quinta-feira, outubro 03, 2013

Sonho de um sonho

Sonho de um sonho (carnaval, 1980) - Martinho da Vila, Rodolfo e Graúna

Sonhei
Que estava sonhando um sonho sonhado
O sonho de um sonho
Magnetizado
As mentes abertas
Sem bicos calados
Juventude alerta
Os seres alados
Sonho meu
Eu sonhava que sonhava
Sonhei
Que eu era o rei que reinava como um ser comum
Era um por milhares, milhares por um
Como livres raios riscando os espaços
Transando o universo
Limpando os mormaços
Ai de mim
Ai de mim que mal sonhava
Na limpidez do espelho só vi coisas limpas
Como uma lua redonda brilhando nas grimpas
Um sorriso sem fúria, entre réu e juiz
A clemência e a ternura por amor da clausura
A prisão sem tortura, inocência feliz
Ai meu Deus
Falso sonho que eu sonhava
Ai de mim
Eu sonhei que não sonhava
Mas sonhei

Sol de primavera

Sol de primavera (1980) - Beto Guedes e Ronaldo Bastos
Tom: E

E             C#m7
Quando entrar setembro
G#m7    C#m7           A7+ A/C#
E a boa nova andar nos campos
B           A7+
Quero ver brotar o perdão
B              A7+
Onde a gente plantou
A/B           E
Juntos outra vez

             C#m7
Já sonhamos juntos
G#m7     C#m7           A7+ A/C#
Semeando as canções no vento
B              A7+
Quero ver crescer nossa voz
B            A7+  A/B
No que falta sonhar

E            C#m7
Já choramos muito,
G#m7        C#m7        A7+  A/C#
Muitos se perderam no caminho,
B                A7+
Mesmo assim não custa tentar
B         A7+
Uma nova canção
A/B               E
Que venha nos trazer
           C#m7
Sol de primavera

G#m7      C#m7          A7+  A/C#
Abre as janelas do meu peito
B          A7+
A lição sabemos decor
B               A7+
Só nos resta aprender

Só nos resta viver

Só nos resta viver (1980) - Ângela Rô-Rô
Tom: F
  

Intro: F Gm4/7 F/A  Csus4  (2X)

F7+              Am     D7/9-
   Dói em mim saber
           Gm     Gm/F
Que a solidão existe
     Em5-/7
E insiste
A5+/7        Dm7   Csus4
Non   teu coração

F7+              Am7  D7/9-
  Dói em mim sentir
               Gm7
Que a luz que guia
       Em5-/7
O meu dia
A5+/7   Dm7       Cm7  F7/9
Não te guia não...
Bb7+          Bb6
   Quem dera pudesse
                Bm5-/7  E7/9-
A dor que entristece
           Am7       pass  Gm7  Am7
Fazer compreender
Bb7+             Bb6
    Os fracos de alma
    Bb7+      Bm5-/7
Sem paz e sem calma
Bb7/11#     Am7   Csus4
Ajudasse a ver...

F7+             C/D    Gm7
  Que a vida é bela
         C7     Am7  Csus4
Só nos resta viver
F7+             C/D    Gm7
  Que a vida é bela
        C7     F7
Só nos resta viver...   intro


Só chora quem ama

Só chora quem ama (samba, 1980) - Wilson Moreira e Nei Lopes
Tom: F  

Introdução: Bb  Bbm6  F  D7  G7  C7  F 
            Gm7       C7            F

Quero ter alguém que conta de mim                  
            Gm7   Bb7    A7
Não suporto mais ficar sozinho                          
Am5-/7      D7         G7/9
....Preciso de uma companheira                          
               Gm7   C7   F
Que me dê conforto e carinho...
(eu preciso de alguém!)    (Refrão)

Am5-/7      D7         G7/9
....Preciso de uma companheira                          
               Gm7   C7   F
Que me dê conforto e carinho                            
D7             Gm7  
Ana Rosária da Silva 
                C7            F
 que é filha adotiva de Dona Nenê
                           Cm7   
Me chamou pra um tremendo pagode, 
              F7/9           Bb
 que o Juca Bigode armou em Xerém
               Bbm6                       
Eu disse: Ana Rosária, sem fogo na palha, 
                        Am7
          tu manda e não pede
       D7                Gm7  
Mas só vou se tu levar a filha 
           C7                 F
 da Dona Cecília com Seu Nicomedes

