segunda-feira, abril 25, 2011

Fiz o bobão




Doris Monteiro
Fiz o bobão (samba, 1961) - Luiz Reis e Haroldo Barbosa

Roubou meu bem
Fiz o bobão
Roubou meu bem
Com seu orgulho tão fugaz
Ficou com ele
Rolou com ele
Acreditando que estava me passando para trás.

Vejam vocês
Eu tinha tudo pra morrer de humilhação
Mas esperei porque no fim
Vence quem tem mais condição.

Ele voltou
Me procurou
E chorou tudo
Que eles choram
Choram sempre ao regressar

Voltou pra mim
O que era meu
E a infeliz ainda diz
Que quem roubou fui eu.



Samba de Orfeu

Samba de Orfeu (samba, 1959) - Luiz Bonfá e Antônio Maria



Introdução: 
C7M F7 Em7 Am7 D7 G7 C7M G4/7/9 

        C7M C7M/9         C7M C7M/9 
Quero viver,    quero sambar 
       C7M               A7            Dm7+ 
Até sentir a essência da vida me falta ar 
         Dm7 Dm6     Dm7 Dm7+ 
Quero sambar quero viver  
G4/7/9      G7           
Depois do samba, ta bem 
     Dm7     G7   C7M 
Meu amor, posso morrer 
        C7M C7M/9         C7M C7M/9 
Quero viver,    quero sambar 
       C7M               A7            Dm7+ 
Até sentir a essência da vida me falta ar 
         Dm7 Dm6     Dm7 Dm7+ 
Quero sambar quero viver  
G4/7/9      G7           
Depois do samba, ta bem 
     Dm7     G7   C7M 
Meu amor, posso morrer 
        Gm7    C7     F7M 
Quem quiser gostar de mim 
      Fm7          C6/9 
Se quiser vai ser assim 
        C7M   C7M/9   C7M C7M/9 
Vamos viver vamos sambar  
          C7M 
Se a fantasia rasgar  
     A7            Dm7 
Meu amor eu compro outra  
Dm7+     Dm7  Dm6      Dm7  Dm7+ 
Vamos sambar, vamos viver  
          G7 
O samba é livre,  
                Dm7  G7    C6/9 
Eu sou livre também até morrer. 

O milagre da volta

O milagre da volta (fox, 1959) - Fernando César e Armando Cavalcanti - Interpretação de Agnaldo Rayol



Volta meu amor
E deixa novamente que eu te afague
Não vás deixar que o nosso amor se acabe
Como um domingo que chegou ao fim
Volta meu amor
A tarde está cinzenta de saudade
E toda essa tristeza é na verdade
Saudade a mais que já não cabe em mim

Volta meu amor
A minha vida nasce em teu carinho
Para morrer a soluçar baixinho
Onde começa o meu viver sem ti
Volta meu amor
E faz do meu carinho o teu caminho
Transforma como um Deus a água enfim
Devolve até que eu tive que perdi