terça-feira, maio 17, 2011

Camisa dez

Luiz Américo
Camisa 10 (samba, 1974) - Luiz Airão

C7+   A7        Dm                G7
Desculpe seu Zagalo/     Mexe nesse time 
  C7+     Em             Eb0       Dm
Que tá muito fraco/ Levaram uma flecha, 
esqueceram o arco
               G7             C7+
Botaram muito fogo e sopraram o furacão
          A7 
Que nem saiu do chão
        Dm         G7
Desculpe seu Zagalo/   Puseram uma palhinha 
    C7+       Em          Eb0       Dm
Na sua fogueira/ E se não fosse a força desse tal Pereira
     G7                  C7+
Comiam um frango assado lá na jaula do Leão
   
Mas não tem nada não !
  E7
Cuidado seu Zagalo/O garoto do parque 
       Am            D7
Está muito nervoso/ E nesse meio-campo fica perigoso
            G7
Parece que desliza nesse vai não vai
     A7
Quando não cai

Dm   G7         C 
É camisa dez da seleção, laiá laiá laiá -  BIS
Dm                               C
Dez é a camisa dele/ Quem é que vai no lugar dele - BIS

       E7      Am
Desculpe seu Zagalo/A crítica que faço é pura brincadeira
                 D7
Espírito de humor , torcida brasileira !
           G7                  A7
A turma está sorrindo para não chorar ... /   Tá devagar


Desafio

Luiz Américo
Desafio (Cuca cheia de cachaça) (samba) - Luiz Américo

E7          Am 
Quando eu tiver,   
                              Em 
Com a minha cuca cheia de cachaça 
                                  F#7 
Te arranco dessa roda, te ganho na raça 
      B7                         Em 
Te levo pra ser dona do meu barracão 

Em 
Bateu, o leiteiro na porta  
              Am 
E gritou bom-dia 
    B7 
As luzes já se apagaram 
              Em 
Só não vejo Maria
E7 
Vive ligada no samba 
                  Am 
Sem dar bola pra vida 
  D7 
Ganhou o diploma da Escola 
                  G      E7    
Foi rainha na Avenida 

Em                                  Am 
Os meus amigos me falam, esquece a Maria 
B7                                Em 
Ela nasceu com o samba, ela é da folia 
E7                                 Am 
Ás vezes eu chego a pensar que é pura verdade 
D7 
Mas se ela demora a voltar 
                G      E7 
Esqueço a realidade


Turbilhão

Toquinho
Turbilhão (1975) - Toquinho e Mutinho

D       Bbm7  Am7 D7(13) G7M
Venha se per...der
      Gm6  F#7(13) F#7(b13) F#m7
Nesse turbilhão
           B7       E7(9)
Não se esqueça de fazer
        Em        A7(b13)   D A7
Tudo o que pedir esse seu co...ração

 D       Bbm7  Am7 D7(13) G7M
Venha se per...der
      Gm6  F#7(13) F#7(b13) F#m7
Nesse turbilhão
           B7       E7(9)
Não se esqueça de fazer
        Em        A7(b13)   D B7
Tudo o que pedir esse seu co...ração

           Em         A7(13)        D6 B7
Tem muita gente que só vive pra pensar
    Em      A7(13)       Am7 D7(13)
Existe aquele que não pensa pra viver
       G#m7(b5)        Gm6       D/F#          
Eu, por exemplo, na paixão, mesmo que tenha que sofrer,
   E7(9)         Em         A7(b13)
Eu abro o jogo e o coração e deixo o meu barco correr

Tem muita gente que não quer se complicar
Existe aquele que não perde a sua fé
Eu, por exemplo, meu amigo, pelo amor de uma mulher,
Eu viro a cara pro perigo e seja lá o que Deus quiser

Severina Xique Xique

Genival Lacerda
Severina Xique Xique (1975) - Genival Lacerda e João Gonçalves

Tom: C
  
Intro: Am  Dm  E7  (2x)
       E7  Am  (4x)

Verso 1:
           Am                   Dm
Quem não conhece Severina Xique-Xique,
                 E7                   Am
que montou uma butique para vida melhorar.
                              Dm
Pedro Caroço, filho de Zefa Gamela,
                 E7                       Am
passa o dia na esquina fazendo aceno para ela.

Refrão 2x:
                             Dm
Ele tá de olho é na butique dela!
           E7                Am
Ele tá de olho é na butique dela!