(Refrão)

D7              Gm7                 C7                   F
Me disse vovó Cambida que a minha mandinga só vai ter remédio
                Cm7   
Eu casando ou juntando 
                       F7                  Bb
 com a filha da Dona Cecília com seu Nicomedes
                  Bbm6                                   Am7
Seu Nicomedes no entanto, me disse que o santo pra ele mandou
    D7                    Gm7     
Só deixar que eu casasse provando 
                  C7               F
 que em vez de malandro, sou trabalhador

(Refrão)

D7             Gm7                  C7                   F
Essa mulata charmosa é a flor mais cheirosa da ala das damas
                       Cm7  
Do famoso terreiro de bamba, 
               F7                  Bb
 da Escola de Samba Só Chora Quem Ama
                  Bbm6                                    Am7
Eu que jamais vi pastora tão instigadora, tão linda e tão bela
          D7            Gm7   
Na maior privação dos sentidos 
             C7                 F
 fiz esse partido chorando por ela


Quero colo

Quero colo (1980) - Fábio Júnior
Tom: A		

Introd.:  Em7 Bm7 G/F F/G Dm/G

C7+
Ah! Eu quero colo
F7+              C7+
Quero colo sim, tipo surpresa
F7+             C7+
Quero só ter alguém sempre a mesa
F7+              Bb7+     G7
Que me olhe nos olhos e sinta
              C7+
Sinta que eu quero colo
F7+
De alguém que me chame
     C7+
Me chame de amigo
F7+                    C7+
Que me envolva então reclame um sentido
F7+    Bb7+                       Bm5-7     E7
Pra loucura, pra loucura que é a  gente se amar
   Am        Am/G                  D/F#         F#
Eu quero colo pra que eu possa ficar feito um menino
                         C/D
Pra esquecer que existe a dor como destino
D7,9                 Bm5-7
Do amor que nasce e morre
          E7
Porque é assim que deve ser
 Am7           Am/G                D/F#          
Eu quero colo, que me acolha e me afogue feito um sonho
F7+                                    Bb7+
Que perceba que eu quero e o que eu proponho
       G7                       F7+
É uma vida ou um momento pra viver
 C7+                                F7+    C7+ F7+
Viver, viver, viver, viver, viver, viver



Momentos

Momentos (1980) - Joanna e Sarah Benchimol

Vou te caçar na cama sem segredos
E saciar a sede do desejo
Deixar o teu cabelo em desalinho
E me afogar de vez em teu carinho


Quero ficar assim por toda a noite
A copiar teus traços lentamente
Deixar pousar meu beijo no teu corpo
Deixar que o amor se faça mansamente


Vem, ficar comigo no abandono desse abraço
E adormeça no meu peito teu cansaço
Que é tão difícil um momento pra nós dois...


Vem e traz contigo esta paz tão esperada
Faz dessa noite uma eterna madrugada
E só desperte quando a vida
...adormecer



Feminina

Feminina (1980) - Joyce
Tom: E  

    A7+/9                 E7/4  
- Ô mãe, me explica, me ensina, 
     A7+/9           A6/9
  me diz o que é feminina?
             E7/4                      E7   
- Não é no cabelo, ou no dengo, ou no olhar, 
          Em7             E7
  é ser menina por todo lugar.
    A7+/9            E7/4     A7+/9             A6/9
- Ô mãe, então me ilumina, me diz como é que termina?
             E7/4          E7  
- Termina na hora de recomeçar, 
              Em7              E7
  dobra uma esquina no mesmo lugar.
   C7(9/4)       C7/9          B7(9/4)    B7/9
Costura o fio da vida só pra poder cortar
  C7(9/4)          C7/9            B7(9/4)     E7(9/4)
Depois se larga no mundo pra nunca mais voltar
    A7+/9                 E7/4     A7+/9           A6/9
- Ô mãe, me explica, me ensina, me diz o que é feminina?
             E7/4                      E7   
- Não é no cabelo, ou no dengo, ou no olhar, 
          Em7             E7
  é ser menina por todo lugar.
    A7+/9            E7/4     A7+/9             A6/9
- Ô mãe, então me ilumina, me diz como é que termina?
             E7/4          E7   
- Termina na hora de recomeçar, 
              Em7              E7
  dobra uma esquina no mesmo lugar.
   C7(9/4)        C7/9            B7(9/4)   B7/9
Prepara e bota na mesa com todo o paladar
  C7(9/4)            C7/9          B7(9/4)     E7(9/4)
Depois, acende outro fogo, deixa tudo queimar

