terça-feira, maio 21, 2013

Luiz de Carvalho

Revista do Rádio - 1948
Luiz de Carvalho, radialista, compositor e cantor, nasceu em Diamantina, MG, em 01/02/1919, e faleceu na cidade do Rio de Janeiro, RJ, em 09/06/2008. Iniciou sua carreira em Belo Horizonte, participando de programas de calouros na Rádio Inconfidência. Em 1939, indo ao Rio de Janeiro à passeio, resolveu participar de um concurso de calouros na Rádio Tupi; foi aprovado e não retornou mais para a capital mineira.

Trabalhou ainda nas Rádios Nacional e Bandeirantes. Na década de 1950, ingressou na Rádio Globo, onde ficaria até o final da carreira. Por três décadas, entre os anos 1950 e 70, ele apresentou um programa matinal nessa rádio que tinha como slogan a frase "Saúde, paz e amor". De segunda a sábado, entre as 9h e as 12h, Luiz de Carvalho foi líder de audiência, abrindo espaço para os principais movimentos musicais do período, da bossa nova a jovem guarda. Passaram por seu programa, entre outros, Roberto Carlos, Erasmo Carlos , Wanderléa e Jerry Adriani.

Nos anos 1960, Luiz de Carvalho também foi o apresentador do primeiro programa de auditório ao vivo da TV Globo, o "Tevefone", que ia ao ar nas tardes de sábado, o primeiro líder em audiência da TV Globo, onde, posteriormente, ainda apresentou, ao lado de Márcia de Windsor, o programa "Alô sucesso".

Como era costume, em especial até os anos 1970, seu nome entrou em diferentes parcerias musicais, muitas delas sem que ele tivesse efetivamente composto algo, mas sim, a título de promoção da música.

Em 1962, Luiz Wanderley gravou Me leva contigo, parceria dos dois, no LP O versátil Luiz Wanderley, da Rca Victor. Em 1963, o bolero A tua presença me alumina, com Carlos Morais, foi gravado por Jairo Aguiar, no LP Jairo Aguiar canta para os enamorados; o bolero Abre teus braços, com Carlos Morais, foi gravado por Rinaldo Calheiros, no LP Uma lágrima tua, ambos da gravadora Copacabana, enquanto Adilson Ramos, no LP Sonhar contigo, da RCA Victor, registrou o bolero Me leva contigo, com Luiz Wanderley. No mesmo ano, assinou parcerias carnavalescas, como as marchas Colher de chá, com Cláudio Paraíba, gravada por Vitor Zambito, Hora do aperto, com Cláudio Paraíba, registrada por Janete Jane, ambas para o LP Carnaval - Brasil 63, da Chantecler; Desquitada, com Carlos Morais, lançada por Clério Morais, no LP Carnaval de 1963, da Continental; Nega do Senegal, com Luiz Wanderley e Carlos Morais, gravada por Luiz Wanderley, no LP Carnaval - vol. 1 da Philips, e Socorro, com Carlos Morais, que ele mesmo gravou no LP Carnaval RCA Victor. No mesmo ano, Anísio Silva gravou o bolero Pergunte ao coração, com Carlos Morais, para o LP Canção do amor que virá, da Odeon, e, Luiz Alberto registrou o bolero Por ti, com Newton Tierini, para o LP Meu romance, minha canção, da Philips.

Em 1964, Dora Lopes gravou o samba Dúvida cruel, com Genival Melo e Dora Lopes, para o LP Carnaval Rio Quatrocentão, da Copacabana, já visando os festejos do quarto centenário de fundação da cidade, no ano seguinte. Em 1965, assinou novas parcerias para o carnaval, como a marcha Garota bombom, com Jota Júnior e Oldemar Magalhães, e Vamos brincar de índio, com Carlos Morais, ambas gravadas por ele mesmo, no LP Carnaval quatrocentão, da RCA Victor. Nesse ano, gravou a marcha Tem índio na maloca, com J. Nunes, para o LP Carnaval Copa 66, da gravadora Copacabana.

Em 1966, gravou a marcha Garota me dá um beijo, com Orlando Dias e Otolindo Lopes, para o LP Carnaval Barra Limpa - Vol. 2, da gravadora Copacabana. Em 1967, a marcha Garota me dá um beijo, com Orlando Dias e Otolindo Lopes, foi gravada por Moacir Silva, no LP Carnaval de boite - Nº 4 - Moacir Silva, seu conjunto e coro, da Copacabana, e Lindomar Castilho lançou, em LP da Continental, o Poema da dor maior, com Luiz Wanderley. Ainda nesse ano, gravou o samba Você nasceu pra mim, de sua autoria, para o LP Carnaval Ranger 1967 - Vol. 2, da gravadora Ranger.

Em 1968, a marcha Chave do barracão, com Orlando Dias e Otolindo Lopes, foi incluída no LP Carnaval 68, da Odeon. Em 1984, gravou a Marcha do maluco, de sua autoria, incluída no LP Carnaval no Rio 85, da Somil.

Em 1990, o samba Destino, com Zé Pretinho da Bahia e Lígia Santiago, foi gravada por Zé Pretinho da Bahia, no LP Fazendo gostoso. Em 1992, o cantor Zezinho Portuense gravou Tu és o maior amor da minha vida, com Sílvio Lima, para o LP O canto do sabiá.

Radialista de sucesso, teve longa carreira à frente do microfone, além de deixar diversas composições e também gravações. Internado na Obra Portuguesa de Assistência devido a uma pneumonia, faleceu em 09/06/2008, aos 89 anos.

Obras

A tua presença me alumina (c/ Carlos Morais), Abre teus braços (c/ Carlos Morais), Chave do barracão (c/ Orlando Dias e Otolindo Lopes), Colher de chá (c/ Cláudio Paraíba), Desquitada (c/ Carlos Morais), Destino (c/ Zé Pretinho da Bahia e Lígia Santiago), Dúvida cruel (c/ Genival Melo e Dora Lopes), Garota bombom (c/ Jota Júnior e Oldemar Magalhães), Garota me dá um beijo (c/ Orlando Dias e Otolindo Lopes), Hora do aperto (c/ Cláudio Paraíba), Marcha do maluco, Me leva contigo (c/ Luiz Wanderley), Nega do Senegal (c/ Luiz Wanderley e Carlos Morais), Pergunte ao coração (c/ Carlos Morais), Poema da dor maior (c/ Luiz Wanderley), Por ti (c/ Newton Tierini), Socorro (c/ Carlos Morais), Tem índio na maloca (c/ J. Nunes), Tu és o maior amor da minha vida (c/ Sílvio Lima), Vamos brincar de índio (c/ Carlos Morais), Você nasceu pra mim.

Discografia

(1984) Marcha do maluco • Somil • LP
(1967) Você nasceu pra mim • Ranger • LP
(1966) Garota me dá um beijo • Copacabana • LP
(1965) Garota bombom/Vamos brincar de índio • RCA Victor • LP
(1965) Tem índio na maloca • Copacabana • LP
(1963) Carnaval RCA Victor - RCA Victor - LP • RCA Victor • LP
_____________________________________________________________________
Fontes: Jornal O Globo - Cultura 09/06/2008; Revista do Rádio - Novembro de 1948; Dicionário Cravo Albin da MPB.