quarta-feira, maio 15, 2013

Plácida dos Santos

Maxixe - Ilustr. de 1903
Plácida dos Santos (Circa 1853 - 1935 - Rio de Janeiro, RJ) foi a primeira cantora a se apresentar interpretando música brasileira em Paris. Uma outra brasileira, a Lapinha (Joaquina Maria da Conceição Lapa), atriz e cantora de teatro, foi outra pioneira que também floresceu na "Cidade Maravilhosa" entre fins do séc. XVIII e inícios do séc. XIX, apresentando-se na cidade do Porto, em Portugal, em concertos realizados nos dias 27/12/1794 e 03/01/1795. 

Mas voltemos à cantora Plácida: iniciou sua carreira apresentando-se em cabarés e cafés-cantantes que existiam no Rio de Janeiro no final do século XIX. Em 1895, fez sucesso quando se apresentava no café Eldorado na atual Rua Teotônio Regadas, na Lapa, centro do Rio de Janeiro e então intitulada de Rua do Império. Na ocasião cantava com o cançonetista Mr. Brunet, e se destacou com a canção "Mazurca". Segundo jornais da época: "Sucesso indescritível de Mme. Plácida na apetitosa Mazurca!".

Alguns anos depois, quando se apresentava no Teatro Santana, situado no local onde atualmente se acha o Teatro Carlos Gomes, na Praça Tiradentes, centro do Rio de Janeiro, foi ouvida com agrado pela cançonetista Dzelma, natural da Martinica que a aconselhou a tentar a sorte em Paris onde, dizia, teria sucesso e ganharia muito dinheiro. Entusiasmada com a idéia embarcou para Paris.

Na capital francesa, visitou o diretor teatral do jornal Gil Blas e conseguiu com que o mesmo a colocasse numa sessão beneficente. Com o agrado obtido nessa sua primeira apresentação em terras francesas, conseguiu ser contratada pelo famoso Follies Bergères onde se apresentou cantando e dançando maxixe.

Algum tempo depois retornou ao Brasil e em 1900 estreou no Alcazar Parque, apresentando-se ao lado de nomes como Geraldo Magalhães e Jenny Cook. Em 1903, passou a atuar no Jardim-Concerto Guarda Velha na Rua Senador Dantas, centro do Rio de Janeiro, e no mesmo ano passou para o Teatro Cassino, na Rua do Passeio, onde foi apresentada como "Uma brasileira que já fez furor em Paris".

Em 1910, resolveu encerrar a carreira artística com duas apresentações, uma no Tetaro Apolo e outra no Cabaret-Concert.

Em 1933, foi entrevistada pelo jornal "A Noite Ilustrada" e na ocasião, afirmou: "Fui eu quem primeiro cantou em Paris a música brasileira!".

______________________________________________________________________
Fontes: EFEGÊ, J. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Volume 2. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1980; Revista de História da Biblioteca Nacional - Pioneira em Aplausos; Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e Publifolha - 2a. Edição - 1998..