quinta-feira, janeiro 01, 2009

Sinfonia da mata



Orlando Dias
Sinfonia da mata (samba-canção, 1965) - Adelino Moreira - Interpretação: Orlando Dias

Tenho a viola, que retiro da parede
Quando é noitinha, pra pontear
Tenho a gaiola, meu canário e uma rede
Sempre esticadinha, pra meu bem sonhar.

Quando a lua vem surgindo, cor de prata
Ilumina meu pedaço de torrão
Meu ranchinho, aqui no meio da mata
Não precisa, nem que acenda lampião.

Sinfonia do riacho e da cascata
Minha viola, completa a orquestração.