terça-feira, janeiro 08, 2013

Téo Azevedo


Téo Azevedo (Teófilo Azevedo Filho), cantor, compositor, escritor, folclorista, radialista e produtor fonográfico, nasceu na localidade de Alto Belo, município de Bocaiúva, norte de Minas Gerais, em 02/07/1943. Em 1965, gravou no estúdio Discobel seu primeiro disco, interpretando a música de domínio público Deus te Salve, Casa Santa para a qual compôs mais três estrofes e mudou a melodia tradicional cantada no norte de Minas. No mesmo período apresentou-se fazendo a abertura de shows de variados artistas, tais como Caxangá e Vicente Lima, e Zé Brasil, que se apresentavam em circos e praças públicas.

Em 1968, foi escolhido O Melhor Compositor Mineiro do Ano pelo cronista Gérson Evangelista, do jornal mineiro O Debate. No ano seguinte, mudou-se para São Paulo. Na capital paulista aprendeu todas as modalidades de cantoria do Nordeste com o cantador alagoano Guriatã de Coqueiro. Apresentou-se como cantador nas ruas de São Paulo, correndo o chapéu entre os ouvintes. Cantou sextilhas com o iniciante  Alceu Valença na Feira de Arte da Praça da República, criada por Antônio Deodato, alagoano conhecido como Deodato Santeiro. Daquela Feira de Arte participavam diversos cantadores e cordelistas, entre os quais Maxado Nordestino, Sebastião Marinho e Coriolano Sérgio. Em São Paulo tornou-se também parceiro de Venâncio, da dupla Venâncio e Curumba, de quem tornou-se amigo.

Em 1978, lançou o disco Brasil, Terra da Gente, no qual gravou, entre outras composições, Viola de bolso, uma transposição para folia de reis de versos de Carlos Drummond de Andrade. No mesmo ano, foi vencedor do Primeiro Festival de Música Sertaneja promovido pela Rádio Record de São Paulo com a toada Ternos pingos da saudade, feita em parceria com o poeta Cândido Canela. Além do prêmio de melhor melodia e de melhor letra, recebeu também o prêmio de melhor interpretação. No ano seguinte, participou da abertura da Feira do Livro na Praça Sete de Setembro, sendo convidado em seguida para gravar os jingles e spots de lançamento do primeiro Torneio de Repentes de Minas Gerais.

Em 7 de janeiro de 1980 fundou, com outros companheiros como Amelina Chaves, Jason de Morais, Josece Alves, Silva Neto, Pau Terra, João Martins e o grupo Agreste, a ARPPNM, Associação dos Repentistas e Poetas Populares do Norte de Minas. Ainda em 1980, descobriu o violeiro, tocador de rabeca e construtor de instrumentos Zé Coco do Riachão, do qual produziu os primeiros discos.

Seu primeiro livro lançado foi Literatura popular do norte de Minas. Em 1982, lançou a segunda edição de seu segundo livro, Plantas medicinais e benzeduras, cuja primeira edição de 10 mil exemplares se esgotou.

Em 1994, teve as músicas Cachorro sem dono e Dona Criola gravadas pelo cantor Luano do Recife. Já escreveu mais de mil histórias de cordel. Individualmente lançou mais de 10 discos. Participou ainda de discos de outros artistas, como Som Brasil com Rolando Boldrin, 10 anos do Paço das Artes (MIS- SP), Chapéu de couro com Jorge Paulo, Repentistas do norte de Minas, Luiz Gonzaga: 70 anos de sanfona e simpatia e outros.

Em 1997, interpretou a música For Bobby Keys (Music and Life), versão de Michael Grossmann, no disco do saxofonista Bobby Keys da banda inglesa Rolling Stones. No mesmo ano, gravou com Charlie Musselwhite, tido como o maior gaitista de blues do mundo, com o qual interpretou a composição Puxe o fole, sanfoneiro Dominguinhos tocador, de sua autoria, que foi indicada como a melhor do CD.

Já teve cerca de mil e quinhentas músicas gravadas pelos mais diversos intérpretes, entre os quais Luiz Gonzaga, Sérgio Reis, Clemilda, Tião Carreiro, Zé Ramalho, Banda Cacau com Leite, Tonico e Tinoco, Jair Rodrigues, Cascatinha e Inhana, Zé Coco do Riachão, Caju e Castanha, Milionário e José Rico, Chrystian e Ralf, Pena Branca e Xavantinho, Jackson Antunes, Gedeão da Viola, Genival Lacerda, Zé Ramalho.

Até 2000 constava como o terceiro compositor com mais músicas gravadas no Brasil. Tem tido como parceiros, entre outros, Cândido Canela, Jansen Filho, Taís de Almeida e Lourival dos Santos. Musicou o poema Viola de bolso de Carlos Drummond de Andrade. É considerado, usualmente no meio, o maior produtor de discos do Brasil, com mais de 3.000 produções até 1999, tendo lançado diversos artistas da música regional e estimulado outros tantos iniciantes, como foi o caso de Zeca Collares.

Foi, durante 30 anos, Mestre de Folia de Reis, tendo sido um dos criadores do Terno de Folia de Alto Belo. Na mesma localidade, coordena e apresenta anualmente a Festa dos Santos Reis de Alto Belo, considerada por muitos a maior festa de folia de reis do Brasil.

Em 2001, o jornalista Assis Ângelo publicou Cantador de Alto Belo, sobre a vida de Téo Azevedo. Também no mesmo ano, Téo participou do CD Veredas do Grande Sertão, de Jackson Antunes, cantando a música homônima ao título do disco, de sua autoria. Lançou pela Kuarup Discos o CD Téo Azevedo - 50 anos de cultura popular - Cantos do Brasil puro, que teve as participações dos violeiros Gedeão da Viola e Tião do Carro, e apresentação do jornalista Assis Ângelo.

Comemorando 60 anos, em 2003, Téo Azevedo lançou o CD Brasil com "S" - vol. 1, em que reúne vários convidados, mostrando, em música e poesia, pérolas do sertão mineiro. Entre os convidados, estão Rodrigo Mattos, Dedé Paraízo, Fernanda Azevedo, João Mulato & Paraíso, Cowboy & Estradeiro, José Fábio, José Osmar & Afonso Pimenta, Cantadeiras de Alto Belo, e Jackson Antunes. Na mesma ocasião lançou outro CD comemorativo de seus 60 anos. Brasil com "s" Vol.2 reúne outros convidados do artista, cantando um repertório característico da cultura sertaneja.

Discografia

(1974) Grito Selvagem • Independente • LP
(1978) Brasil, Terra da Gente • Copacabana • LP
(1979) Morte de vaqueiro • Copacabana • LP
(1980) O canto do cerrado • WEA • LP
(1987) Cantador Violeiro • Copacabana • LP
(1993) Teo Azevedo • Copacabana • LP
(1993) Cultura popular • Independente • LP
(1994) Guerrilheiro da natura • Brasidisc • LP
(1999) Cantador de Alto Belo • Eldorado • CD
(1999) Solos de Viola em dose dupla • Eldorado • CD
(1999) Folia de Reis de Alto Belo • Eldorado • CD
(2000) Forró, Calango e Blues • Eldorado • CD
(2001) Téo Azevedo -50 anos de cultura popular • Kuarup • CD
(2002) Téo Azevedo/Fernanda Azevedo e convidados • EMI • CD
(2003) Brasil com "s" Téo Azevedo e convidados Vol.1 • Kuarup • CD
(2003) Brasil com "s" Vol.2 Téo Azevedo e convidados • Kuarup • CD

Fonte: Dicionário Cravo Albin da MPB