sexta-feira, janeiro 28, 2011

Luli e Lucina



Luli e Lucina - Dupla de cantoras, compositoras e instrumentistas que, ministrando oficinas de criatividade musical e pesquisando ritmos primitivos, foram precursoras do chamado movimento de música independente do início dos anos de 1980.

Formada por Heloísa Orosco Borges da Fonseca (Rio de Janeiro RJ 1945—) e Lúcia Helena Carvalho e Silva (Cuiabá MT 1950—), a dupla surgiu em 1971, chegando à final do VI FIC com Flor lilás e lançando nesse ano seu primeiro disco, o compacto duplo Flor lilás, pela Som Livre.

Em 1993 estiveram em tournée por 30 cidades da Suíça e França. Em 1995 lançaram o CD Elis e elas, uma homenagem a Elis Regina, resultado de um espetáculo mostrado durante três anos em várias cidades do país. 

Os sucessos de autoria da dupla incluem Me rói, Primeira estrela, Êta, nóis! e Bugre, gravados, entre outros, por Ney Matogrosso, Secos e Molhados, Tetê Espíndola, Nana Caymmi, Joyce, Olívia Byington, Zélia Duncan, Rolando Boldrin, Marília Pêra e Wanderléia

Os LPs da dupla são Luli & Lucinha (independente, 1979), Yorimatã (independente, 1982), Eta nóis (independente, 1984), Timbres e temperos (Som da Gente, 1986), Porque sim, porque não (Leblon Records, 1992), Elis e elas (Leblon Records, 1995) e a coletânea Luli & Lucina —25 anos (Dabliú/Eldorado, 1996). 

Luli (sobrinha-neta de Noel Rosa) iniciou carreira nos anos de 1960, gravando seu primeiro LP em 1966, pelo selo Philips, com arranjos de Guerra-Peixe e incluindo composições dela mesma (Em tempo de vida), Luís Carlos Sá (Baleiro), Zé Keti (Esta favela que eu amo) e outros. 

Seu primeiro sucesso como compositora é O vira, parceria com João Ricardo, lançada pelos Secos e Molhados em 1973. 

Luli é fabricante de tambores, inclusive de cerâmica (muito comuns no Oriente Médio e inusitados no Brasil), inspirada na umbanda e na “fronteira entre a nota e o ruído”. 

Lucinha mudou seu nome artístico para Lucina em 1982, em razão do surgimento de outras artistas de nome Lucinha. 

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e Publifolha - 2a. Edição - 1998.