segunda-feira, janeiro 21, 2008

Amor non sense

Amor non sense - Juca Chaves

Na linha do horizonte pendurei tua saia
E a minha mão pegou na tua contra-mão
À sombra de uma dúvida eu dormi na praia
E construí meu lar na casa do botão
Levei meu olho-mágico pr’um oculista
Do teu ponto de vista fiz ponto final
No rabo do foguete eu encontrei tua pista
E enchi de novidade o furo do jornal.

Que idéia, que idéia
A lâmpada apagou a luz
O Léia, ó Léia
A Aliança do Progresso eu pus.

Mandei pintar o sete por Juarez Machado
Adormeci meu braço no leito do rio
Curei este soneto que tem pé quebrado
Tomei um caldo verde com sabor de anil
Passei a ouvir estrelas no céu de tua boca
Com a vela do meu barco iluminei o mar
Num disco de fricção gravei minha voz tão rouca
E derrubei a tarde com golpes de ar.

Que idéia, que idéia
A lâmpada apagou a luz
O Léia, ó Léia
A Aliança do Progresso eu pus.