quarta-feira, dezembro 06, 2006

Tambá-Tajá

Segundo um mito amazônico, na tribo dos macuxis havia um índio que, por muito amar sua esposa, levava-a sempre consigo para todo lugar, fosse para caçar, pescar ou lutar. Certa vez, o índio teve que ir para a guerra, mas a esposa ficou doente, sem poder andar. Não querendo separar-se de sua amada, ele fez um saco com folhas de bananeira, para poder carregá-la nas costas. Durante o combate, sua amada foi ferida e morreu. O índio, desesperado de amor, enterrou-se junto com ela. No lugar onde jaziam seus corpos, nasceu um tajá diferente, pois atrás de cada grande folha verde da planta nascia grudada uma pequena folha de forma vaginal. Renasciam assim os amantes, unidos novamente para sempre.

As plantas têm na Amazônia poderes curativos e mágicos, conhecidos pelos pajés e feiticeiros. O Tamba-tajá tem a propriedade especial de proteger os amantes. É por isso que a pessoa que canta se dirige a ele fazendo um pedido, uma espécie de prece pagã, que não é menos desprovida de fé que uma prece religiosa, pois os caboclos acreditam piamente no poder das plantas. Desse modo, devemos revestir de uma certa religiosidade sua execução (Fonte: Uma visão sobre a interpretação das canções amazônicas de Waldemar Henrique - Márcia Jorge Aliverti).

Tamba-tajá (canção, 1934) - Waldemar Henrique - Interpretação de Antonieta Fleury de Barros - Disco 78 rpm Continental 1948-1949 - Gênero musical: canção - Nº Álbum 16013 - Data de lançamento: 1949 - Lado A.



E7+    Fº   F#m4/7   F7/5-
Tamba-Tajá, me faz feliz
E7+      Fº            F#m  B7
Que meu amor me queira bem
G#m      Gm6/5+     F#m4/7           F7/5-
Que meu amor seja só meu, de mais ninguém
        G#m7          Gm6/4+           F#m4/7  F7/5-
Que seja meu, todinho meu, de mais ninguém

 E     C#7/9-  F#m  B7
Tamba-Tajá me faz feliz
G#m7   Gm6/5+     F#m
Assim o índio carregou
       B7
Sua macuxy
G#m7     Gm6/5+         F#m            B7  G#m
Para o  roçado, para a guerra, para a morte
        Gm6/5+         F#m         B4/7
Assim carregue o nosso amor à boa sorte

G#m     Gm6/5+ F#m4/7 F7/5-
Tamba-Tajá...
G#m7             Gm6/5+  F#m          B7
Que ninguém mais possa beijar o que beijei
G#m7         Gm6/5+      F#m           B7  G#m
Que ninguém mais escute aquilo que escutei
           Gm6/5+           F#m         B7/9-
Nem possa olhar dentro dos olhos que olhei
G#m     Gm6/5+ F#m4/7 F7/5-
Tamba-Tajá...