segunda-feira, junho 13, 2011

Coleção


Coleção (canção, 1977) - Cassiano e Paulo Zdanowski
Tom: G
  
intro: G7M C/D Em7 Cm6 Bm7 E7 Am7 D7 Gm7 C/D

 G7M                    Em7                   Am7   D7
Sei que você gosta de brincar de amores
   Am7        D7    Bm   E7  Am7  D7
Mas oh, comigo não       (comigo não)
G7M
Sei também que você...
Em7                         Am7 F#m B7
Eu não sei       mais nada.
     Em7 Dm7 G7  C7M
Um dia você vai ouvir
    Bm7     Em7        Cm6
De alguém o que ouvi de ti
     Em7    Cm6       Em7         Dm7    G7
Então irá pensar como eu sonhei em vão
    C7M  Bm7
Não vá ou vá
  Em7       Cm6
Você é quem quer
Bm7         E7   Am7 D7     G7M
Quer saber? Eu amo     você

(solo) ( Gm7 C/D Em7 Cm6 Bm7 E7 Am7 D7 Gm7 C/D  E7 )

 A7M                                  F#m7      Bm7  G#m7  C#7
Sei também que você... eu não sei mais nada.
F#m7   Em7  A7  D7M
Um dia você vai ouvir
    C#m7          F#m7      Dm6
De alguém o que ouvi de ti
      F#m  Dm6      F#m7        Em7    A7
Então irá pensar como eu sonhei em vão
   D7M     C#m7
Não vá ou vá
  F#m7            Dm6
Você é quem quer
         C#m7 F#7    Bm7  E7
Quer saber?    Eu amo...
         C#m7 F#7    Bm7  E7
Quer saber?     Eu amo...
         C#m7 F#7    Bm7  E7  D
Quer saber?      Eu amo
     A7M   A
Você

Conto até dez

Luiz Ayrão
Conto até dez (samba, 1977) - Luiz Ayrão

Hoje eu conto até dez, pra não errar onde errei
Um, dois, três, quatro, cinco, seis,
Sete, oito, nove, no dez já me acalmei
Mas hoje, hoje eu conto até dez,
pra não errar onde errei
Um, dois, três, quatro, cinco, seis,
Sete, oito, nove, no dez já me acalmei

Um, eu era um, sem amor, sem prazer nenhum,
Dois, eu virei dois, quando eu a encontrei depois,
Três, viramos três e quatro
quando crianças enfeitaram nosso quarto
Mas cinco já era demais,
era um rival para perturbar a minha paz

Por isso hoje, hoje eu conto até dez
pra não errar onde errei
Um, dois, três, quatro, cinco, seis,
Sete, oito, nove, no dez já me acalmei
Mas hoje, hoje eu conto até dez
pra não errar onde errei
Seis, seis vezes disparei,
onde foi que eu atingi nem sei

Sete,sete jurados com razão
me condenaram a oito longos anos de prisão
Nove, nove anos se passaram do revés
Que me deu a experiência,
que amor não vale a penitência

Hoje eu conto até dez, pra não errar onde errei
Um, dois, três, quatro, cinco, seis,
Sete, oito, nove, no dez já me acalmei
Mas hoje, hoje eu conto até dez,
pra não errar onde errei
Um, dois, três, quatro, cinco, seis,
Sete, oito, nove, no dez já me acalmei


Carro de boi

Milton Nascimento
Carro de boi (1977) - Maurício Tapajós e Cacaso

Que vontade eu tenho de sair
Num carro de boi ir por aí
Estrada de terra que
Só me leva, só me leva
Nunca mais me traz

Que vontade de não mais voltar
Quantas coisas eu vou conhecer
Pés no chão e os olhos vão
Procurar, onde foi
Que eu me perdi

Num carro de boi ir por aí
Ir numa viagem que só traz
Barro, pedra, pó e nunca mais


Barra pesada


Barra pesada (Melô da Baixada - samba, 1977) - Dicró e José Paulo

Tom: C
  
Intr.: C   Cm   G   E7   A7    D7   G 
       C   Cm   G   E7   A7    D7   G    
       D7 

Refrão -------------
  
              G          E7               Am    E7    Am 
No lugar onde moro até ladrão tem medo de ir, 
              D7                          G           D7 
Eta lugar perigoso, igual aquele eu nunca vi (é isso ae!) 