    A7+/9                 E7/4     A7+/9           A6/9
- Ô mãe, me explica, me ensina, me diz o que é feminina?
             E7/4                      E7   
- Não é no cabelo, ou no dengo, ou no olhar, 
          Em7             E7
  é ser menina por todo lugar.
    A7+/9            E7/4     A7+/9             A6/9
- Ô mãe, então me ilumina, me diz como é que termina?
             E7/4          E7   
- Termina na hora de recomeçar, 
              Em7              E7
  dobra uma esquina no mesmo lugar.
          E7/4                E7   
E esse mistério estará sempre lá, 
             Em7              E7
 feminina, menina, no mesmo lugar


Mais uma boca

Mais uma boca (1980) - Fátima Guedes

Quem de vocês se chama João?
Eu vim avisar, a mulher dele deu a luz
sozinha no barracão.
E bem antes que a dona adormecesse
o cansaço do seu menino
pediu que avisasse a um João
que bebe nesse bar,
me disse que aqui toda noite
é que ele se embriaga.

Quem de vocês se chama esse pai
que faz que não me escuta?
É o pai de mais uma boca,
o pai de mais uma boca.
Vai correndo ver como ela está feia,
vai ver como está cansada
e teve o seu filho sozinha sem chorar, porque
a dor maior o futuro é quem vai dar.
A dor maior o futuro é quem vai dar.

E pode tratar de ir subindo o morro
que se ela não teve socorro
quem sabe a sua presença
devolve a dona uma ponta de esperança.
Reze a Deus pelo bem dessa criança
pra que ela não acabe como os outros
pra que ela não acabe como todos
pra que ela não acabe como os meus

Essa tal criatura

Essa tal criatura (1980) - Leci Brandão
Tom: G		

Introdução:(F#m Bm C#7) 
 
 F#m               Bm       C#7 
Tira essas bota / Pisa na terra
F#m                 Bm           C#7 
Rasgue essa roupa / Mostra teu corpo
 C#m5-/7     F#7     Bm 
Limpa esse rosto / Coma poeira
 D#dim             G#dim 
Suja essa cara / Sinta o meu gosto 
 Bm    Cdim        F#m 
Morda uma fruta madura 
 C#m5-/7    F#7   Bm 
Lamba esse dedo melado
         Cdim                F#m 
Transa na mais linda loucura 
 D7         C#7             (F#m Bm C#7) 
Deixa a vergonha de lado 

 F#m             Bm        C#7 
Corra no campo / Leva um tombo 
F#m             Bm           C#7 
Rala o joelho / Mata esta sede
C#m5-/7   F#7     Bm  
Durma na rede / Sonha com a lua 
  D#dim            G#dim 
Grita na praça / Picha as paredes 
Bm   C             F#m 
Ama na maior liberdade 
C#m5-/7  F#7             Bm 
Abra,escancara esse peito 
          Cdim            F#m 
Chama so e linda a verdade 
 D7      C#7             (F#m Bm C#7) 
Nua sem ser preconceito 

F#m              Bm              C#7 
Tira essa fruta / Lambe essa terra
 F#m              Bm          C#7 
Pisa as paredes / Sinta esse sonho 
C#m5-/7    F#7      Bm 
Rala esse rosto / Transa com a lua 
D#dim             G#dim 
Morde essa cara / Linda tão nua 
 Bm   Cdim           F#m 
Faca da vergonha loucura 
C#m5-/7  F#7        Bm 
Abra,escancara a verdade 
    Cdim         F#m  
Ama essa tal criatura 
  D7        C#7           (C#m5-/7 F#7) 
Que envergonhou a cidade 
  (Em7/9/11  Fm7/9/11  F#m7/9/11)

Estrela guia

Estrela guia (1980) - Joanna e Sarah Benchimol

Tom: Sol menor (Gm) 
Introdução: 

