terça-feira, junho 11, 2013

Aidée Miranda

Aidée Miranda (Aidée Vilote), cantora, rádio-atriz e apresentadora de TV, nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 04/10/1926. Iniciou sua carreira quando obteve a segunda colocação cantando num programa de calouros da Rádio Nacional em 1945 denominado "Vencedoras do Campeonato de Calouros", comandado por Almirante. Isto lhe valeu um contrato momentâneo naquela emissora, de onde passou para a Rádio Tamoio, onde atuou por um certo período.

A convite de Olavo de Barros, transferiu-se para a Rádio Tupi, das Emissoras Associadas do Brasil. Talvez por saber antecipadamente, que ali seria instalada em breve a 2ª emissora do Brasil, a TV Tupi, do Rio de Janeiro, em janeiro de 1951.

Sendo bonita, graciosa e inteligente, nada melhor que colocá-la à frente das câmeras, solicitando-lhe um improviso qualquer. Assim foi feito. E assim Aidée se saiu muito bem.

Tudo começou pra ela quando Fernando Chateubriand, engenheiro, filho do big boss Assis Chateaubriand, a viu no corredor e lhe pediu uma foto, para os primeiros testes com as câmeras. Ela forneceu, nem sequer perguntando para que fosse. Qual foi sua surpresa, ao ser escolhida por ele, e pelo diretor artístico, para a primeira apresentação.

Sua primeira função era de simplesmente, no final de todas as noites, anunciar os filmes e telejornais que iriam passar no Canal 6 no dia seguinte e dar boa noite aos telespectadores, fechando a programação ao embalo da música Acalanto, de Dorival Caymmi. A mulher-vinheta da nossa TV.

Mas isso durou pouco. Novos atores foram contratados, novos programas aconteceram. À Aidée foi atribuída a função de apresentar os artistas internacionais contratados. E ela os fez, com capricho e beleza. Foi assim que apresentou nomes internacionais, como: Pedro Vargas, Carlos Ramirez, Trio Los Panchos, José Mojica, Amália Rodrigues, Maurice Chevalier, Josephine Baker, Jean Sablon e muitos outros.

Na TV Tupi, a atriz ainda participava dos teleteatros. Foi Lady Bela, heroína do seriado juvenil Falcão Negro. Depois Aidée passou para a TV Rio e ali fez "Quadra de damas". Atuou também na TV Itacolomi, de Belo Horizonte, na TV Rádio Clube do Recife, onde apresentou o programa "Ciranda, Cirandinha". 

Na TV Paulista, de São Paulo, a atriz e apresentadora fez o "O Mundo É das Mulheres", ao lado de várias atrizes, entre elas Hebe Camargo. Fez na TV Excelsior em 1964, a novela É proibido amar. E na TV Globo: Pai herói, Rainha da sucata, Lua cheia de amor e Sonho meu.

Aidée trabalhou também no teatro com Silveira Sampaio e no cinema com Paulo Porto, Fada Santoro e Cyl Farney.

______________________________________________________________________
Fontes: Museu da TV Brasileira; Almanaque da TV; Cena Muda, de Junho/1950.

Nenhum comentário:

Postar um comentário