segunda-feira, janeiro 22, 2007

Viola no paletó

Paulo Diniz
Paulo Diniz

Tom: A
Intro: A Bm E7 A F#7 Bm E7 A 
     A (A7)          Bm
Minha gente eu vim de longe
E7            A
Estou aqui cansado e só (2x)
 A7        Bm
Tenho muito prá contar E7 A Do que vi, por onde andei F#7 Bm Das estradas dos caminhos E7 A Dos lugares que passei A7 Bm Tô chegando e trouxe pouco E7 A Porque muito eu não ganhei (2x) A7 Bm Trouxe forças pra lutar E7 A Por um bem que já se fez F#7 Bm Trouxe uma vontade imensa E7 A De ficar de uma vez A7 Bm Trouxe um canto e um desencanto E7 A E um sorriso que consola F#7 Bm Muito amor dentro do peito E7 A Pouca coisa na sacola A7 Bm Trouxe o cansaço da vinda E7 A A7 De quem anda a pé e só D A E uma viola sofrida E7 A A7 Pendurada no paletó (repete até acabar)

Um chope pra distrair

Paulo Diniz
Paulo Diniz


51 52 Em7 A7    Em7       A7         D7+ A D7+ 51 52
Intro:25 23 34 23 34 32 45 44 44 42 44   
Em7         A7    Em7      A7       D7+ A D7+ 51 52
34 23 25 12 25 34 23 34 32 44 34 32 44 

Em7 A7  Em7 A7 Em7         A7        Em7 A7 D7+   A  
ELA PASSOU DEIXANDO UM SORRISO NO CHÃO DEU UM BANHO
D7+  A        Bm Bm7 G7+           F#m7
DE BELEZA EM MEUS OLHOS  AÍ COMEÇOU O  VERÃO    MIL
G7+             F#m7         Em7 A7 51 52
CORES PINTANDO O PAINEL COPACABANA
Em7 A7  Em7 A7 Em7      A7         Em7 A7 D7+ A
ELA PAROU NA LOJA DE DISCO E ESCUTOU A CANÇÃO QUE EU
Bm Bm7  G7+              F#m7   G7+
FIZ PRA ELA  A MINHA MESAGEM DE AMOR É TUDO QUE   EU
F#m7   Em7 A7           D7+       Em7 A7
TENHO PRA DAR CHOREI DE AMOR EU SEI UM   CHOPE   PRA
Em7
DISTRAIR.

Sabiá na seca

Paulo Diniz
Paulo Diniz

Introdução: ( Am  E  Am  E  Am ) 2x  ( E Am )
Am                  Dm          E
Vem cantar na minha terra, sabiá 
Am
Vem cantar pelo verão
Dm        E
Por que é que tu na seca, sabiá
Am
Abandona o sertão                   
Dm       E
Vem cantar somente um dia, sabiá        
Am
Lá no galho do chorão 
Dm         E
Prá tanger minha tristeza, sabiá         
Am
E matar minha paixão
E
Eu também sou como tu, sabiá    
Am
Também sinto a mesma dor   
Dm         E
Eu cantava todo dia, sabiá           
Am
Quando tinha meu amor     
E
Esse um dia foi-se embora, sabiá
Am
Só a tristeza deixou
Dm          E
Foi um tempo traiçoeiro, sabiá        
Am
Veio a seca e carregou       

Quero voltar pra Bahia


Quero Voltar Pra Bahia (1970) - Paulo Diniz e Odibar - Intérprete: Paulo Diniz

LP Quero Voltar Pra Bahia / Título da música: Quero Voltar Pra Bahia / Paulo Diniz (Compositor) / Odibar (Compositor) / Odibar (Intérprete) / Gravadora: Odeon / Ano: 1970 / Nº Álbum: MOFB 3664 / Lado A / Faixa 4 / Gênero musical: Samba / Samba-rock / MPB.


