sábado, agosto 31, 2013

Amor sincero


Silvinho
Amor sincero (bolero, 1963) - Silvinho e Roberto Muniz

Se eu te quero e tu me queres
E se teu amor é sincero
Por que brigamos tanto?

Este teu ciúme louco
Que me mata pouco a pouco
Meu Deus, será meu fim...

Por ti eu vivo chorando
Por ti eu vivo sofrendo
Essa dor que vive em mim

Se eu te quero e tu me queres
E se teu amor é sincero
Por que sofro tanto assim?...

Senhor! Tenha de mim compaixão
E me dê mais compreensão
E para ela, o teu perdão

Senhor! Ela não sabe o que faz
Mas meu amor é sincero
Por isso eu sofro demais...


Renato Guimarães

Renato Guimarães (Renato Diniz Guimarães), cantor, nasceu em 23/04/1939 no Rio de Janeiro, RJ, e faleceu na mesma cidade, em 1964. Intérprete do gênero romântico, fez muito sucesso com sua voz potente interpretando boleros, sambas-canções e baladas - foi para não ser confundido com ele que o cantor Nilton Guimarães mudou o nome para Nilton César (não confundir, também, com outro cantor que atende ora por Renato Guimarães, ora Renato Gabbiani).

No ano de 1960 gravou o fox-mambo Show na Cinelândia, de Zé Keti e Gilson Santomauro e os boleros Se Deus quiser, de Luiz Mergulhão e Flora Matos e Ninguém é de ninguém, de Luiz Mergulhão, Toso Gomes e Umberto Silva.

Mudou-se para São Paulo em final de 1961, quando gravou a Marcha das fontes, de Rubens Machado e Aderaldo Monteiro. No mesmo ano gravou o rock "Hey, Sheriff", de B. Kaye, D. Hill e E. Lee, com versão de Juvenal Fernandes e a guarânia Teus olhinhos, de Lúcio Cardim.

No ano seguinte gravou o samba canção Deus perdoa, de Lucio Cardim.

Em 1963 gravou os boleros Quem depois de mim, de Hervé Cordovil e David Nasser e Nasci para te amar, de Fernando Dias. No ano seguinte gravou Batuque do amor, de Mário Albanese e Heitor Carrilho e o bolero Amor sincero, de Nízio e Sebastião Aurélio.

Seu maior sucesso foi o bolero Poema, de Fernando Dias. Infelizmente, Guimarães faleceu ainda jovem.

Renato casou-se e teve uma linda menina, Cláudia Renata. Comprou a boite Saint Germain, lá pelos lados do Aeroporto de Congonhas, e gostava de colecionar bebidas.

Discografia


1960 Show na Cinelândia/Se Deus quiser • Chantecler • 78
1960 Outra noite/Ninguém é de ninguém • Chantecler • 78
1960 Trono azul/Tarde demais • Chantecler • 78
1961 Marcha das fontes • Chantecler • 78
1961 Hey, Sheriff/Teus olhinhos • Chantecler • 78
1962 Poema/Deus perdoa • Chantecler • 78
1962 Ausência/Antes e agora • Chantecler • 78
1963 Quem depois de mim/Nasci para te amar • Chantecler • 78
1963 Coisas de amor/Poema da solidão • Chantecler • 78
1964 Batuque do amor/Amor sincero • Chantecler • 78

_______________________________________________
Fonte: Arquivo do Rock Brasileiro.

Palavras de amor



Alcides Gerardi
Palavras de amor (bolero, 1962) - Paulo Borges - Intérprete: Alcides Gerardi

Quantas vezes
Naqueles tempos idos
Eu dizia com todo fervor
Palavras de amor

E agora
que estamos separados
Eu não posso dizer nunca mais
Palavras de amor

Eu vivo pedindo e chorando
Por você
O sonho que eu tenho na vida
É você

E agora
Depois de tanto tempo
Eu queria dizer outra vez
Palavras de Amor

Eu vivo pedindo e chorando
Por você
O sonho que eu tenho na vida
É você

E agora
Depois de tanto tempo
Eu queria dizer outra vez
Palavras de Amor



Ninguém gostou de alguém como eu gosto de ti



Orlando Dias
Ninguém gostou de alguém como eu gosto de ti (bolero, 1962) - Waldir Machado - Interpretação: Orlando Dias

Ninguém gostou de alguém
Como eu gosto de ti
Ninguém sofreu por alguém
Como eu por ti sofri

Amores eu já tive
Amei por distração
Amar como eu te amo
É alucinação

Por mais que eu beije
A tua boca linda
Por mais que tu me beijes
Eu quero mais ainda

Se o tempo passa
Aumenta esta paixão
Amar é bom, amar demais
Maltrata o coração

Ninguém me abraça, como tu
Ninguém me beija, como tu
Ninguém me fala, como tu
Ninguém, ninguém, ninguém...