Gm Gm5+ Gm6 Gm5+ F/G G7/13- C D4/7 
G7 Gm5-/7 C7 Em5-/7/9  A7/13- C/D D7/9- 

Gm          Gm5+        Gm6  Gm5+ 
Você chegou tão diferente 
Gm          Gm5+             Cm7 
Desconcertou meu coração 
     Am7           D7                Gm 
Depois do amor não vale a pena 
Em5-/7/9 A7/13- C/D D7 
Desapegar, desesperar 
Gm          Gm5+        Gm6  Gm5+ 
Você deixou meu canto triste 
Gm          Gm5+             Cm7 
E o desencontro em minhas mãos 
Am5-/7      Ab7/13   Gm    Bb7 
Deixou um rio de saudades 
Eb7M                            Am7  Ab7 
A margens do meu coração 
G6                  Bm 
Você passou na minha vida 
F/G              G7          C7M 
Como um vadio vendaval 
C#m5-/7      F#7  Bm5-/7    E7 
E eu já nem sei se me deixei levar 
Am7                   D7/9- 
Ou me sufoquei por não saber te amar 
G6                              Bm 
Ficou em minha covardia 
F/G        G7              C7M 
E a esperança de depois 
C#m5-/7     F#7       Bm5-/7  E7 
Você foi minha estrela-guia 
                 Am7        D7/9     G6 
Há tanto tempo e eu nem sabia 
G6                  Bm 
Você passou na minha vida 
F/G              G7          C7M 
Como um vadio vendaval 
C#m5-/7      F#7  Bm5-/7    E7 
E eu já nem sei se me deixei levar 
Am7                   D7/9- 
Ou me sufoquei por não saber te amar 
G6                              Bm 
Ficou em minha covardia 
F/G        G7              C7M 
E a esperança de depois 
C#m5-/7     F#7       Bm5-/7  E7 
Você foi minha estrela-guia 
                 Am7        D7/9     G6 
Há tanto tempo e eu nem sabia 

Demônio colorido

Demônio colorido (1980) - Sandra de Sá
Tom: E  

E 
Seus olhos  
                B 
Ao invés de verdes  
        C#m                     G#m 
Deveriam ser vermelhos, incandescentes,  
A                        E 
Na mão, ao invés de uma rosa  
     F#m               B 
Você deveria ter um tridente  
E              B 
Sua voz é tão suave  
        C#m                  G#m 
Quando deveria ser mais arrogante  
A                    E 
Vadiando na minha cabeça  
      F#m              B 
Não me deixa um só instante  
 
      E        B 
Mas eu vou lhe guardar  
              C#m     G#m 
Com a força de uma camisa  
  A         E 
Me despir do pavor  
   F#m            B 
Lhe chamar de amiga  
        E              B 
Vinte e quatro horas por dia  
     C#m       G#m 
Tentando meu juízo  
    A            E  
Foi unanimemente eleita  
    F#m          B E 
Meu demônio colorido

Circo sem lona

Circo sem lona (samba, 1980) - Antônio Carlos e Jocafi - Interpretação: Alcione

Feriu, não posso dizer
Que esse amor não feriu
Sabe como é
O homem tem sempre razão
E eu sou a mulher

Você quer salvar as aparências
mas esquece das minhas carências
Me acusa de impertinência
Quando exponho as minhas razões

Nosso amor é um circo sem lona
Já faz tempo que entrou em coma
É uma arma que não detona
Só um cego não vê

Cheiro de mato

Cheiro de mato (1980) - Fátima Guedes
Tom: G  

Intro: C7M/9 G/B Am Am/G F7+ F6 D/E

A7+            E/G#
Ai, ai o mato, o cheiro,o céu
   F#m7             F#m7/E
O rouxinol no meio do Brasil
     D7M/9            F/G
O Uirapuru canta prá mim
         G7/9
E eu sou feliz
         F/G
Só por poder ser
              A7+
Só por ser de manhã, manhã, manhã
E/G#
Manhã, manhã
    F#m7
Nessa clareira o Sol
    F#m7/E        D7M/9
Se despe feito brincadeira
        F/G          G7/9
Envolve quente a todo ser vivente
F/G
Taperebá
            A7+           E/G#
Canela, tapinhoã, nã nã nã nã
F#m7
Não faço nada
      F#m7/E                    D7M/9
Que perturbe a doida a louca passarada
   F/G                  G7/9
Ou iniba qualquer planta dormideira
   F/G          G7/9     A7+
Ou assuste as guaribas na aroeira
          E/G#             F#m7
Em contra-ponto com pardais urbanos
      F#m7/E                D7M/9
Tão felizes soltos,dentro dos meus planos
 F/G                    G7/9
Mais boquiabertos que os meus vinte anos
F/G         G7/9      A7+
Indóceis e livres como eu

