quarta-feira, agosto 08, 2007

Luís Melodia

Luís Melodia (Luís Carlos dos Santos), compositor e cantor, nasceu no Rio de Janeiro em 07 de janeiro de 1951. Filho de Osvaldo Melodia, boêmio e sambista no bairro do Estácio, desde os 14 anos gostava de cantar e criar músicas, tendo formado com os garotos da vizinhança o conjunto Os Instantâneos.

Nessa época, passou a freqüentar os programas de calouros de Jair de Taumaturgo, na Rádio Mauá e na TV Continental. Seu sucesso começou quando os compositores Torquato Neto e Waly Sailormoon o ouviram, no Estácio, cantando sua música Pérola negra, e a mostraram a Gal Costa, que a incluiu em seu LP Gala todo vapor, gravado na Philips em 1972.

Em fins do mesmo ano Maria Bethânia gravou Estácio, holy Estácio, em seu LP na Philips Drama — anjo exterminado. Mas foi a repercussão do disco de Gal Costa que lhe permitiu gravar, também na Philips/Polygram, em 1973, o primeiro LP, Pérola negra, interpretando suas composições, entre as quais Magrelinha, Estácio, holly Estácio, Vale quanto pesa e Farrapo humano.

Em 1975, no festival Abertura, da TV Globo, em São Paulo, foi finalista com a música Ébano. Em 1976, Juventude transviada fez enorme sucesso como tema da novela Pecado capital, da TV Globo, e foi gravada no seu LP Maravilhas contemporâneas, pela Som Livre, no mesmo ano. Gravou depois os LPs Mico de circo (1978, Som Livre), Nós (1980, Warner), Felino (1983, Ariola), Claro (1985, Copacabana) e Pintando o sete (1989, Polygram), com o qual retornou às paradas de sucesso interpretando Codinome Beija-Flor, de Cazuza, e os CDs Relíquias (1995) e 14 Quilates (1997), ambos pela EMI.

Gravou também músicas de outros compositores, com sucesso, sobressaindo entre elas A voz do morro, de Zé Keti, e Cordas de aço, de Cartola, além da já citada Codinome beija-flor, de Cazuza. Entre suas composições encontram-se sambas, chorinhos, xótis, rocks, blues, forrós e mambos com letras de temática essencialmente urbana.

Obras : Bola de cristal (c/Beto Marques), 1973; Divina criatura (c/Papa Kid), 1983; Estácio, eu e você, 1973; Estácio, holly Estácio, 1972; Farrapo humano, 1972; Jeito danado (c/Edil Macedo), xótis, 1995; Na calada da noite (c/Frejat), 1990; Pérola negra, 1972; Poeta do morro (c/Ruizinho e Luís Arurau), 1989; Pra aquietar, 1973; Presente cotidiano, 1973.

CD : 14 Quilates, 1997, EMI 364821530-2.