Páginas

domingo, junho 23, 2013

Vicente Sabonete


Vicente Gagliano, compositor, violonista e sambista, conhecido como "Vicente Sabonete" ou "Sabonete", nasceu provavelmente em 1888, no Rio de Janeiro, RJ, falecendo na mesma cidade em 23/05/1966.

Segundo Jaci Pacheco, em Noel Rosa e sua época, a origem desses apelidos estaria no fato de Vicente ter arranjado emprego para os filhos em uma fábrica de sabonetes. Já Almirante, em No tempo de Noel Rosa, acredita que esteja relacionado ao início de sua vida profissional, quando negociava com perfumarias.

Foi contemporâneo, em sua juventude, do grupo dos chorões de Anacleto de Medeiros e Candinho Trombone. Residia já na década de 1920 no bairro carioca de Vila Isabel, onde conhecia demais o seu jovem vizinho, o estudante de medicina, boêmio e talentoso compositor Noel Rosa.

Embora aqui não se queira adentrar na história de Noel, mas sim, na de Vicente Sabonete, os poucos registros do chorão e sambista Sabonete invocam sempre a vida (ou a morte) do famoso compositor da Vila: Noel morreu no seu chalé da Rua Teodoro da Silva, às 23 horas do dia 4 de maio de 1937, enquanto na casa em frente uma festa comemorava o aniversário de dona Emília, mulher de Vicente Sabonete, amigo do compositor.

Assim comenta um tal Aníbal, integrante desta festa de aniversário, numa reportagem do Jornal do Brasil: "A gente não sabia que ele estava morrendo. Foi um choque quando a notícia chegou".  

Sepultado compositor da velha guarda


"O sambista e compositor Vicente Gagliano, mais conhecido pelo apelido de Sabonete, foi sepultado ontem, às 14 horas, no Cemitério do Caju. Vicente, que contava 78 anos, morreu na tarde de domingo, em sua residência, na Rua Teodoro da Silva, 385, Vila Isabel, vítima de ataque cardíaco. Deixa viúva dona Emília Gagliano e dez filhos.

Vicente Sabonete, compositor da velha guarda, foi amigo de Noel Rosa, Pixinguinha, João Pernambuco e Nelson Cavaquinho. Suas composições mais conhecidas são "Emília" e "Feiticeira", além de diversas composições em parceria com Noel Rosa (1), que morreu no dia 4 de maio de 1937, na casa vizinha a de Vicente (Gagliano), onde naquele momento se realizava uma festa.

Seus dez filhos são: Salvador, Vicente Gagliano Filho, Marieta, Jacy, Aída. Ondina, Norma, Marina, Tereza e Ênio." (Correio da Manhã, 24/5/1966)

(1) Talvez tenham feito mesmo essas composições no papel, nunca gravadas no vinil. Noel Rosa era assim, escrevia sambas com os amigos na taberna...

___________________________________________________________________
Fontes: Correio da Manhã, de 24/05/1966; Jornal do Brasil, de 30/11/1990; Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e Publifolha; Dicionário da MPB.

Nenhum comentário: