terça-feira, dezembro 07, 2010

Tolito da Mangueira

Tolito da Mangueira (Erlito Machado Fonseca), compositor, nasceu no Recife/PE em 6/7/1917, e faleceu no Rio de Janeiro/RJ em 20/3/1997. Sua família transferiu-se para o Rio de Janeiro quando ele tinha dois anos. 

Iniciou a carreira ainda jovem, dançando e cantando nos clubes e boates cariocas. Mais tarde, passou a sair em blocos e depois em escolas de samba, tendo desfilado no extinto bloco da Vizinha Faladeira. Em 1940 participou do desfile da Mangueira e, oito anos depois, como compositor e cantor, do filme Folias cariocas, de Manuel Jorge e Hélio Tys. 

Em 1949 desfilou pela escola do segundo grupo Unidos do Outeiro e dois anos depois ingressou na escola de samba Unidos da Piedade, compondo três sambas que saíram vencedores nos anos de 1951, 1952 e 1953. No ano seguinte retornou para a Unidos do Outeiro, passando em 1955 para a Boca do Mato, vencendo com seus sambas os três carnavais seguintes. 

Deixou a escola em 1959, passando para a Unidos da Capela em 1961, ano em que seu samba obteve o segundo lugar, vencendo na escola no ano seguinte com Centenário de Rui Barbosa, sua primeira composição gravada. Em 1963 venceu novamente com Beldades da nossa pátria, sendo sua escola a vitoriosa no segundo grupo. 

Em 1966 houve a fusão das duas escolas de samba da zona da Leopoldina, do bairro de Lucas, a Unidos da Capela com a Aprendizes de Lucas, resultando o G.R.E.S. Unidos de Lucas, onde permaneceu durante algum tempo. 

Foi então para a Portela, onde, não concordando com o estágio obrigatório de dois anos que ali teria que cumprir, retornou para a Unidos de Lucas em 1969, ano em que lançou o samba-enredo Rapsódia folclórica (com Nelson Pechincha e Nilton Russo). 

Por volta de 1970, abolido o estágio, transferiu-se para a Portela, ali permanecendo até 1972, ano em que foi para a Mangueira, vencendo dois anos depois com o samba-enredo Imagens poéticas de Jorge de Lima (com Mozart e Delson Tojal), gravado pela etiqueta Marcus Pereira no LP História das Escolas de Samba: Mangueira, 1974, e que concorreu no Carnaval de 1975. 

Obra

Beldades da nossa pátria, samba-enredo, 1963; Centenário de Rui Barbosa, samba-enredo, 1962; Imagens poéticas de Jorge de Lima (com Mozart e Deison Tojal), samba-enredo, 1974; Rapsódia folclórica (com Nelson Pechincha e Nilton Russo), samba-enredo, 1969.

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e PubliFolha.