Verso 2:
      Am
Antigamente Severina,
     Dm                    E7
coitadinha, era muito pobrezinha,
                    Am
ninguém quis lhe namorar.
                                    Dm
Mas hoje em dia só porque tem uma butique,
                        E7
pensando em lhe dar trambique,
                    Am
Pedro quer lhe paquerar, viu?

(Refrão)

Verso 3:
      Am                     Dm
A Severina não dá confiança, Pedro,
                   E7                        Am
eu acho que'la tem medo de perder o que arranjou.
                                 Dm
Pedro Caroço é insistente, não desiste,
                  E7                        Am
na vontade ele persiste, finge que se apaixonou, haih.

(Refrão)

Verso 4:
Severina, minha filha, não vai na onda de Pedro.
Olha! Ele só tem interesse em você, sabe porquê?
Porque você tem uma botique, minha filha!
Agora você querendo um sócio, olha aqui seu Babá.
Hahahahai... passa lá Severina! Lá tá tão bonzinho agora!
Oh meu Deus, xau!.

(Verso 1) - (Refrão) - (Verso 2) - (Refrão)

(Verso 3) - (Refrão)

Verso 5:
Ô Severina, como é? Resolve minha filha!
Se quiser, psiu, passa lá! Hahai...
Ai, Jesus, olha se tu não vier, já tem uma loira!
Dona Graça tá lá! hiheiiehee ai, xau!.

Salve a Mocidade

Salve a Mocidade (samba/carnaval,  1975) - Luiz Reis

Lá vem a bateria da Mocidade Independente
Não existe mais quente
Não existe mais quete
É o festival do povo
É a alegria da cidade

Salve a Mocidade!
Salve a Mocidade!

Mestre André sempre dizia
"Ninguém segura a nossa bateria"
Padre Miguel é a capital
Da escola de samba
que bate melhor no carnaval!


Filho da véia

Filho da véia (samba, 1975) - Luiz Américo e Braguinha

Tom: F
Dm
Sou filho da véia ô
             Am
Eu não pego nada
             Dm
A véia tem força ô
E7            Am
Na encruzilhada

                   Dm
Não bati mais meu carro
                E7                  Am
Tem sempre uma grana e mulher de montão
             Dm
Tô sempre coberto dos pés a cabeça
           E7                 Am
Nêgo me encosta cai duro no chão

          Dm
Com sete pitadas
          E7                Am
Da sua cacimba, marafa e dendê
                               Dm
Um banho de arruda todinho cruzado
          E7                  Am
Na minha horta só tem que chover

(repete 1ª estrofe duas vezes)

Quem quiser acredite
ou então deixe de acreditar
A força que ela me deu
Só ela é quem pode tirar

Venço e não sou vencido
Aqui nesse reino ou em qualquer lugar
Os zóio de ionveja de boi mandingueiro
A véia levo profundo do mar

Na beira do mar

Teresa Cristina
Na beira do mar (samba, 1975) - Gracia do Salgueiro

Na beira do mar todo mundo brinca,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar todo mundo fica,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar nego joga bola,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar nego deita e rola,
Na beira do mar êêê.

Na beira do mar todo mundo fica,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar todo mundo brinca,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar nego joga bola,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar nego deita e rola,
Na beira do mar êêê.

Eu quero ver você chegar,
Na beira do mar êêê,
Se benzer e se jogar,
Na beira do mar êêê,
E depois trazer notícias,
Na beira do mar êêê,
Aonde mora iemanja,
Na beira do mar êêê.

Mas é por isso que eu não vou,
Na beira do mar êêê,
Eu tenho medo de me afogar,
Na beira do mar êêê,
Eu vou lá pra ver mariazinha,
Na beira do mar êêê,
Que está junto de zequinha,
Na beira do mar êêê.

Na beira do mar todo mundo brinca,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar todo mundo fica,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar nego joga bola,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar nego deita e rola,
Na beira do mar êêê.

Eu quero ver você chegar,
Na beira do mar êêê,
Se benzer e se jogar,
Na beira do mar êêê,
E depois trazer notícias,
Na beira do mar êêê,
Aonde mora iemanja,
Na beira do mar êêê.

Eu quero ver você chegar,
Na beira do mar êêê,
Se benzer e se jogar,
Na beira do mar êêê,
E depois trazer notícias,
Na beira do mar êêê,
Aonde mora iemanja,
Na beira do mar êêê.