Tom: E
E     A                  E
: I don't want to stay here
B7                       E
I wanna to go back to Bahia :

 A                E
Eu tenho andado tão só
B7       E
Quem me olha nem vê
A                E
Silêncio em meu violão
 B7           E
Nem eu mesmo sei porque

D                A
De repente ficou frio
B7             E
Eu não vim aqui para ser feliz
D               A
Cadê o meu sol dourado?
 B7            E
Cadê as coisas do meu país?
E     A                  E
: I don't want to stay here
B7                  E
I wanna to go back to Bahia :
D               A
Via Intelsat eu mando
 B7                E
Notícias minhas para "O Pasquim"
D                 A
Beijos pra minha amada
 B7               E
Que tem saudades e pensa em mim
E     A                  E
: I don't want to stay here
 B7                  E
I wanna to go back to Bahia :

Piri Piri

Paulo Diniz
Paulo Diniz

Tom: F
Introdução: (F Bb) C7
F             Bb
Cana de canavial
F
Dá licença de chegar
Am7
Eu vim de Piri Piri
Gm7
Eu vim de Piri Piri
F             Am7
Vim pra ver como é que é
F
O amor que existe aqui
Am7
Será que é como é
Gm7
O amor de Piri Piri, hã
Cm7                      F
Lá, não há distinção de cor
Bb                     Am7
Lá, cada amigo é um irmão
Dm7      Dm7+         Dm6
Lá, galo canta é madrugada
G7
Caminhante faz parada
C7
Se apaixona pelo ar
Bb                      Am7
Lá, vagalume enfeita as noites de amor
Bb                  Am7
Lá, violeiro faz cantiga ao luar
Dm7       Dm7+         Dm6
Lá, sussurrando pela estrada
G7
Ficou minha namorada
C7
Uma lágrima a rolar
Bb             F
Eu vim de Piri Piri
C7             F
Eu vim de Piri Piri
Bb             F
Eu vim de Piri Piri,
C7             F
De Piri Piri, de Piri Piri, eu
Bb             F
Vim de Piri Piri
C7             F
Eu vim de Piri Piri
Bb             F
Eu vim de Piri Piri
C7             F
De Piri Piri, de Piri Piri
Bb
Cana de canavial
F
Dá licença de chegar
Am7
Eu vim de Piri Piri
Gm7
Eu vim de Piri Piri

Bb             F
Eu vim de Piri Piri
C7             F
Eu vim de Piri Piri
Bb             F
Eu vim de Piri Piri
C7             F
De Piri Piri, de Piri Piri

Bb             F
Eu vim de Piri Piri
C7             F
Eu vim de Piri Piri 
C7             F
De Piri Piri, de Piri Piri

Pingos de amor

Paulo Diniz
Kid Abelha

Pingos de amor - Paulo Diniz

Tom: C7+
Intro: C7+
       C7+
A vida passa, eu telefono
Dm7
E você já não me atende mais
Será que já não temos tempo
C7+
Nem coragem de dialogar
Ainda ontem pela praia
 Dm7
Alguma coisa me lembrou você
E veio a noite e namorados se beijando
 C7+
E eu estava só
       Em7 F7+            C7+
Vamos ser outra vez nós dois
Em7 F7+        Fm/Ab C7+
Vai chover pingos de amor... ooo
Dm7
de amor
C7+           Dm7
Pingos de amor,   pin pin pin
Do Início
Pingos de amor...