( C7M/9 G/B Am Am/G F7+ F6 D/E )

A7+            E/G#
Ai, ai o mato, o cheiro,o céu
   F#m7             F#m7/E
O rouxinol no meio do Brasil
     D7M/9            F/G
O Uirapuru canta prá mim
         G7/9
E eu sou feliz
         F/G
Só por poder ser
              B7+
Só por ser de manhã, manhã, manhã
F#/A#
Manhã, manhã
    G#m7
Nessa clareira o Sol
    G#m7/F#        E7+
Se despe feito brincadeira
        G/A          A7/9-
Envolve quente a todo ser vivente
G/A
Taperebá
A7/9-   B7+           F#/A#
Canela, tapinhoã, nã nã nã nã
G#m7
Não faço nada
      G#m7/F#                 E7+
Que perturbe a doida a louca passarada
   G/A              A7/9-
Ou iniba qualquer planta dormideira
    G/A     A7/9-         B7+
Ou assuste as guaribas na aroeira
                         F#/A#
Em contra-ponto com pardais urbanos
  G#m7     G#m7/F#              E7+
Tão felizes soltos,dentro dos meus planos
 G/A               A7/9-
Mais boquiabertos que os meus vinte anos
G/A        A7/9-        B7+
Indóceis e livres como eu

Final: C7M/9 G/B Am Am/G F D/E A7+

Roberto de Carvalho

Roberto de Carvalho (Roberto Zenóbio Affonso de Carvalho), compositor e instrumentista, nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 16/11/1952. Vivendo junto com Rita Lee desde 1976 (os dois se casaram em 13 de dezembro de 1996 no civil), mantém uma parceria musical muito bem sucedida com a cantora, tendo composto a seu lado grandes sucessos da música brasileira, como Lança perfume, Saúde, Jardins da Babilônia, Doce vampiro, Nem luxo, nem lixo, Flagra, Desculpe o auê, Mania de você, Caso sério, Baila comigo, Amor e sexo dentre outros.

O casal tem três filhos: Beto Lee, João e Antônio, nascidos em 1977, 1979 e 1981, respectivamente. Toca violão, teclado, guitarra, ajuda nos vocais e é maestro da banda de Rita.

Participou de uma das formações finais da banda Tutti Frutti. Embora sejam a maioria de suas composições parcerias com Rita Lee, Roberto já trabalhou com nomes como Ney Matogrosso, Jorge Mautner, Arnaldo Antunes e Arnaldo Jabor, entre outros. Além disso, em 1991, gravou um CD solo.
________________________________________________________
Fontes: Wikipédia; Página oficial - www.RitaLee.com.br.

Bicho homem

Bicho homem (1980) - Milton Nascimento e Fernando Brant - Intérprete: Fafá de Belém
Tom: F  

Intro: Cm  F/C  Cm7  G#/C  Bb/C 

      Cm               F/C
Bicho homem tem de cantar
       Cm        G#/C
Como canta o sabiá
      Cm               F/C
Bicho homem tem de cantar
                         C#/C
Na luz da lua,na luz do sol
       Cm            F/C
Todo canto tem o poder
    Cm              G#/C
De unir e nos revelar
     G/C            Em
Todo canto é um farol
  C/E                Bb/D
Acende a paixão que há
   C/E            Bb/D
No fundo de cada um
   C/E            Bb/D
Ilumina o passarinho
            Bb     C
Que o homem tem interior
     C/E            Bb/D
Todo canto sempre será
     C/E             Bb/D
O contrário da solidão
     Gm
Todo homem quer ser parceiro
        G#/G
Qer festejar,cantar,cantar,cantar
      Cm                F/C
O meu canto sempre vai ser
 Cm                   Bb/C
Minha vida,o que eu sou
      G#/G                          C#/C
O meu canto chuta o traseiro do ditador
      Cm                F/C
O meu canto sempre vai ser
Cm                   G#/G
Minha vida,o que eu sou
      Gm             C#/C      C
Minha dor,minha alegria e meu amor
     C/E           Bb/D      C/E         Bb/D
Meu canto há de chamar para festa,para o sol
        C/E             Bb/D
O meu canto quer ser menino
           Bb               C
Quer ser palhaço,quer ser brasil
       C/E           Bb/D
O meu canto quer alegrar
       C/E             Bb/D
Quer brincar e se divertir
        Gm
Não é sério e nem é triste
          G#/G
Só é um canto e cantar é preciso

