sexta-feira, setembro 06, 2013

Será, será



Será, será (balada, 1969) - Nelson Ned

Estou vendo no seu modo de olhar 
Que você já não gosta de mim
Eu não quero, eu não posso e nem devo obrigar
Ninguém a me querer
É inútil eu tentar me iludir e ficar toda vida chorando
Quando o amor não dá certo é preciso tentar esquecer

O que tiver que ser, será, será
O que tiver que vir, virá, virá
Se Deus quiser, um dia vou encontrar
O amor que eu vivo sempre a esperar

Eu não devo lamentar
Pois quem sabe amanhã poderei ser feliz
Compreendo que somente o destino é que faz nossa vida mudar
Se agora estou só não me importo porque
Não perdi a esperança
Os problemas de amor só o tempo consegue apagar.

O que tiver que ser, será, será...
__________________________________________

Adivino en tu verde mirar que tal vez te cansaste de mí
Yo no quiero y no puedo y no debo obligar
La entrega de un querer
Es inútil intentar proseguir y pasarme la vida llorando
Si un amor se acabó vale más olvidarlo, volver.

Lo que tiene que ser será, será
Y lo que ha de llegar vendrá, vendrá
Si Dios lo quiere un día, sé que he de hallar
Aquel amor que espero y acaso más.

Es en vano lamentar
Pues tal vez otro amor ha de hacerme sentir
Y comprendo que me sobran caminos y fe y vida para amar
Y si ahora solo estoy nada importa
Si yo no pedí la esperanza
Y mis penas de amor con el tiempo ya se han de acabar.

Lo que tiene que ser, será, será...



Nenhum comentário:

Postar um comentário