--------------------
  

  G        E7      Am               D7               G 
Ladrão não anda de noite porque tem medo de ser assaltado, 
                  Dm   G7             C 
Já viraram o camburão, eta lugar carregado, 
                          Cm                 G 
Um cara foi assaltado por quatro sujeitos barbudos, 
  E7                  A7        D7             G           D7 
Levaram o dinheiro do cara e o anel com dedo e tudo (eta lugar!) 

G       D7     G       E7            Am     
Gente parece piada mas é perigoso de fato, 
     E7       Am            D7                       G 
A bandeira lá do meu lugar, tem o retrato de um gato, 
                 Dm          G7        C 
O motorista de entrega, está bobo até agora, 
                       G      E7 Am  D7   G           D7 
Roubaram o pneu do seu carro, à  60  Km à hora (eta lugar!) 

G      Em     Am           D7           G 
E na semana passada veja o que me aconteceu, 
                  Dm         G7             C  
O dente do cara doeu, ele mandou arrancar o meu, 
                               D7            G  
O vizinho que foi receber, o auxílio a natalidade, 
   E7                  A7          
Chegou um malandro e tomou dizendo 
    D7              G           D7 
  que era o pai de verdade (eta lugar!)

Arrombou a festa

Rita Lee
Arrombou a festa (1977) - Rita Lee e Paulo Coelho

Tom: G
Intr.: G

 G
Ai, ai, meu Deus, o que foi que aconteceu
      A        C     Cm   G    D
Com a música popular brasileira?
G 
Todos falam sério, todos eles levam a sério
      A        C         Cm      G
Mas esse sério me parece brincadeira 

   C
Benito lá de Paula com o amigo Charlie Brown
  D
Revivem nesses tempos o velho e chato Simonal
   C
Martinho vem da Vila lá do fundo do quintal
    D
Tornando diferente aquela coisa sempre igual

   C
Um tal de Raul Seixas vem de disco voador 
    D
E Gil vai refazendo seu xodó com muito amor
  C
Dez anos e Roberto não mudou de profissão
     D
Na festa de arromba ainda está com seu carrão

Parei pra pesquisar
 
 G
Ai, ai, meu Deus, o que foi que aconteceu
      A        C     Cm   G    D
Com a música popular brasileira?
G 
Todos falam sério, todos eles levam a sério
      A        C         Cm      G
Mas esse sério me parece brincadeira 

C 
O Odair José é o terror das empregadas
   D
Distribuindo beijos, arranjando namoradas 
  C
Até o Chico Anísio já bateu pra tu batê
       D
Pois faturar em música é mais fácil que entender
   C
Celly Campello quase foi parar na rua
     D
Pois esperavam dela mais que um banho de lua
    C
E o mano Caetano tá pra lá do Teerã
   D
De olho no sucesso da boutique da irmã

  G 
Bilú, bilú, fafá, faró, faró, tetéia
  A      C     Cm      G
Severina e o filho da véia
   A     C       Cm         G
A música popular brasileira
  A      C   Cm
A música popular

G 
Sou a garota papo firme que o Roberto falou 
   A      C   Cm
Da música popular
G
O tico-tico nu, o tico-tico cu, o tico-tico pá rá rá rá
A      C   Cm
Música popular
G
Olha que coisa mais linda, mais cheia de... 
A      C   Cm
Música popular
         G
Mamãe eu quero, mamãe eu quero
                 A      C       Cm     G
Mamãe eu quero a música popular brasilera
  G   D      G
Pega, mata e come!