quinta-feira, maio 23, 2013

Celso Blues Boy


Celso Blues Boy (Celso Ricardo Furtado de Carvalho), instrumentista, cantor e compositor, nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 05/01/1956, e faleceu em Joinville, SC, em 06/08/2012. Nascido no Rio, morou em Blumenau, SC, dos 6 aos 14 anos. Começou a estudar guitarra com o pai, aos 14 anos de idade. Sua irmã, pianista, foi uma das primeiras pessoas para quem fez acompanhamento. Um de seus tios, grande conhecedor de rock e blues, foi quem o encaminhou para o rock e o blues. Tocou em vários grupos e bailes em Blumenau, onde a família havia se instalado. Logo, contudo, deixou a família e passou a viajar pelo país.

Aos 17 anos, já acompanhava Raul Seixas (com quem atuou na faixa O diabo é o pai do rock) e a dupla Sá e Guarabira. Retirou seu nome Blues Boy de B B King, por quem tinha grande admiração: "Desde pequeno ouço B. B., que funciona para mim como um ponto de referência. Clapton, meu ídolo, entra como um ponto de equilíbrio e Hendrix como desabafo".

Aos 19 anos, em 1976, fundou o grupo de blues-hard rock Legião Estrangeira e a banda Aero blues. A partir da década de 1980 lançou-se em carreira solo apresentando-se na boate carioca Appalloosa, na rua Barata Ribeiro, em Copacabana.

No início da década de 1980, um aluno seu insistiu para que gravasse uma fita-demo e a levou à Rádio Fluminense (A Maldita). Logo, a emissora pôs sua música no ar, tornando-a um grande sucesso. Por essa época, começavam os shows de rock no Circo Voador, na Lapa, centro do Rio de Janeiro e também os show produzidos por Nelson Motta, "Noites Cariocas", no Morro da Urca (Pão de Açúcar).

Sua primeira participação solo em gravação ocorreu em 1982, na coletânea lançada pela WEA Rock voador, somente com bandas que se apresentavam no Circo Voador do Rio de Janeiro.

Em 1984, participou da trilha sonora do filme Bete Balanço, também lançada em LP pela WEA. Neste mesmo ano, lançou pela gravadora Warner o disco Som na guitarra, do qual se destacaram as faixas Blues motel e Aumenta que isso aí é rock and roll, sua composição mais conhecida. Ainda deste LP, outras músicas obtiveram relativo sucesso, entre as quais Rock fora da lei e O brilho da noite, parceria com Geraldo D'arbilly. No ano seguinte, ao lado de Barão Vermelho, Herman Torres, Robson Jorge e Lincoln Olivetti, Roupa Nova, José Renato, Fred Nascimento e Marisa Monte, entre outros, participou da trilha sonora do filme Tropclip, na qual interpretou de sua autoria Tempos difíceis.

No ano de 1986, foi convidado pela revista "Roll" para entrevistar B.B. King, que por essa época apresentava-se no Brasil. B. B. King emprestou-lhe sua famosa guitarra Lucille, convidando-o para visitá-lo em Indianápolis. Para seu quarto disco, fez eleições diretas no Circo Voador, pelas quais o público escolheu o repertório.

Em 1996 transferiu-se para a cidade de Joinville, em Santa Catarina.

Em 1999, lançou o CD Vagabundo errante, na casa de espetáculos carioca Ballroom. No ano de 2002 apresentou-se na Lona Cultural João Bosco, em Vista Alegre, subúrbio do Rio de Janeiro e na Lona Cultural Gilberto Gil, em Realengo, também no Rio de Janeiro. Em 2003, apresentou-se no HardRockCafé, no Rio de Janeiro.

No ano de 2007 fez show no Circo Voador gravando as faixas para o CD e DVD Quem foi que falou que acabou o rock'n' roll?, nos quais compilou seus maiores sucessos: Blues motel, Fumando na escuridão, Marginal, Aumenta que isso aí é rock'n' roll e Tempos difíceis, além da faixa inédita que dá nome ao disco. O DVD e CD foram lançados em show na casa carioca Canecão no ano seguinte, em 2008.

Em 2011 lançou o último disco de carreira intitulado Por um monte de cerveja. Foi considerado um dos melhores guitarristas de blues do Brasil.

Obra

Amor vazio, Aumenta que isso aí é rock and roll, Blues motel, Filhos da bomba, Fumando na escuridão, O brilho da noite (c/ Geraldo D'Arbilly), Quem foi que falou que acabou o rock'n' roll?, Rock fora da lei, Tempos difíceis.

Discografia

(1982) Rock voador • Independente • LP; (1983) Fugindo de mim/Sinto tanta vontade • WEA • Compacto simples; (1983) Eu disse adeus/Caminhando • WEA • Compacto simples;(1984) Som na guitarra • Philips/WEA • LP; (1985) Tropclip • Philips • LP; (1986) Marginal blues • Polygram • LP; (1987) Celso Blues Boy 3 • LP; (1988) Blues forever • LP; (1989) Quando a noite cai • LP; (1991) Ao vivo - Celso Blues Boy • CD; (1996) Indiana Blues • CD; (1998) Nuvens Negras Choram • CD; (1999) Vagabundo errante • CD; (2008) 2008 Quem foi que falou que acabou o rock'n' roll? (ao vivo no Circo Voador) • DVD; (2008) Quem foi que falou que acabou o rock'n' roll? • CD; (2011) Por um monte de cerveja • CD.


Fonte: Dicionário Cravo Albin da MPB.