quinta-feira, maio 26, 2011

O surdo

Alcione
O surdo (samba, 1976) - Totonho e Paulinho Resende

Tom: G 
  
B7                     Em            
 Amigo, que ironia desta vida 
                  Am
 Você chora na avenida 
        B7                Em
 Pro meu povo se alegrar 
 Em        D7                  
 Eu bato forte em você 
           B7            Em
 E aqui dentro do peito uma dor 

 Me destrói                             
                Am
 Mas você me entende 
             B7                 Em  B7
 E diz que pancada de amor não dói 
    
 Em              Am
 Meu surdo parece absurdo 
               D7
 Mas você me escuta
                  B7            Em  B7
 Bem mais que os amigos lá do bar
     Em
 Não deixa que a dor 
              Am
 Mais lhe machuque 
                  D7
 Pois pelo seu batuque 
                  B7                     Em  B7
 Eu dou fim ao meu pranto e começo a cantar 
      Em                      Am
 Meu surdo bato forte no seu couro 
                     D7
 Só escuto este teu choro 
                B7              Em                 
 Que os aplausos vêm pra consolar 

REFRÃO:
 B7                     Em            
 Amigo, que ironia desta vida 
                 Am
 Você chora na avenida 
        B7                Em
 Pro meu povo se alegrar 
 Em        D7        
 Eu bato forte em você 
          B7              Em
 E aqui dentro do peito uma dor 

 Me destrói                             
                Am
 Mas você me entende 
             B7                 Em  B7
 E diz que pancada de amor não dói 
    
     Em                          Am
 Meu surdo, velho amigo e companheiro 
                    D7
 Da avenida e de terreiro, 
       B7                     Em   B7
 De rodas de samba e de solidão 
     Em                         Am
 Não deixe que eu vencido de cansaço 
                     D7
 Me descuide desse abraço 
                 B7                       Em                                   
 E desfaça o compasso do passo do meu coração