sábado, março 01, 2008

Rosita Gonzales

Rosita Gonzales (Jussara de Melo Vieira), nasceu no Rio de Janeiro (08/11/1929) e faleceu na mesma cidade (28/2/1997). Iniciou a carreira artística em 1946 quando foi contratada pela Rádio Nacional.

No início dos anos 1950 ingressou na Rádio Mayrink Veiga. Assinou contrato com o selo Elite Special e lançou o primeiro disco em 1952 com os boleros Noite após noite,de Vitor Berbara e Haroldo Eiras e O 'm' da minha mão, de Mário Gennari Filho e Ribeiro Filho.

No mesmo ano, gravou os mambos Passa mañana, de Denis Brean e Blota Jr. e Sonrie la luna, de Alexandre Gnattali, J. Castilho e Clarice Gnattali e os boleros Lunita blanca, de Juanita Castilho e Alexandre Gnattali e Nenhuma ilusão, de Vitor Berbara e Altamiro Carrilho.

Ainda em 1952,assinou contrato com a Odeon e gravou com o instrumentista Roberto Ferri no solovox o bolero Numa noite de luar, de Hianto de Almeida e Haroldo de Almeida.

Em 1953, gravou o fox Chinita, Chinita, de Osvaldo Farrés e o beguine Porque volvi, de Haroldo Eiras e Vitor Berbara. Ainda nesse ano, gravou o samba-canção Aconteceu, de Luiz de França e Oscar Bellandi e o samba O mal que eu fiz, de Luiz Bittencourt.

Gravou no ano seguinte o pasodoble El novillero, de Agustín Lara e o bolero Si te llego a perder, de Roberto Martins e Aguimar. Ainda em 1954, participou com a Orquestra Ruy Rey, Grande Otelo, Jorge Veiga, Cauby Peixoto, Jackson do Pandeiro, Dircinha Batista e Emilinha Borba de show promovido pela Associação dos Servidores do Trabalho, Indústria e Comércio em comemoração ao Dia do Trabalhador.

Em 1955, gravou o tango A toca do José, de R. Adler, J. Ross e Ghiaroni e o bolero Não sei como foi, de Haroldo de Almeida. Em 1958, realizou uma longa temporada cantando em boates de São Paulo.

Em 1960, foi contratada pela gravadora Philips e gravou o tango A carta, de Bidu Reis e Murilo Latine e a guarânia Quero fitar teus olhos, de Arsênio de Carvalho e Lourival Faissal. Nesse ano, lançou pela Philips o LP Lo que te gusta a ti e no ano seguinte, o LP Boleros inolvidables.

Gravou em 1963 o bolero Confesion, de Joaquin Oliver e o cha cha cha Cuando calienta el sol, de Carlos Rigual e Mario Rigual. Em 1964, gravou pelo selo Repertório o choro Pranto, de Felício dos Santos e Gadé e a fantasia Noche azul, de Ricardo Bardaguer.

Na década de 1970, integrou o elenco do Brazilian follies, que fez temporada no Hotel Nacional, no Rio de Janeiro. Participou em 1989, ao lado das cantoras Nora Ney, Carmélia Alves, Violeta Cavalcanti, Zezé Gonzaga, e Ellen de Lima, do show As Eternas Cantoras do Rádio. Desse show foi gravado um LP lançado dois anos depois no qual interpretou as músicas As cantoras do rádio, de Alberto Ribeiro, João de Barro e Lamartine Babo, juntamente com as outras cantoras; Fascinação, de D.Marchetti e M. de Feraudy e Noche de ronda, de Maria Tereza Lara.

Na década de 1990,participou do CD Coisas Nossas, tributo a Noel Rosa, da Leblon Records, interpretando Pastorinhas, de Noel Rosa e João de Barro.