O chorão

Paulo Diniz
Paulo Diniz

Introdução: E F#m B E B7
      E
Vejam só que coisas engraçadas
F#m
A vida tem pra nos dar
B
Vou pedir que prestem atenção
E
A história que vou contar, hum E Outro dia a vinha pela rua F#m Quase morri de rir B Pois um cara que passou por mim E Chorava fazendo assim:
                        F#m               B
Hã, ram ram ram ram ram ram (hop hop hop hop
E
Hã, ram ram ram ram ram ram (hop hop hop hop
F#m               B
Hã, ram ram ram ram ram ram (hop hop hop hop
E
Hã, ram ram ram ram ram ram (hop hop hop hop  
         
É demais, é demais
F#m
Como chora esse rapaz
B
Não conheço outro cara assim
E
Chorar como ele faz
(solo) E F#m B E (3x) B7
(repete tudo)

Meu amor chorou

Paulo Diniz
Paulo Diniz

Tom: Am
Introdução: Am 
Am             B7      E7
O meu amor chorou,       
Am
não sei por que razão
Am             B7      E7
O meu amor chorou,        
A7
não sei porque razão
            Dm                  G7                  C
Também pudera eu não estava acostumado à vida de casado
F                 Dm
Faço força pra ficar em casa sossegado
E7                   Am         A7
Mas amor é tão difícil a gente se conter
                    Dm                 G7
Antigamente a minha vida era de bar em bar
C                   F
Pelas ruas da cidade a lua quando sai
Dm
Saudade vem e a gente vai E7 A7 E fica pela rua até o amanhecer
                  Dm
Mas te prometo um dia meu amor
E7              Am
Mudar de vida pra te consolar
Bb
E pra fazer seu gosto embora morra de desgosto
E7                  A7
Trocarei tudo o que tenho pr'ocê não chorar
                 Dm
Mas te prometo um dia meu amor
E7              Am
Mudar de vida pra te consolar
Bb
E pra fazer seu gosto embora morra de desgosto
E7                    Am
Trocarei tudo o que tenho pr'ocê não chorar
E7          Am
Não chorar, não chorar 

Maria das Dores

Paulo Diniz
Paulo Diniz

Tom: A
  A        A7+ 
Maria das Dores 
   F#7                      Bm
 cadê aquela rosa que eu te dei?
C#7                 F#m
Eu até notei que você nem a usa mais
 B7                       Bm
Também já sei que você tem outro rapaz
E7         Bm             E7       A
E por causa dele em mim não pensa mais
 C#7                    F#m
Você bem sabe que eu sou considerado
  C#7                    F#m     A7
Não dou bola pr'o azar e não sou de reclamar
D        F#°      A           F#7
A maior derrota é não saber perder
 Bm           E7           A           A7       BIS
Vou arranjar outra Maria pra esquecer você Laiá, laiá...)

E agora José?

Paulo Diniz
Paulo Diniz

Introdução: Dm  Am  E  Am (2x)
Am
E agora José?
Bm7/5-           Am
A festa acabou a Luz apagou
E               Am
O povo sumiu, a noite esfriou.
E  Am
E agora José?
E
E agora você?
Bm7/5-                Am
Você que é sem nome, que zomba dos outros,
E                 Am
Você que faz versos que ama protesta.
E  Am  E  Am
E agora José? Bm7/5- Am Está sem mulher, está sem carinho, E Am Está sem discurso, já não pode beber. Bm7/5- Am Já não pode fumar, cuspir já não pode, E Am A noite esfriou, o dia não veio. Bm7/5- Am O bonde não veio, o riso não veio, E Am Não veio a utopia e tudo acabou Bm7/5- Am E tudo fugiu e tudo mofou E Am E agora José? Bm7/5- Am Sua doce palavra, seu instante de febre. E Am Sua gula e jejum sua biblioteca Bm7/5- Am Sua lava de ouro seu terno de vidro E Am Sua incoerência seu ódio e agora? Bm7/5- Am Com a chave na mão quer abrir a porta E Am Não existe porta, quer morrer no mar. Am Bm7/5- Mas o mar secou, quer ir para Minas. E Am Minas não há mais José e agora? Bm7/5- Am Se você gritasse se você gemesse, E Am Se você tocasse a valsa vienense. Bm7/5- Am Se você dormisse se você cansasse E Am C E Se você morresse, mas você não morre. Am Bm7/5- Você é duro José sozinho do escuro. Am E Qual bicho do mato, sem teogonia, Am E Am Sem parede nua para se encostar Bm7/5- Am Sem cavalo preto que fuja a galope, E Am Você marcha José, José para onde? E Am (Você marcha José, José para onde?). E Am (Marcha José, José para onde?). E Am E (José para onde?). Am (Para onde?). E Am E agora José, José para onde? E Am E agora José, para onde? E Am E agora José, José para onde? E Am E agora José, para onde? E Am E agora José, para onde?

