Título da música: Página portuguesa / Gênero musical: Marcha / Intérprete: Núbia Lafayette  / Compositor: Moreira, Adelino / Acompanhamento Orquestra / Gravadora Rca camden / Número do Álbum 1108 / Data de Gravação 02/03/1962 / Data de Lançamento 03/1962 / Lado B / Disco 78 rpm


Uma aldeia que fumega, ai
Toda de fumo branquinho
Um coração que se entrega, ai
Numa onda de carinho

Aldeia inteira lidando
Logo que rompe a manhã
Vai pro trabalho cantando, ai
Na colheita da maçã

E cantando alegremente
Todos, todos, todos vão
Levando o trabalho em mente
E amor no coração

E com a mesma alegria
Cada qual com mais afã
Quando chega o fim do dia
Parece que em romaria
Trazem figos e maçãs

Ontem à noite

Núbia Lafayette
Ontem à noite (samba-canção, 1962) - Adelino Moreira

Título da música: Ontem à noite / Gênero musical: Samba canção / Intérprete: Núbia Lafayette / Compositor: Moreira, Adelino / Acompanhamento Orquestra / Gravadora Rca camden / Número do Álbum 1108 / Data de Gravação 02/03/1962 / Data de Lançamento 03/1962 / Lado A / Disco 78 rpm


Ontem à noite roubaste-me um beijo
Que calou fundo no meu coração
Reacendeu a chama de um desejo
Reavivou em mim velha paixão

Ontem à noite fizeste uma escrava
E submissa dos caprichos seus
Ontem à noite um gesto sem palavras
Modificou todos os sonhos meus

Quando caí em teus braços
No fogo daquele beijo
No calor dos teus abraços
Juro que tive desejo
De ser Desdêmona
Que morreu beijando
Nas mãos de Otelo
Que beijou matando

Vida

Núbia Lafayette
Vida (tango, 1962) - Adelino Moreira

Título da música: Vida / Gênero musical: Tango / Intérprete:  Núbia Lafayette / Compositor: Moreira, Adelino / Gravadora Rca camden / Número do Álbum 1143 / Data de Gravação 07/08/1962 / Lado B / Disco 78 rpm


Coisas acontecem nesta vida
Que a gente não consegue explicar
Gosta-se de alguém que é nossa vida
E outro nos espera no altar

O demônio às vezes nos assanha
Comigo aconteceu história assim
Pois ela hoje a seu lado é uma estranha
E eu tenho um estranho junto a mim

Por que é que eu não tenho o seu carinho
Pergunto a mim mesma num lamento
Por que é que ela saiu do meu caminho
Se agora não sai do meu pensamento

Às vezes delirando em ânsia louca
Eu fico a refletir no meu desejo
Por que é que beijamos outra boca
Se não sentimos nada nesse beijo

Razão

Núbia Lafayette
Razão (samba-canção, 1962) - Adelino Moreira

Título da música: Razão / Gênero musical: Samba canção / Intérprete: Núbia Lafayette / Compositor: Moreira, Adelino / Gravadora Rca camden / Número do Álbum 1143 / Data de Gravação 07/08/1962 / Lado A / Disco 78 rpm


Não penses que eu por medo
Evito encontrar-me contigo
Eu sei que tu tens razão
E a tua razão será sempre um castigo

Se eu te avistar na rua
Passo de ti bem distante
Eu sei que tu tens razão
Pela condição que eu tenho de amante

Tu chegaste primeiro que eu
Ele é teu, tens a primazia
A noite ele fica contigo
Comigo ele fica de dia

Eu terei que ser bem carinhosa
É a tua razão quem me diz
Serás sempre a mulher venturosa
Eu serei sempre a mulher infeliz

Intriga

Marilene Santiago
Intriga (samba-canção, 1962) - Adelino Moreira

Título da música: Intriga /Gênero musical: Samba canção / Intérprete: Marilene Santiago / Compositor: Moreira, Adelino / Gravadora Rca victor / Número do Álbum 802494 / Data de Gravação 23/07/1962 / Lado A / Disco 78 rpm


Não creias, meu amor, nessa intriga
Que ela não procede
É falso, é tudo mentira, é pura invenção
Que orgulho esse teu, meu amor
Que a verdade não cede
Que transforma em granito de pedra
O teu coração

Não deixes que a intriga
Envenene nossa existência
Que segue, de cego
Não vê minha inocência
Sem provas, sem julgamento
Eu não devo ser condenada
Porque até a ré confessa é julgada

Não deixes que a intriga
Envenene nossa existência
Que segue, de cego
Não vê minha inocência
Sem provas, sem julgamento
Eu não devo ser condenada
Porque até a ré confessa é julgada

Pra teu castigo

Nelson Gonçalves
Pra teu castigo (seresta, 1962) - Adelino Moreira

Título da música: Pra teu castigo / Gênero musical: Seresta / Intérprete: Nelson Gonçalves / Compositor: Moreira, Adelino / Gravadora Rca victor / Número do Álbum 802474 / Data de Gravação 00/1962 / Data de Lançamento 00/1962 / Lado B / Disco 78 rpm


Longe de ti / O meu viver é céu sem lua
Dia sem sol / E noite sem luar
Vou naufragando / Na balsa que flutua
Sem esperança / Sobre as ondas a vagar

Longe de ti / O meu viver atormentado
É como a terra / Que perdeu a floração
Só por saber que outro / Caminha ao teu lado
Quando fui eu aquele / Que tu deste o coração

Pra teu castigo / Na minha angústia louca
O que mais quero / O meu grande desejo
É que tu sempre / Que beijares outra boca
Sintas na boca / O gosto do meu beijo

Pra teu castigo / Na minha angústia louca
O que mais quero / O meu grande desejo
É que tu sempre / Que beijares outra boca
Sintas na boca / O gosto do meu beijo

O amanhã do nosso amor

Nelson Gonçalves
O amanhã do nosso amor (samba-canção, 1962) - Adelino Moreira 

Título da música: O amanhã do nosso amor / Gênero musical: Samba canção / Intérprete: Nelson Gonçalves / Compositor: Moreira, Adelino / Gravadora Rca victor / Número do Álbum 802474 / Data de Gravação 00/1962 / Data de Lançamento 00/1962 / Lado A / Disco 78 rpm


Amanhã eu sei que o sol / Virá com mais calor
E as fontes vão murmurar / Lindas canções de amor
O verde da campina / Será mais verde ainda
E à tarde, o por do sol / Terá a cor mais linda

Amanhã sei que as estrelas / Serão mais fulgentes
O luar e a deusa Lua / Estarão presentes
A noite será linda / O céu encantador
Porque terei nos braços / O meu querido amor

Amanhã sei que as estrelas / Serão mais fulgentes
O luar e a deusa Lua / Estarão presentes
A noite será linda / O céu encantador
Porque terei nos braços / O meu querido amor

Protesto

Nelson Gonçalves
Protesto (samba-canção, 1962) - Adelino Moreira

Título da música: Protesto / Gênero musical: Samba canção / Intérprete: Nelson Gonçalves / Compositor: Moreira, Adelino / Gravadora Rca victor / Número do Álbum 802445 / Data de Gravação 00/1962 / Data de Lançamento 00/1962 / Lado B / Disco 78 rpm


Eu parto agora chorando / A ti tudo deixando
Numa tristeza incontida / Parto com ela nos braços
E o coração em pedaços / Por te deixar ofendida

Mas direi por onde andar / Custe quanto me custar
Que nunca foste ruim / Que hoje sigo com ela
Por essa mulher ser aquela / Que Deus destinou para mim

Tu lançarás teu protesto / Dirás talvez que eu não presto
Deus sabe se tens razão / Mas eu prefiro este castigo
A continuar contigo / Sem amor no coração

Tu lançarás teu protesto / Dirás talvez que eu não presto
Deus sabe se tens razão / Mas eu prefiro este castigo
A continuar contigo / Sem amor no coração

