terça-feira, setembro 04, 2007

Elba Ramalho


Elba Ramalho (Elba Maria Nunes Ramalho), cantora, nasceu em Conceição de Piancó PB em 17/8/1951. Filha de João Nunes, agricultor e instrumentista de orquestra, de quem herdou o gosto pela música, passou a infância em sua cidade natal, no alto sertão nordestino. Em 1962, sua família mudou-se para Campina Grande PB, onde seu pai tornou-se proprietário do cinema da cidade e Elba fez o antigo curso ginasial.

Quatro anos depois, pisava no palco pela primeira vez, em uma apresentação do Coral da Fundação Artística e Cultural Manuel Bandeira, do qual fazia parte. Durante o curso universitário de sociologia e economia na Universidade Federal da Paraíba, formou o conjunto feminino As Brasas, o qual lhe valeu o convite de Roberto Santana, produtor de Chico Buarque e Caetano Veloso, para integrar o Quinteto Violado como crooner por uma temporada no Rio de Janeiro. Abandonou o curso universitário no último ano para mudar-se para o Rio de Janeiro, passando a freqüentar o Baixo Leblon, onde conheceu Alceu Valença e Carlos Vereza.

Em 1974 participou como bailarina da peça Viva o cordão encarnado, com o grupo de teatro Chegança, de Luís Mendonça, chamando a atenção da crítica por sua hiperatividade no palco, o que se tornaria sua principal característica.

Em 1979, após cinco anos no Rio de Janeiro, foi selecionada para participar da peça Ópera do malandro, de Chico Buarque e Rui Guerra. Sua interpretação da canção Meu amor (Chico Buarque), ao lado de Marieta Severo, fez enorme sucesso. Nesse mesmo ano, gravou um disco pela CBS, Ave de prata, sem maior repercussão.

Em 1980 gravou seu segundo LP, Capim do vale, e fez sua primeira apresentação internacional, na África. No ano seguinte, participou do Festival de Jazz de Montreux, Suíça, e lançou o disco Elba.

Em 1982 lançou o disco Alegria, vendendo mais de 300 mil cópias só no Brasil, e apresentou-se na Europa e em Israel. A música Eu quero um banho de cheiro, de Luís Gonzaga, estourou nas paradas. No ano seguinte, apresentou-se com grande êxito no show Coração brasileiro, exibido nas principais cidades do país. No final de 1982, apresentou um especial de fim de ano na TV Globo.

Em 1984 lançou o LP Do jeito que a gente gosta e voltou a apresentar-se no exterior (Japão e Cuba). Em 1987 ficou grávida de seu primeiro filho, mas, mesmo assim, não deixou de se apresentar nas principais capitais do Brasil com o show Elba, do LP homônimo.

Em 1988 lançou o disco Fruto e retomou as apresentações internacionais, excursionando desta vez pela Argentina e por Portugal. No ano seguinte, faria sua primeira apresentação nos EUA, após o lançamento do disco Popular brasileira.

Em 1990 lançou o disco Elba — Ao vivo e retornou aos EUA. No ano seguinte, lançou o disco Felicidade urgente, com nova tournée pelos EUA. Em 1992 lançou o disco Encanto e realizou sua maior excursão pela Europa. Com Margareth Meneses, fez uma tournée pelos EUA em 1993.

Em 1995 saiu o disco Paisagem e, no ano seguinte, dois CDs Leão do Norte e O grande encontro, sempre com tournées pelos mais diversos países. Em 1997 lançou pela BMG o CD Baioque, que além da música-título, de Chico Buarque, traz regravações de sucessos como Pavão misterioso, de Ednardo, e Paralelas, de Belchior.

Ainda em 1997, lançou em parceria com Zé Ramalho e Geraldo Azevedo o CD O grande encontro 2, com destaque para as faixas Pedras e maçãs e Miragens, ambas de Zé Ramalho e Geraldo Azevedo. Também em 1997 lançou pela BMG-Vídeo Elba inédito, com sua videobiografia.

Com cerca de 20 discos lançados no Brasil e no exterior, já havia conquistado até 1997 cinco Discos de Platina, concedido a artistas que ultrapassam a marca das 250 mil cópias vendidas, e oito Discos de Ouro, equivalente a 100 mil cópias vendidas.

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e PubliFolha.