sábado, outubro 08, 2011

Homero Ferreira


Homero Ferreira, compositor, nasceu em 1929, no Rio de Janeiro, RJ. De família de músicos, irmão dos compositores Glauco, Renato e Ivan Ferreira, aprendeu a tocar violão ainda criança e desde jovem participava de serestas. Foi bancário por mais de trinta anos, profissão na qual se aposentou.

Quando bancário trabalhava perto da Rádio Mayrink Veiga o que acabou ajudando a enturmá-lo com nomes da música que atuavam naquela Rádio. Sua primeira composição gravada foi a marcha O que foi que eu fiz, parceria com os irmãos Renato Ferreira e Ivan Ferreira e lançada em 1952 pela gravadora Carnaval na voz de Geraldo Alves. Na mesma época o comediante Castrinho gravou também pela Carnaval a Marcha do patati-patatá, com Renato Ferreira e Ivan Ferreira.

Em 1960, obteve seu maior êxito como compositor com a marcha Me dá um dinheiro aí, parceria com os irmãos Glauco e Ivan. A idéia da música surgiu a partir do bordão "me dá um dinheiro aí" de um dos quadros escritos pelo irmão Glauco para o programa "A praça da alegria" da TV Rio. O outro irmão Ivan sugeriu que fizessem uma música a partir do bordão. E foi o que fizeram. A marcha foi gravada inicialmente pelo cantor Moacyr Franco, que fazia o papel do mendigo no referido programa, em disco lançado pela gravadora Copacabana em 1959.

Praticamente na mesma época foi feita uma segunda gravação em ritmo de tango por Aloísio e seus teclados. No entanto, antes mesmo do disco chegar às lojas, a marcha tornou-se um sucesso ao ser cantada no programa "A praça da alegria" por Moacyr Franco que dizia o bordão "me dá um dinheiro aí". Essa marcha tornou-se o maior sucesso do carnaval do ano de 1960 e um dos maiores clássicos do carnaval, sendo repetida ano após ano pelos foliões. Ainda em 1960, essa marcha seria regravada pela Lira de Xopotó em disco Sinter, e por Altamiro Carrilho e Sua Bandinha no LP "Parada de sucessos", em disco lançado pela Copacabana.

Também em 1960, o calipso-rock Rock do mendigo, com Ivan e Sérgio Ferreira foi gravado por Moacyr Franco, com sucesso, e o samba Colher de chá, com Ivan Ferreira e Renato Ferreira, foi lançado por Mara Silva, enquanto a marcha Velho bossa nova, também parceria com os irmãos Ivan e Renato foi registrada na gravadora copacabana por Moacyr Franco.

Em 1962, teve o samba-canção O culpado fui eu, com Renato e Ivan Ferreira gravado por Gilberto Alves. Nesse ano, Me dá um dinheiro aí foi gravado na forma de dobrado pela Banda do 14º Regimento de Infantaria do Recife em disco Mocambo.

Em 1963, fez com os irmãos Glauco e Renato a marcha Juba de leão, gravada por Tutuca na Copacabana. Em 1965, fez algum sucesso no carnaval com a marcha Me paga um óleo aí, com Glauco Ferreira, e interpretada por Noel Carlos.

Na década de 1970, a marcha Me dá um dinheiro aí foi regravado por Elizeth Cardoso no LP Elizeth no Bola Preta. Em 1975, Angela Maria registrou pela gravadora Copacabana o samba-canção Pra que ficar, com Jorge Costa. Em 1984, a marcha Me dá um dinheiro aí seria regravada por Beth Carvalho no LP Coração feliz, da RCA Victor.

Em 2004, foi convidado especial do conjunto Abrindo o Berreiro e apresentou-se no Bar dos Chico´s contando histórias do Carnaval. Em 2006, foi o grande vencedor do concurso de marchinhas carnavalescas promovido pela Fundição Progresso com a marcha Tá, tá muito bom, parceria com Chiquinho, um velho companheiro de boemia já falecido. A composição, feita há alguns anos e inscrita no concurso juntamente com mais 601 concorrentes ficou também conhecida como Marcha do viagra.

Em 2010, voltou a concorrer no concurso de marchinhas carnavalescas da Fundição Progresso inscrevendo duas marchas: Rio é campeão e Garota popozuda.

Obras

Cara feia, Colher de chá (c/ Ivan Ferreira e Renato Ferreira), Garota popozuda, Juba de leão (c/ Glauco Ferreira e Renato Ferreira), Marcha do patati-patatá (c/ Renato Ferreira e Ivan Ferreira), Me dá um dinheiro aí (c/ Glauco Ferreira e Ivan Ferreira), Me paga um óleo aí (c/ Glauco Ferreira), O culpado fui eu (c/ Renato Ferreira e Ivan Ferreira), O que foi que eu fiz (c/ Renato Ferreira e Ivan Ferreira), Pra que ficar (c/ Jorge Costa), Rio é campeão, Rock do mendigo (c/ Ivan e Sérgio Ferreira), Tá, tá muito bom (c/ Chiquinho), Velho bossa nova (c/ Glauco Ferreira e Ivan Ferreira).

Fonte: Dicionário Cravo Albin da Mpb.