terça-feira, janeiro 22, 2013

Dann Mallio Carneiro

Dann Mallio Carneiro, compositor e funcionário da Estrada de Ferro Central do Brasil, nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 1907, e faleceu na mesma cidade em 27/9/1937. Teve sua primeira composição gravada em 1930, o samba No Grajaú, Iaiá, com José Francisco de Freitas, lançado por Mário Reis na Odeon.

Em 1931, a marcha Boa roupa, com Pedro Cabral, foi registrada por Iolanda Osório na Brunswick. Em 1932, fez com Pedro Cabral o samba Eu já chorei e a valsa Falso juramento, gravadas por Jaime Vogeler na Odeon. No mesmo ano, teve três parcerias com J. Cabral gravadas na Columbia: o samba Você é o homem do meu peito na voz de Araci Cortes, e o samba Não foi desprezo e a marcha Não lhe faço mais carinhos na de Madelou de Assis.

Em 1935, a marcha Dois luares pequeninos, com Alcebiades Barcelos, foi gravado por Aurora Miranda na Odeon. No mesmo ano, Carmen Miranda gravou pela Victor a marcha Moreno, parceria com Alcebíades Barcelos. Fez com Custódio Mesquita em 1936 o samba Exaltação da favela gravado pelas Irmãs Pagãs na Odeon. No mesmo ano, a valsa Dor oculta, com Francisco Alves, foi gravada na Victor por Francisco Alves.

Embora não tenha tido uma carreira muito longa até porque, na época em que atuou poucas carreiras conseguiam esse feito, teve músicas gravadas por nomes como Francisco Alves, Mário Reis, Iolanda Osório, Jaime Vogeler, Aracy Cortes, Madelou de Assis, Aurora Miranda, Carmen Miranda e Irmãs Pagãs, com músicas lançadas nas gravadoras Brunswick, Odeon, Columbia e Victor.

Compôs marchas, sambas e valsas e foi parceiro de nomes como Alcebíades Barcelos e Custódio Mesquita.

Faleceu em 27/09/1937 no Hospital Nacional de Alienados aos 30 anos de idade e solteiro, filho de Américo Vespucio Mallio Carneiro e Alvarina Mallio Carneiro. Causa mortis: "neso seffiles malaria caqueixa".

Obras

Boa roupa (c/ Pedro Cabral), Dois luares pequeninos (c/ Alcebíades Barcelos), Dor oculta (c/ Francisco Alves), Eu já chorei (com Pedro Cabral), Exaltação da favela (com Custódio Mesquita), Falso juramento (com Pedro Cabral), Não foi desprezo (c/ J. Cabral), Não lhe faço mais carinhos (c/ J. Cabral), No Grajaú, Iaiá (c/ J. Francisco de Freitas), Você é o homem do meu peito (c/ J. Cabral).

Fontes: Dicionário Cravo Albin da MPB; Orkut.