sexta-feira, junho 07, 2013

Marco Antônio


Marco Antônio (Antônio Lopes Marques), cantor, nasceu em Vitória, ES, em 1927, e faleceu em Nilópolis, RJ, em 05/02/1965. Em 1954 iniciou sua carreira artística, quando contratado pela Columbia gravando a batucada Você chorou, de Átila Bezerra, Sebastião Gomes e Jorge Gonçalves, e a marcha Ximbica resfriada, de Almeida Freire, Murilo Vieira e A. Vanderley.

Foi para a RGE e gravou em 1961, com acompanhamento do conjunto RGE os sambas Mulher de 30, de Luís Antônio, e Samba de improviso, de Haroldo Barbosa e Luis Reis, e os boleros Beija-me depois, de Evaldo Gouveia e Jair Amorim, e Volta, de Ciro de Souza e Antônio Moreira.

Em 1962, gravou a marcha Sujaram a barra, de Nello Nunes, A. Batista e Guguta; o samba É menino, de Antoninho Lopes, Zé da Vila e Ramandini; o bolero Chega, de A. F. Conceição e Espírito Santo, e a guarânia Contando os dias, de Lupicínio Rodrigues. Nesse ano, participou da coletânea 14 sucessos de ouro - Vol. 2 da RGE interpretando  em dueto com a cantora Elza Laranjeira a balada Amor.

Em 1964, lançou aquele que acabou sendo seu último disco, o LP Tu serás a estrela guia gravado pela Odeon e no qual interpretou as músicas Se eu pudesse lhe dar o perdão, de Marino Pinto e Carlos Marques; Andaluza e Espera mais um pouco, de Ciro Monteiro e Dias da Cruz; A noite o luar e alguém, de Cid Magalhães e Amâncio Cardoso; O pranto dos meus olhos, de Neco e J. Pereira; É bom ser bom, de Fernando Barreto; Abre a porta, de Rutinaldo; Tu serás a estrela guia e Deus esteja nesta casa, de  Maurílio Lopes e Flávio Carvalho; Ave sem ninho, de Nilo Barbosa e Geraldo Morais; Nosso amor tinha raiz, de Paulo Marques e Jorge Ramos, e Nossas alianças, de Paulo Gesta e Jorge Smera.

Começou a fazer bastante sucesso com a balada Nossas alianças, sendo tocada nas rádios quando sofreu o trágico acidente no qual veio a falecer.

A tragédia

"Trágica ocorrência roubou a vida do cantor Marco Antônio, na madrugada de cinco de fevereiro, nas proximidades de sua residência, em Nilópolis. Eram duas horas quando ele procurava chegar a sua casa, na Avenida Mirandela 290, tateando no escuro, pois um temporal interrompera a energia elétrica, ali, desde as 19 horas do dia 4. Foi então que pisou numa poça d’água, onde caíra um fio de alta tensão, sendo fulminado. Ninguém pôde fazer qualquer coisa em seu socorro. O corpo permaneceu onde fora eletrocutado, até às 9 horas do dia seguinte, quando se providenciou o desligamento da rede elétrica que matara o artista. Marco Antônio foi sepultado no cemitério de Inhaúma, no dia 6, às 10 horas da manhã, depois de velado por alguns artistas que chegaram a ter conhecimento da tragédia. Altemar Dutra enviou uma coroa de flores para o seu colega de gravadora, a Odeon, que, aliás, cuidou do sepultamento.

Cantor desde 1954, Antônio Lopes Marques (Este o seu nome verdadeiro), ele contava 38 anos de idade e era natural de Vitória, no Espírito Santo. Casado com D. Celita Alves Marques, era pai de quatro filhos: o quinto deverá nascer em junho. Gozava de estima dos cantores e disk-jóqueis: lutador trabalhava intensamente, perseguindo o sucesso, que começava a alcançar. Compungidos, vários programadores interromperam a apresentação de música de carnaval. Jair de Taumaturgo, da Mayrink Veiga (emissora em que Marco Antônio se apresentava com mais frequência, tendo ali cantando algumas horas antes de morrer), homenageou a memória do artista falecido. Também Júlio Louzada dedicou-lhe a sua "Oração da Ave Maria”. A Rádio Mauá também alterou sua programação, logo que soube do fato, passando a transmitir gravações selecionadas. Todos sentiram a morte do cantor que era simples, de pouca fala e voz bonita".  (Revista do Rádio, 06/03/1965)

Discografia

(1954) Você chorou/Ximbica resfriada • Columbia • 78
(1961) Samba de improviso/Volta • RGE • 78
(1961) Mulher de trinta/Beija-me depois • RGE • 78
(1962) Sujaram a barra/É menino • RGE • 78
(1962) Chega/Contando os dias • RGE
(1962) 14 sucessos de ouro - Vol. 2 • RGE • LP
(1964) Tu serás a estrela guia • Odeon

_________________________________________________________
Fontes: Revista do Rádio; Dicionário Cravo Albin da MPB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário