quinta-feira, maio 09, 2013

Viúva Guerreiro

Viúva Guerreiro
Viúva Guerreiro (Serafina Augusta Mourão do Vale), pianista e compositora, nasceu em Rio Bonito, RJ, em 09/09/1858, e faleceu na cidade do Rio de Janeiro em 11/08/1936. Filha do fazendeiro Lino Machado do Vale e de Guilhermina Alves Mourão do Vale, foi criada na Fazenda do Barreado, a maior de Rio Bonito. Começou a estudar piano aos 10 anos de idade.

Em 1883, conhece o português João S. de Oliveira Barreto, comerciante e afinador de pianos, estabelecido na Travessa São Francisco de Paula, hoje Rua Ramalho Ortigão. Pouco tempo depois, casam-se e transferem-se para o Rio de Janeiro.

Dirigiu ao lado do marido a casa Ao Piano de Cristal, loja de pianos, músicas e águas minerais Vichy. Em fins de 1895, o casal viajou para a Europa e, chegando a Nice em pleno carnaval, conheceu o confete prateado e o dourado, que encomendou e lançou no Rio de Janeiro, no carnaval de 1896, com enorme sucesso. Os confetes eram distribuídos em saquinhos vendidos a dois e três vinténs.

Com a morte do marido em março de 1900, assumiu a direção do estabelecimento, começando também a compor e editar suas músicas: valsas, polcas, xotes e mazurcas. Pouco mais tarde, passou a executar para os fregueses composições suas e de outros músicos.

Apresentada por seu irmão Cândido ao magistrado Joaquim Augusto Guerreiro Lima, casaram-se em 1902 e passou a assinar-se Serafina Augusta do Vale Guerreiro Lima. Seguiu administrando Ao Piano de Cristal, compondo e tocando músicas para os fregueses. Por volta de 1909/1910, seu marido veio a falecer, e assim, tornou-se conhecida por Viúva Guerreiro, nome que deu a seu estabelecimento comercial agora situado na Rua Sete de Setembro.

Em 1915, escreveu aquela que se tornaria sua mais célebre composição, a valsa Penso em ti. Dedicou a Rui Barbosa a valsa Supremo mestre, enviando-lhe 100 exemplares em papel acetinado. Rui enviou-lhe um telegrama, agradecendo a homenagem, indo visitá-la pessoalmente alguns dias depois. A Casa Viúva Guerreiro tornou-se ponto de encontro de famosos pianistas e compositores populares como Aristides Borges, Sinhô, Gastão Lamounier, Osvaldo Cardoso de Menezes, Pedro de Sá Pereira, entre outros.

Em meados da década de 1930, a pianista passou a residir em Santa Teresa, onde veio a falecer.

Em 1944, teve a valsa Supremo mestre gravada ao piano por Mário Azevedo na Continental. Em 1946, sua valsa Quando penso em ti foi gravada na Continental pelo pianista Mário de Azevedo.

A Casa Viúva Guerreiro continuou sob a direção de seu sobrinho Fileto Moura, até o fechamento definitivo em setembro de 1962.

Obras

Alma diplomata, Amor tudo vence, Bacurau,Boas festas, Cismando, Coração magoado, Dêem asas ao Brasil, Entre flores, Era uma vez uma menina, Fúlgidas esperanças, Gage d'amour, Meu coração é teu, Minha queridinha, Não te esqueças de mim, Olhar de Maria, Quando penso em ti, Quatro de outubro, Reino dos encantos, Rodolfo Valentino, Secret du Coeur, Sinhá, Sonho das flores, Supremo mestre, Vertigem da paixão, Visão divina.

Fonte: Dicionário Cravo Albin da MPB.