quinta-feira, setembro 13, 2007

Eu não sou cachorro não


Eu Não Sou Cachorro Não (bolero, 1972) - Waldick Soriano - Interpretação: Waldick Soriano

LP Ele Também Precisa De Carinho / Título da música: Eu Não Sou Cachorro Não / Waldick Soriano (Compositor) / Waldick Soriano (Intérprete) / Gravadora: RCA Victor / Ano: 1972 / Nº Álbum: 103.0056 / Lado A / Faixa 1 / Gênero musical: Bolero.


A 
 Eu não sou cachorro não 
                     E7           
 Pra viver tão humilhado 
 Eu não sou cachorro não 
                     A 
 Para ser tão desprezado 
 Tu não sabes compreender 
         A7             D 
 Quem te ama, quem te adora 
                    A 
 Tu só sabes maltratar-me 
       E7             A 
E por isso eu vou embora 
                  E7 
 A pior coisa do mundo 
                   A 
 É amar sendo enganado 
                           E7 
 Quem despreza um grande amor 
                   D 
 Não merece ser feliz 
                     A 
 Nem tão pouco ser amado 
 Tu devias compreender 
         A7           D 
 Que por ti tenho paixão 
              A 
 Pelo nosso amor 
               E7 
 Pelo amor de Deus                       
 Eu não sou 
           A  50 52 54 D 
 Cachorro não 
              A 
 Pelo nosso amor 
               E7  
 Pelo amor de Deus 
                      A 
 Eu não sou cachorro não 
 
  Solo: A A7 D A E7 A 
 
 A                E7 
 A pior coisa do mundo 
                   A 
 É amar sendo enganado 
                           E7 
 Quem despreza um grande amor 
                   D 
 Não merece ser feliz 
                     A 
 Nem tão pouco ser amado 
 Tu devias compreender 
         A7           D 
 Que por ti tenho paixão 
              A 
 Pelo nosso amor 
               E7 
 Pelo amor de Deus 
 Eu não sou  
           A  50 52 54 D 
 Cachorro não 
              A 
 Pelo nosso amor 
               E7 
 Pelo amor de Deus 
                      A 
 Eu não sou cachorro não.

Tortura de amor

Waldick Soriano
Tortura de amor - Waldick Soriano

G                     Em
Hoje que a noite está calma
           Am                 D
E que minh’alma esperava por ti
G             Em
Apareceste afinal
       Am                     D
Torturando este ser que te adora
    Bm Em             Am
Volta      fica comigo
              D
Só mais uma noite
G                 Em
Quero viver junto a ti
C          D
Volta meu amor
        G             Em
Fica comigo não me desprezes
            Am
A noite é nossa
           D             Bm E7
E o meu amor pertence a ti
Am            D   
Hoje eu quero paz
          G              Em
Quero ternura em nossas vidas
         Am            D
Quero viver por toda vida
            G
Pensando em ti

Waldick Soriano

Waldick Soriano (Eurípides Waldick Soriano), cantor / compositor, nasceu em Caetité BA em 13/5/1933. Até os 25 anos trabalhava na roça, foi peão, motorista de caminhão e garimpeiro. Em 1959 tentou a carreira artística em São Paulo SP, procurando sem êxito um lugar nas rádios Record e Piratini.

Na Rádio Nacional foi apresentado pelo diretor artístico Hélio Araújo ao diretor da Chantecler, sendo contratado para gravar Quem és tu? (de sua autoria). Começou a aparecer, marcando o estilo com uma mistura de Bienvenido Granda, Anísio Silva, Nelson Gonçalves e Vicente Celestino, vestindo-se de preto com óculos escuros, numa cópia de seu ídolo cinematográfico, Durango Kid. 

Com um repertório de músicas do estilo denominado dor-de-cotovelo, gravou em 1960 pela Chantecier o LP Quem és tu?, seguindo-se em 1961 Waldick Soriano, destacando-se neste uma de suas composições preferidas: Tortura de amor

Em 1962 gravou o LP Cantor apaixonado, destacando-se Se eu morresse amanhã (de sua autoria). No LP seguinte, O elegante Waldick Soriano, de 1964, destacavam-se A carta (Júlio Louzada e Jorge Gonçalves) e Eu vou ao casamento dela (com Chacrinha). No ano seguinte, o LP Como você mudou pra mim incluía Mundo cruel (com Teddy Vieira). 

Em 1967, gravou pela Copacabana Waldick sempre Waldick, destacando-se Minha última noite (com Roberto Stanganefli), e o LP Boleros para ouvir, amar e sonhar, incluindo Meu coração está de luto (com Antoninho dos Santos). O LP Waldick, de 1968, na Continental, trazia Me deixa em paz (de sua autoria), gravando em 1970, na mesma fábrica, No coração do povo, que incluía a sua Carta de amor. Dois anos depois, saem pela RCA seus LPs Eu também sou gente e Ele também precisa de carinho, incluindo seu grande sucesso Eu não sou cachorro não

Em 1974 gravou na RCA o LP Segue o teu caminho. Suas músicas de maior sucesso são os boleros Paixão de um homem e Eu não sou cachorro não, que o tornaram conhecido no Rio de Janeiro e em São Paulo. Sucesso constante no Norte e Nordeste do país, onde se apresenta em shows, atuou também nos filmes Paixão de um homem, dirigido por Egídio Eccio, 1972, e O poderoso garanhão, dirigido por Antônio B. Thomé, 1973. 

Tem 83 discos gravados, com destaque para Waldick Soriano interpreta Bienvenido Granda, Rosas perfumadas para alguém e Waldick Soriano e seus amigos (1998, Indie Records).

CD:

Waldick Soriano, 1997, Inde Records 71332. 

O pensamento de Waldick Soriano:

“A elite está carente. Ela sente a falta das músicas do tempo em que se dançava bem, da música romântica, que é imortal. Hoje, não existe mais um Altemar Dutra, um Nelson Gonçalves”.

“Meus shows sempre acabam em baile, porque o povo se lembra de quando namorado dançava com namorada, e amante com amante”.

“Não entendo por que rotulam a música romântica de brega. Essa nova geração nem sabe o que é isso! Brega é cabaré, é aquele lugar popular onde o homem vai procurar uma mulher”.

“O compositor é como o escritor: tem que ter motivo para sentar e escrever. Faço músicas, não musiquetas”.

“Tenho muitos imitadores. Todo mundo canta à la Waldick Soriano”.

“Muita gente pergunta se não vou envelhecer. O fato é que não tenho tempo para envelhecer”.

Pérolas musicais:

“Quem despreza um grande amor / Não merece ser feliz” (de Eu não sou Cachorro não).

“Tu não sabes compreender / Quem te ama, quem te adora / Tu só sabes maltratar-me / E é por isso que eu vou embora” (de Eu não sou Cachorro não).

“Apareceste afinal / Torturando este ser que te adora” (de Tortura de Amor).

“Fujo de ti porque o ciúme / É o meu fracasso / Tu me deixaste por um alguém / Que não te ama” (de Fujo de Ti).