quarta-feira, julho 11, 2007

Ed Mota


Ed Mota, cantor e compositor, nasceu no Rio de Janeiro RJ em 17/8/1971. Sobrinho de Tim Maia, quando criança não gostava de música dirigida ao público infantil, preferindo ouvir artistas pop como Stevie Wonder. Ao sete anos, tornou- se grande fã do movimento pop então dominante, a disco-music.

Em 1982-1983 passou a ouvir rock pesado, até descobrir o LP Blow by blow (1976), no qual o guitarrista inglês Jeff Beck fundia o rock ao jazz e à soul music. Abandonou então o colégio, no meio da sétima série, dedicando-se totalmente à música, até mesmo editando um fanzine sobre música negra, trabalhando como disc-jóquei e organizando, junto com uma amiga, uma semana sobre soul e funk no MIS, do Rio de Janeiro.

Pouco depois, conheceu o guitarrista Comprido (Luís Fernando) e fundou com ele o grupo Expresso Realengo, que logo mudou o nome para Conexão Japeri e foi contratado, em 1988, pela gravadora Warner. Nesse ano, gravaram o primeiro disco, Ed Mota e Conexão Japeri, do qual saíram dois grandes sucessos: Manuel e Vamos dançar.

Em 1990 desligou-se do Conexão Japeri e gravou seu primeiro disco solo, Um contrato com Deus, no qual ele e um amigo, Bombom, tocaram todos os instrumentos, por influência do instrumentista norte-americano de funk-soul, Prince.

Em meados da década de 1990, residiu durante um ano em New York, EUA, onde chegou a gravar um disco que foi muito elogiado por músicos como Paul Griffin (grupo Steely Dan) e o guitarrista de rhythm & blues Bo Diddley, e jornais como o New York Times.

Com o tempo, seu trabalho foi assimilando outras influências, como o erudito finlandês Jan Sibelius (1865—1957) e compositores brasileiros diversos, como Heitor Villa-Lobos e Guinga.

Gravou os discos: Entre e ouça (1992, Warner), Ao vivo (1993, Warner) e Manual prático para bailes, festas e afins (1997, Universal). Participou dos dois primeiros discos de Marisa Monte, do CD Salamandra, do grupo Blues Etilicos, e a da trilha sonora nacional do desenho animado da Disney O corcunda de Notre Dame (1997). Compôs, em 1997, a trilha sonora do filme Pequeno dicionário amoroso, de Sandra Werneck.

CD: Manual prático para bailes, festas e afins vol. 1, 1997, Universal UMD 51047.


Fonte: Enciclopédia da música Brasileira - Art Editora e PubliFolha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário