terça-feira, janeiro 08, 2013

Carlos Dafé

Dafé nasceu em uma família de músicos do bairro carioca de Vila Isabel, aprendeu com o pai a tocar cavaquinho, bandolim e acordeom; mais tarde estudou baixo e piano, foi aluno do conservatório e tocou em orquestras. Nos anos 60 começou a trabalhar como cantor em boates do Rio e São Paulo. Nos anos 70 incorporou elementos de soul e firmou-se como um dos maiores nomes da soul music brasileira, ao lado de Tim Maia, Cassiano e Gerson King Combo.

Carlos Dafé (José Carlos de Sousa Dafé), compositor, instrumentista e cantor, nasceu em 25/10/1947 no Rio de Janeiro, RJ. Inicialmente, em 1967, apareceu no grupo Dom Salvador e Abolição, primeiro grupo de negros a tocar soul music em um festival da TV Globo.

Em 1972, gravou um compacto simples com as músicas Venha matar saudades e Verônica, ambas de sua autoria. Por essa época, Tim Maia ao ouvir esse seu primeiro disco, o convidou para integrar a sua banda como  tecladista e vocalista. Mais tarde, passou a fazer parte do movimento de soul music no Brasil (Movimento Black Rio), juntamente com Tim Maia, Dom Salvador, Cassiano, Gérson King Combo, Lincoln Olivetti e Sandra Sá, entre outros. No ano seguinte, apareceu como músico, tocando contrabaixo ao lado de Luiz Carlos Vinhas, Osmar Milito e Luizinho Eça.

No ano de 1974, gravou um compacto simples com as músicas Passarela e Bloco da minha rua, ambas de sua autoria. Neste mesmo ano, Alcione interpretou Acorda que eu quero ver e Nana Caymmi interpretou Passarela e Acorda que eu quero ver.

Em 1976 Dóris Monteiro gravou Pra não padecer e Núbia Lafayette interpretou Basta um gesto seu. No ano posterior, em 1977, foi incluído uma composição sua Pra que vou recordar o que chorei, na novela Dona Xepa, da TV Globo, saindo neste mesmo ano, o disco com a trilha sonora pela gravadora Som Livre.  Ainda neste mesmo ano de 1977, a gravadora Warner lançou o LP Pra que vou recordar o que chorei. Neste mesma época, foi produzido para o programa Fantástico, da TV Globo dois clips com as músicas De alegria raiou o dia (c/ Mita) e Bichos e crianças (c/ Marilda Barcelos).

Lançou pela Warner o LP Venha matar saudades em 1978. No ano posterior gravou o disco Malandro dengoso, lançado pela Warner.

A gravadora RCA Victor, em 1983, lançou o disco De repente, do qual foi produzido para o programa Fantástico, da TV Globo um clip com a música De Repente (c/ Reyna). No ano seguinte, lançou um compacto simples pela gravadora RGE com a música Deixa pra lá. Neste mesmo ano, a música foi incluída na novela Livre Pra Voar, da TV Globo, saindo posteriormente em LP pela Som Livre, integrando a trilha da novela. Em 1985, a gravadora Acorde lançou o disco O Trem da gente.

Em 1997 foi lançado o CD O seu jeito de olhar produzido por Gabu (do Grupo Raça Negra) para o Selo Perfil. O disco teve como destaque a música O seu jeito de olhar. Neste mesmo ano, Mart'nália no disco Minha cara, lançado pela gravadora ZFM Records, interpretou Pra que vou recordar o que chorei. A Warner Music no ano seguinte, em 1998, lançou, através da Coleção Pop, uma coletânea reunindo seus maiores sucessos extraídos dos três discos feitos para a gravadora.

No ano 2000, a gravadora Warner Music, através da "Série Dois Momentos", lançou em um único CD, os dois discos Pra que vou recordar o que chorei e Venha matar saudades, produzido por Charles Gavin (do grupo Os Titãs).

Em 2001 o grupo Katinguelê regravou Venha matar saudades; Dom Mita regravou De alegria raiou o dia (c/ Dom Mita), disco no qual participou em dueto com o parceiro e ainda incluiu neste mesmo disco, Que sorte a minha (c/ William Félix). Neste mesmo ano, mais dois LP' s seus foram relançados em CD: Malandro dengoso, de 1979 e De repente, de 1983. Ainda neste ano, Seu Jorge (ex-integrante do grupo Farofa Carioca) interpretou no disco Samba esporte fino a composição Pra que vou recordar o que chorei e De alegria raiou o dia, nesta última, contando com a participação especial do compositor.

Em 2002 participou da coletânea "Conexão carioca 3" produzida por Euclides Amaral e com apresentação do poeta e letrista Sergio Natureza e no ano seguinte, apadrinhou a coletânea de novos talentos "Quem são os novos da MPB?", produzida por Lúcio Sherman e lançada pelo selo Puro Som.

Em 2004 recebeu diversos convidados, Hyldon e Gérson King Combo, entre outros, na casa de show Dandi Brasil, em Ipanema, Zona Sul do Rio de Janeiro. Neste mesmo ano duas composições de sua autoria foram incluídas na coletânea Black Music Brasil, do selo Som Sicam, foram elas, Olhando para o céu em parceria com Lúcio Sherman interpretada pelo próprio e ainda De alegria raiou o dia, em parceria com Dom Mita, interpretada por ambos.

No ano de 2006 pela gravadora Universal e em carreira solo, Negra Li lançou o disco Negra livre, no qual regravou Tudo era lindo, um antigo sucesso de sua autoria. Neste mesmo ano com o grupo paulista   Bambas & Biritas, gravou o DVD (ao vivo) no Auditório do Ibirapuera, em São Paulo.

