segunda-feira, novembro 01, 2010

Sidney Magal


Sidney Magal (Sidney Magalhães), cantor, nasceu no Rio de Janeiro RJ em 19/6/1953. Um dos maiores nomes da chamada “música brega” da década de 1970, com interpretações exageradamente emocionadas, próximas da caricatura.

Tornou-se sucesso nacional, interpretando com voz e performances corporais canções que se tornaram verdadeiros clássicos de nossa música. Sempre cantando sem deixar seu lado ator, iniciou a carreira em 1976, quando foi levado pelo ex-cantor e produtor Roberto Livi para a Polydor, onde permaneceu até 1985.

Foi justamente nesse período que obteve os seus maiores êxitos, tais como Meu sangue ferve por você, Se te agarro com outro te mato (1976), Amante latino (Rabito e Antônio Carlos, 1977) e Sandra Rosa Madalena (Roberto Livi e Miguel Cidrás, 1979). 

Fazendo o tipo "latin lover", com interpretações propositalmente exageradas, quase beirando o caricatural, é considerado um dos nomes mais importantes do que se convencionou chamar de "música brega". Nos anos 1990, fez sucesso com a música Me leva que eu vou, da trilha sonora da novela Rainha da sucata da TV Globo.

Em 1994, a PolyGram lançou a coletânea Minha história, que incluía os seus maiores sucessos. Ainda em atividade, apresenta-se em shows pelo Brasil. Em 2003, integrou o elenco da peça Eu te amo, você é perfeita, agora muda!, apresentada no Teatro dos Grandes Atores. No mesmo ano, gravou o CD Extremos. No mesmo ano, atuou no filme Caminho das nuvens e teve uma música incluída na trilha sonora da novela Kubanacan, da Tv Globo. Gravou ainda no mesmo ano seu 19º disco. 

Em 2005, atuou como ator e cantor na novela América, apresentada pela TV Globo. Já no início de 2006, interpretou o personagem Zorrô, na novela Bangue bangue, também levada ao ar pela TV Globo. Nesse ano, fez diversos shows e apresentou-se em vários programas de rádio e TV. Nesse ano, lançou o CD e DVD Ao vivo, interpetando hits consagrados de sua carreira como Eu te amo e Sandra Rosa Madalena, entre canções de Ivan Lins, como Ai, ai, a" e Advinha o quê, de Lulu Santos. 

Procurado por jornais e revistas, o cantor afirmou que o tratamento a ele dado pela mídia tornou-se muito menos peconceituoso nos anos 2000, do que no auge de sua carreira e que grande parte de seu público no terceiro milênio passou a ser de jovens.
Site oficial : Sidney Magal - Site Oficial

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e PubliFolha; Dicionário Cravo Albin da Música Pupular Brasileira.