Cm             F/C
Lá lálá lálá lá lá
Cm             G#/C
Lá lálá lálá lálá
Cm             F/C
Lá lálá lálá lá lá
G/C            Em
Lá lálá lálá lálá

  C/E                Bb/D
Acende a paixão que há...
                G#/G
...só é um canto e cantar é preciso (2x)

A massa

Raimundo Sodré
A massa (1980) - Raimundo Sodré e Antônio Jorge Portugal

A dor da gente é dor de menino acanhado
Menino-bezerro pisado no curral do mundo a penar
Que salta aos olhos igual a um gemido calado
A sombra do mal-assombrado
É a dor de nem poder chorar

Moinho de homens que nem girimuns amassados
Mansos meninos domados, massa de medos iguais
Amassando a massa a mão que amassa a comida
Esculpe, modela e castiga a massa dos homens normais

Quando eu lembro da massa da mandioca mãe, da massa
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe, da massa
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe, da massa

A dor da gente é dor de menino acanhado
Menino-bezerro pisado no curral do mundo a penar
Que salta aos olhos igual a um gemido calado
A sombra do mal-assombrado é a dor de nem poder chorar

Moinho de homens que nem girimuns amassados
Mansos meninos domados, massa de medos iguais
Amassando a massa a mão que amassa a comida
Esculpe, modela e castiga a massa dos homens normais

Quando eu lembro da massa da mandioca mãe, da massa
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe, da massa
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe, da massa

When I remember of "massa" of manioc
Nunca mais me fizeram aquela presença, mãe
Da massa que planta a mandioca, mãe
A massa que eu falo é a que passa fome, mãe
A massa que planta a mandioca, mãe
Quand je rappele de la masse du manioc, mére
Quando eu lembro da massa da mandioca

Lelé meu amor lelé
No cabo da minha enxada não conheço "coroné"
Eu quero mas não quero (camarão)
Minha mulher na função (camarão)
Que está livre de um abraço, mas não está de um beliscão
Torna a repetir meu amor: ai, ai, ai!
É que o guarda civil não quer a roupa no quarador
Meu Deus onde vai parar, parar essa massa
Meu Deus onde vai rolar, rolar essa massa

Alô, alô marciano

Elis Regina
Alô, alô marciano (1980) - Roberto de Carvalho e Rita Lee - Intérprete: Elis Regina
Tom: G
  

Intro:  Em  F#m7  G7+  F#m7  F7+

Em            A/B
Alô, alô, marciano
  Em                A/B
Aqui quem fala é da Terra
Em          A/B
Pra variar estamos em guerra
 Em
                      A/C#
Você não imagina a loucura
        C7+               A/B
O ser humano tá na maior fissura
       Em
porque Tá cada vez mais
       Bb7/9
down o high society
Am          D7      G7+     C7+
Down, down, down O high society
F#m7        B7/9   Em      A/C#
Down, down, down O high society
C7+                Bm       E7
Down, down, down O high society
Am           D7
Down, down, down

Em            A/B
Alô, alô, marciano
        Em          A/B
A crise tá virando zona
Em                  A/B
Cada um por si todo mundo na lona
 Em                A/C#
E lá se foi a mordomia
          C7                 A/B
Tem muito rei aí pedindo alforria porque
 Em              Bb7/9
Tá cada vez mais down o high society

Em           A/B
Alô, alô, marciano
 Em                A/B
A coisa tá ficando russa
Em              A/B
Muita patrulha, muita bagunça
 Em                A/C#
O muro começou a pichar
           C7+             A/B
Tem sempre um aiatolá pra atola Alá
  Em             Bb7/9
Tá cada vez mais down o high society