Chutando pedra

Paulo Diniz
Paulo Diniz
Introdução: F C G C C7 F C G C
C F          C         F                C F
Ah se eu fosse você, não me deixava não
C        F                  Bb      G
Eu faria até chover, pra quem me deu a mão, a mão
F            C         F                C   F
Eu faria o sol chegar, em pleno anoitecer, er
C        F                  Bb  G
E o coração lutar, pra gente não morrer, er
F                 C
Descalço eu dava bico em pedras
G                 C C7
E o mundo não teria final
F                 C
Descalço eu dava bico em pedras
G                 C
E o mundo não teria final
Solo: C G C C7 F C G C
C F           C        F                C   F
Se você pudesse ler, agora em meu olhar, ar
C        F               Bb   G
O que eu tenho pra dizer, e quando vou falar, ar
F           C       F               C     F
Um soluço logo vem, e eu não digo nada, nada
C          F
Sem você não sou ninguém,
Bb      G
Minha amiga amada, amada uohhh
F                 C
Descalço eu dava bico em pedras
G                 C        C7
E o mundo não teria final não, não, não, não
F                 C
Descalço eu dava bico em pedras
G                 C        C7
E o mundo não teria final, não, não, não
F                 C
Descalço eu dava bico em pedras
G                 C  C7
E o mundo não teria final
F                 C
Descalço eu dava bico em pedras
G                 C     C7
E o mundo não teria final, ah
F                 C
Descalço eu dava bico em pedras
G                 C
E o mundo não teria final, não, não, não.

Paulo Diniz


Paulo Diniz, cantor e compositor, nasceu em 1940, em Pesqueira, Pernambuco. Órfão de pai, dos 12 aos 16 anos trabalhou numa fábrica de doces da sua cidade. Depois, mudou-se para o Recife, onde tentou ganhar a vida engraxando sapatos, como locutor de casas comerciais e, em seguida, locutor da Rádio Jornal do Commercio, de onde foi demitido por pronunciar um nome errado.

Do Recife, seguiu para Caruaru, e, depois, para Fortaleza, Ceará. Em meados da década de 60 vai para o Rio de Janeiro e é contratado pela Rádio Globo.

No Rio de Janeiro, gravou seu primeiro disco - um compacto simples com as músicas Quem desdenha quer comprar e O chorão; esta última estourou nas emissoras de rádio de todo o Brasil e ele passou a freqüentar o programa de maior sucesso na televisão à época, o Jovem Guarda, comandado por Roberto Carlos.

Outros grandes sucessos que vieram depois: Quero voltar pra Bahia; Um chope pra distrair; Pingos de amor; E agora José? (poema de Carlos Drummond de Andrade); Ciranda do Mar (lançada em 30 países). Musicou, também, trechos do Poema sujo, de Ferreira Gullar.

Foi um dos poucos cantores/compositores que seguiram carreira com sucesso depois de passado o modismo da Jovem Guarda. Entre 1987/1996, não gravou nenhum disco, em decorrência de graves problemas de saúde que quase o deixaram paralítico.

Recuperado, em 1997 retomou a carreira, quando novamente já tinha residência fixa no Recife; grava um especial para a TV Educativa da Bahia e prepara-se para lançar novo CD com canções a partir de poemas de grandes poetas brasileiros, como Drummond, Augusto dos Anjos, Gonçalves Dias, Ferreira Gullar, Manuel Bandeira e outros.

Algumas músicas cifradas para violão: