segunda-feira, junho 10, 2013

Henrique Batista

Henrique Batista (A Cena Muda, 1945)
Henrique Batista, compositor, nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 28/09/1908 e suas músicas foram feitas quase sempre em parceria com a sua irmã Marília Batista, Em 1932, teve suas primeiras composições gravadas, com a marcha Me larga! e o samba Pedi...implorei..., parcerias com Marília Batista, interpretadas pela própria cantora na Victor.

Em 1940, o samba Menina fricote, parceria com Marília Batista, foi gravado na Victor por Araci de Almeida. Em 1941, integrou o trio Os Três Marrecos, onde atuou ao lado da irmã Marília Batista e de Alcides Gerardi.

Em 1942, foi parceiro de Marília Batista e Arnaldo Paes no samba Samba de 42, gravado por Arnaldo Amaral na Columbia.Teve o samba Grande prêmio, parceria com a irmã Marília Batista gravado por  Linda Batista na Victor em 1943. No mesmo ano, os sambas Era eu e A mulher tem razão, parcerias com Marília Batista e M. Quintanilha, foram gravados por Francisco Alves na Odeon, e os sambas Pobre rapaz e É fingimento dela, com Marília Batista, foram lançados pelo trio vocal As Três Marias, na gravadora Victor.

Em 1944, o samba Salão azul, com Marília Batista, foi gravado pela cantora. Em 1950, Emilinha Borba gravou na Continental o samba Boa, também em parceria com Marília Batista.

Em 1951, mais duas parcerias com a irmã Marília Batista foram gravadas por ela pelo selo Carnaval, os sambas Lamento e Tamborim batendo.

Em 1952, os sambas Nunca mais, Você não é feliz porque não quer, Imitação, Vai, eu te dou liberdade, Praia da Gávea e Vila dos meus amores, sempre parcerias com a irmã, foram gravados por Marília no LP "Samba e outras coisas", da Musidisc.

Em 1957, o tango Desengano, com Marília Batista, foi gravado na Continental por Emilinha Borba, e o samba Você não é feliz porque não quer, com Marília Batista, foi regravado por Vera Lúcia, também na Continental.

Em 1960, as músicas Nunca mais, Imitação, Praia da Gávea, Vai, eu te dou liberdade, Vila dos meus amores, e Você não é feliz porque não quer, todas com a parceira de sempre foram gravadas no LP Marília Batista, sua personalidade... sua bossa, lançado pela Musidisc.

Em 1997, o samba Menina fricote, foi regravado por Olívia Byington no CD A dama do Encantado, homenagem à cantora Aracy de Almeida. Em 2001, o samba Moreira na Ópéra, com Marília Batista, no qual é feita citação à ópera O Guarani, de Carlos Gomes, foi gravado por Jards Macalé no CD Macalé canta Moreira.

Teve cerca de vinte composições gravadas por nomes como Vera Lúcia, Linda Batista, Alcides Gerardi, Francisco Alves e Emilinha Borba. Além, é claro, dos registros com sua quase exclusiva parceira, a irmã Marília Batista.

Obra

A mulher tem razão (c/ Marília Batista e M. Quintanilha), Boa (c/ Marília Batista), Desengano (c/ Marília Batista), É fingimento dela (c/ Marília Batista), Era eu (c/ Marília Batista e M. Quintanilha), Grande prêmio (c/ Marília Batista), Imitação (c/ Marília Batista), Lamento (c/ Marília Batista), Me larga! (c/ Marília Batista), Menina fricote (c/ Marília Batista), Nunca mais (c/ Marília Batista), Pedi...implorei... (c/ Marília Batista), Pobre rapaz (c/ Marília Batista), Praia da Gávea (c/ Marília Batista), Salão azul (c/ Marília Batista), Samba de 42 (c/ Marília Batista e Arnaldo Paes), Tamborim batendo (c/ Marília Batista), Vai, eu te dou liberdade (c/ Marília Batista), Vila dos meus amores (c/ Marília Batista), Você não é feliz porque não quer (c/ Marília Batista).

_____________________________________________________________
Fonte: Dicionário Cravo Albin da MPB.