Mas é por isso que eu não vou,
Na beira do mar êêê,
Eu tenho medo de me afogar,
Na beira do mar êêê,
Eu vou lá pra ver mariazinha,
Na beira do mar êêê,
Que está junto de zequinha,
Na beira do mar êêê.

Na beira do mar todo mundo brinca,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar todo mundo fica,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar nego joga bola,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar nego deita e rola,
Na beira do mar êêê.

Na beira do mar todo mundo brinca,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar todo mundo fica,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar nego joga bola,
Na beira do mar êêê,
Na beira do mar nego deita e rola,
Na beira do mar êêê.


Macunaíma

Macunaíma (samba-enredo/carnaval, 1975), Norival Reis e David Correia

Vou-me embora, vou-me embora
Eu aqui volto mais não
Vou morar no infinito
E virar constelação

Portela apresenta
Portela apresenta do folclore tradições
Milagres do sertão à mata virgem
Assombrada com mil tentações
Cy, a rainha mãe do mato
Macunaíma fascinou
E ao luar se fez poema
Mas ao filho encarnado
Toda maldição legou

Macunaíma indio, branco, catimbeiro
Negro, sonso, feiticeiro
Mata a cobra e dá um nó

Cy em forma de estrela
A Macunaíma dá
Um talismã que ele perde e sai a vagar
Canta o uirapuru e encanta
Liberta a magoa do seu triste coração
Negrinho do pastoreiro foi a sua salvação
E derrotando o gigante
Era o marques Piaimã
Macunaíma volta com a muiraquitã
Marupiara na luta e no amor
Quando sua pedra para sempre o monstro levou
O nosso herói assim cantou

Vou-me embora, vou-me embora
Eu aqui volto mais não
Vou morar no infinito
E virar constelação


Foi tudo culpa do amor

Odair José e Diana
Foi tudo culpa do amor (1975) - Diana e Odair José

Peço perdão mais uma vez
Se compliquei sua vida
Não tenho culpa se você chorou
Se não deu certo
Foi tudo culpa do amor

Não sei porque
Esse amor existiu entre nós
Agora só resta esquecer
O tempo é quem vai dizer
Só sei que está tudo acabado
Entre eu e você


Estrela da Madureira

Roberto Ribeiro
Estrela de Madureira (samba-enredo, 1975) - Alcyr Pimentel e Cardoso

Brilhando
Num imenso cenário
Num turbilhão de luz, de luz
Surge a imagem daquela
Que o meu samba traduz
Ah...
Estrela vai brilhando
Mil paetês salpicando
O chão de poesia
A vedete principal
Do subúrbio da central foi a pioneira

E...
Um trem de luxo parte
Para exaltar a sua arte
Que encantou Madureira
Mesmo com o palco apagado
Apoteóse é o infinito
Continua estrela
Brilhando no céu


Deixe meu marido em paz

Deixe meu marido em paz (1975) - Cláudia Barroso

Amiga não perca mais seu tempo
Amiga não torne a insistir
Antes que você sofra demais
Procure outro deixe o meu marido em paz

Olha quem avisa amigo é
Ele tem outras, mas sou eu sua mulher
Antes que você sofra demais
Procure outro deixe o meu marido em paz

Beleza que é você mulher

Benito Di Paula
Beleza que é você mulher (samba, 1975) - Benito Di Paula

Am7 F   D#°    E7  Am7 
La  laia  laia  la  laia          (BIS) 
Am7                  D7       G 
Vem mulher,pra ser a namorada 
         C7                 F7+ 
No meu samba e no compasso 
 E7      Am7   E7 
Vem sambar 
Am7      D7                  G 
Vou agradecendo em cada verso 
 C7                   F7+ 
Seu sorriso e seu gingado 
 E7      Am7  E7 
Vem sambar 
 A        C#7           F#m7  A7 
Vem com toda a sua calma 
  D7+           F   E7 
Aumentando a ilusao 
------- 
Am7 
Eu esqueco a tristeza 
       F 
Me perco nessa beleza      (BIS) 
     D#°    E7  Am7  E7 
Que e voce mulher 
 
-------- 
 A       C#7              F#m  A7 
Voce mulher de corpo e alma 
   D7+                F    E7 
Estremece a minha calma