Seresta moderna

Seresta moderna (samba, 1962) - Adelino Moreira

Título da música: Seresta moderna / Gênero musical: Samba / Intérprete: Nelson Gonçalves / Compositor: Moreira, Adelino / Gravadora Rca victor / Número do Álbum 802445 / Data de Gravação 00/1962 / Data de Lançamento 00/1962 / Lado A / Disco 78 rpm


Seresta moderna / Não tem poesia
Não tem noite de lua / Não tem luar
Não tem cavaquinho / Não tem violão
Nem mesmo um pandeiro / Para o samba ritmar

Seresta moderna / Agora é hi-fi
Num canto de sala / De um apartamento
Vitrola tocando / Bebida rolando
Gritinhos nervosos / À todo momento

Um gaiato / cantando sem voz
Um samba sem graça / Desafinado que só vendo
E as meninas de copo na mão / Fingindo entender
Mas na verdade / Nada entendendo...

Pela madrugada / Tudo está em paz
Ninguém sabe o que fez / Ninguém sabe o que faz
A noite termina / O samba tem fim
Amargurado / Por ser tratado assim...

Seresta moderna / Agora é hi-fi
Num canto de sala / De um apartamento
Vitrola tocando / Bebida rolando
Gritinhos nervosos / À todo momento

Um gaiato / cantando sem voz
Um samba sem graça / Desafinado que só vendo
E as meninas de copo na mão / Fingindo entender
Mas na verdade / Nada entendendo...

Pela madrugada / Tudo está em paz
Ninguém sabe o que fez / Ninguém sabe o que faz
A noite termina / O samba tem fim
Amargurado / Por ser tratado assim!

Quero saber

Núbia Lafayette
Quero saber (samba-canção, 1961) - Adelino Moreira

Título da música: Quero saber / Gênero musical: Samba canção / Intérprete: Núbia Lafayette / Compositor: Moreira, Adelino / Gravadora Rca camden / Número do Álbum 1085 / Data de Gravação 00/1961 / Data de Lançamento 00/1961 / Lado B / Disco 78 rpm


Sei que o futuro é um segredo
Que ninguém pode adivinhar
Quero saber enquanto é cedo
O amor que tens para me dar

Amor exige sacrifícios
Carinho e muita compreensão
Sem ele a vida é suplício
É amargor, desolação

Se apenas tens para me dar
Mágoa, tristeza e dissabor
Eu te aconselho a procurar
Alguém que goste desse amor

Será melhor sofrer agora
A mágoa da separação
Do que depois chorar na hora
E chega a tua ingratidão

Se apenas tens para me dar
Mágoa, tristeza e dissabor
Eu te aconselho a procurar
Alguém que goste desse amor

Será melhor sofrer agora
A mágoa da separação
Do que depois chorar na hora
E chega a tua ingratidão

Odeio-te meu amor

Ângela Maria
Odeio-te meu amor (samba-canção, 1962) - Adelino Moreira

Título da música: Odeio-te meu amor / Gênero musical: Samba canção / Intérprete: Ângela Maria / Compositor: Moreira, Adelino / Gravadora Rca victor / Número do Álbum 802419 / Data de Gravação 00/1961 / Data de Lançamento 1961-1962 / Lado B / Disco 78 rpm


Penso que te odeio / Mas te quero tanto
Que até nem creio / Chegar a te odiar
Faço tanta força / Para te esquecer
E choro, sem querer / Por ti chorar

Todos me aconselham que te dê desprezo
Quando mais aceso está meu coração
Mas o menor toque de carícia
Que me faças por malícia
Me encendeia de paixão

Para te odiar / Tudo faço e não consigo
Parece castigo / Minha mágoa, minha dor
Tento repelir / Os teus anseios de carinho
E só consigo dizer baixinho:
Odeio-te, meu amor!

Tento repelir / Os teus anseios de carinho
Só consigo dizer baixinho:
Odeio-te, meu amor!