Em 2007, com Bnegão, Thalma de Freitas, Ganjaman, Grupo Montage, banda Instituto e o quarteto de rock pernambucano Mellotrons, foi um dos convidados do "Festival Rec-Beat", em Recife. Na ocasião dividiu o palco com Bnegão e a cantora e atriz Thalma de Freitas, com quem interpretou composições de Tim Maia. Neste mesmo ano, ao lado de Verônica Sabino, Ednardo e Totonho e Os Cabras, foi um dos convidados do cantor e compositor Zeca Baleiro, apresentando-se no evento "O Baile do Baleiro", no Canecão, no Rio de Janeiro.

Em 2008 a banda Du Black regravou Considerações, parceria com Lúcio Sherman e o poeta Euclides Amaral, inserida no disco Soulshine. Neste mesmo ano, como convidado da banda Instituto, participou do "Tim Festival", no Rio de Janeiro.

Em janeiro de 2009 fez temporada no Canequinho (anexo ao Canecão) com o show "Bem vindo ao baile", no qual fez pré lançamento do disco homônimo e recebeu como convidados Hyldon, B Negão, Danni Carlos, Da Gama, Gérson King Combo, George Israel, Zeca do Trombone, MC Marechal, Aleh, Banda Avante, Cyz Zamorano, Adilson Aragão, Rodrigo Sha, Marlos Sette, Ari do Chapéu, César Kassi e Os Crioulos.

Em 2010 foi lançado nos Estados Unidos o DVD com o resultado do show "Timeless Concert - The Composer/ Arranger Series Presented by Vtech", no qual atuou como cantor ao lado de Clarice Grova. Neste mesmo ano de 2010 participou do evento "Virada Cultural Paulista" e "Viradão Cultural Carioca".

Em 2011 ao lado de Dorina, Ernesto Píres, Nelson Sargento, Bira da Vila, Roberto Serrão, Gabrielzinho do Irajá, Renatinho Partideiro, Maria Angélica, Toninho Gerais, entre outros, participou do show "Tributo a Luiz Carlos da Vila", no Largo do Bicão, na Vila da Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Obra

A cruz (c/ Tânia Maria), A ilha (c/ Chico Batera), Acorda que eu quero ver, Adeus, Astúcia (c/ Heitorzinho dos Prazeres e Sérgio Vidal), Aú com rolê (capoeira), Basta um gesto seu (c/ Toninho Lemos e Gitman), Bem querer (c/ Lúcio Flávio e T. Vila), Bichos e crianças (c/ Marilda Barcelos), Bloco da minha rua, Cada vez mais (c/ Roberto Corrêa e Toninho Lemos), Chora tristeza, Como é linda a natureza (c/ Roberto Corrêa e Toninho Lemos), Considerações (c/ Lúcio Sherman e Euclides Amaral),  Criança maravilha (c/ Nelson Motta), De alegria raiou o dia (c/ Dom Mita), De bem com o mundo (c/ William Félix e Lucena), De repente (c/ Reyna), Decididamente (c/ Vandenberg Dantas de Souza), Deixa pra lá (c/ William Félix e Toninho Lemos), Despertar da solidão (c/ Dom Mita), É triste nós vivermos separados (c/ Toninho Lemos), Escorpião (c/ Nélson Motta), Eu quero mais é sorrir (c/ C. Sena e Almir Guineto), Feitiço da vida (c/ Vandenberg), Fim, Firmeza (c/ Ronaldo Barcellos), Fusão 79, Hello! Mr. Wonder (c/ Cláudio), Já era tempo de você (c/ Rosana Fiengo), Lá vem ela (c/ Sérgio Catharino), Mais uma vez (c/ Lourenço), Malandro dengoso, Me deixa entrar (c/ Vandenberg), Me envolvi no teu corpo, Menina dos olhos de mel (c/ Marilda Barcelos), Meu coração não te elegeu (c/ Toninho Lemos), Minhas carências (c/ Toninho Lemos), Mundo companheiro (c/ Dom Mita), Não posso mais (c/ Marilda Barcelos), Nessa festa de luz (c/ Tânia Maria), No ano que vem (c/ Tânia Maria), O jeito é não vacilar (c/ Laércio de Freitas), O trem da gente (c/ Vandenberg), Olhando para o céu (c/ Lúcio Sherman), Olhe, pare e pense (c/ Dom Mita), Onde foi que eu errei (c/ Toninho Lemos), Para não padecer (c/ Vandenberg), Passarela, Pobre de quem (c/ Dom Mita), Pode ser que eu esteja enganado (c/ Toninho Lemos), Pra nunca mais (c/ William Félix), Pra que vou recordar o que chorei, Quadro de Ismael (c/ Toninho Lemos), Que sorte a minha (c/ William Félix), Se pega com deus (c/ Vandenberg e Antônio Faustino), Sol e chuva na moleira (c/ Luiz Carlos Batera e Toninho Lemos), Sonho de um menino pobre (c/ Toninho Lemos), sônia, Sufocante (c/ William Félix), Transamazônica (c/ Tânia Maria), Trilha, Tudo era lindo, Um estranho no ninho (c/ Toninho Lemos), Um pouco de sol, Venha (c/ Toninho Lemos), Venha matar saudades, Verônica, Vice-versa, Você chegou sorrindo (c/ Toninho Lemos), Zé marmita (c/ Vandenberg), Zé sozinho (c/ Vandenberg), Zi-Cartola (c/ Toninho Lemos).

Fontes: CliqueMusic; Dicionário Cravo Albin da MPB.