sexta-feira, junho 21, 2013

Wilson Roberto

Wilson Roberto - 1948
Wilson Roberto (Antônio Bistene), cantor e compositor, conhecido como "cantor dos olhos verdes", nasceu em Corinto, Minas Gerais (circa 1925). Em 1945, passou a residir na cidade de São Paulo.

Estreou em discos em 1945, gravando na Continental com acompanhamento de Rago e seu conjunto a marcha Quero bis, de Valdomiro Lobo, e o samba Maestro, atenda o pedido, de Rômulo Paes e Valdomiro Lobo.

Em 1946, lançou dois discos, sendo que no primeiro, interpretou os sambas Pensando nela, de Hélio Sindô e Valdomiro Lobo, e O meu viver, de sua autoria, Valdomiro Lobo e Rago. No segundo, cantou a marcha O maestro tem razão, de Hélio Sindô e Valdomiro Lobo, e o samba Olinda não fracassou, de Hélio Sindô e Arlindo Pinto.

Em 1948, passou a gravar na Odeon e lançou a marcha Não me falte a lua, de Gomes Cardim e Fernando Martins, e o samba Você chorou, de Gomes Cardim e Noel Vitor.

Em 1950, gravou os sambas Brasil romântico, de Lauro Muller e Ubaldo Silva, e Noite sem promessa, de Fernando Martins, o bolero Amor e mais amor, de B. Capo, com versão de Haroldo Barbosa, e o baião Rolinha, de Victor Simon e Bueno Braga, além das marchas Ai, ai de mim, de José Roy e Orlando Monello, e "Clara", de Odaurico Mota.

Em 1951, gravou o samba Terra seca, de Ary Barroso, além do bolero Tentação, de Alfredo Godinho e Domingos Blasco, dos sambas Brasil moreno, de Ary Barroso e Luiz Peixoto, e Foi Deus, de Orlando Monello, do baião Sabugueiro, de Ubaldo Silva e Gomes Costa, da marcha Vem morena, de José Roy, e dos sambas-canção Veleiro do Brasil, de Victor Simon, e Voltei, de José Roy e Liz Monteiro.

Em 1952, gravou seus dois últimos discos pela Odeon com os sambas Brasil grande, de Petrus Paulus, Exaltação ao Rio, de Cristóvão de Alencar e Luiz de França, e Amazonas (Inferno verde), de Victor Simon e Liz Monteiro, e o samba-canção Sofrimentos iguais, de Alfredo Godinho. Nesse mesmo ano, foi contratado pela RCA Victor, onde interpretou os sambas Não adianta chorar, de José Roy, S. Falcão e A. de Oliveira, e Não sou Deus, de Liz Monteiro e Orlando Monello, e as marchas Vou morar no deserto, de José Roy e Orlando Monello, e Boneca, de Jucata.

Em 1953, gravou o samba Saudade, de José Roy e Orlando Monello, a valsa Feliz casamento, de A. Sciarotta e Orlando Monello, o samba-canção Sonho desfeito, de Q. Querino e Orlando Monello, o bolero Meu mal é você, de sua autoria, e o tango Mentira, de Flores, Pracanico e Rodrigues. Gravou ainda a marcha Hino infantil, de sua autoria e a valsa São Judas Tadeu, uma parceria com Ubaldo Silva, com acompanhamento do coro do Orfanato São Judas Tadeu.

Gravou em 1954 os boleros Amor perdido, de Pedro Flores e Liz Monteiro, e Bolero dos namorados, de sua autoria, o tango Lencinho querido, de Feliberto e Peñaloza, em versão de Maugéri Neto, e o samba-canção Ambição, de Erasmo Silva e Américo Seixas, entre outras.

No ano seguinte, lançou os sambas Funeral, de Tânio Jairo e Antônio Lopes, e Casado não pode abusar, de José Roy e João Grimaldi, o tango Minha esposa querida, de sua autoria, e o samba-canção Agasalho, de Armando Castro, Barros Filho e Raguinho. Ainda em 1955, lançou seus dois últimos discos pela RCA Victor interpretando a valsa Ano novo, de sua autoria, Arlindo de Oliveira e Leitão, a marcha-rancho Natal...natal, sua autoria e de Doca, o samba Gorro de meia, de José Roy e João Grimaldi, e a marcha Cadilac de pobre, de José Roy e Edson Borges.

Em 1956, transferiu-se para a Polydor e registrou o beguine Arrivederci Roma, de R. Rascel, Garinel e Giovani com versão de Júlio Nagib, e o samba-canção Nada, de sua autoria. No mesmo ano, gravou a marcha Quem paga sou eu, de Everton Correia e Inácio Heleno, e os sambas Não sou palhaço, de José Roy e Orlando Monelo, Jequintibar, de Firmo Jordão, o Doca e Mário Pretextato, o Popó, e Cai meu pranto, de Victor Simon e Antoninho Lopez.

Gravou pela gravadora Califórnia em 1960, com acompanhamento de J. Catarino e sua banda as marchas Meu vício é mulher, de Haroldo Lobo, Milton de Oliveira e J. Lima, e Cravo e canela, de Nelson Figueiredo, Henrique de Almeida e Rômulo Paes.

Em 1963, lançou pela Philips o samba-canção Meu amanhã não é mais seu, de Dora Lopes, e a balada Eu que amo só você, uma versão de Fred Jorge para o sucesso do italiano Sergio Endrigo Io che amo solo te , em disco que contou com o acompanhamento de Portinho e sua orquestra. Pouco depois, já com a carreira em declínio, lançou pelo selo RMS os sambas Gimba, de Jorge Koszas e Gianfrancesco Guarniri, e Céu brasileiro, de Odovaldo Migliano.

Obra


Ano novo (c/ Arlindo de Oliveira e Leitão), Bolero dos namorados, Hino infantil, Mamãezinha. Maria da noite (c/ Orlando Monello), Maria José (c/ Gomes Cardim), Meu mal é você, Minha esposa querida, Nada, Natal...natal (c/ Doca), O meu viver (c/ Valdomiro Lobo e Rago), São Judas Tadeu (c/ Ubaldo Silva).

Playlist




Discografia


Quero bis/Maestro atenda o pedido (1945) Continental 78
Pensando nela/O meu viver (1946) Continental 78
O maestro tem razão/Olinda não fracassou (1946) Continental 78
Não me falte a lua/Você chorou (1948) Odeon 78
Brasil romântico/Amor e mais amor (1950) Odeon 78
Rolinha/Noite sem promessa (1950) Odeon 78
Ai, ai de mim/Clara (1950) Odeon 78
Terra seca/Tentação (1951) Odeon 78
Brasil moreno/Sabugueiro (1951) Odeon 78
Vem morena/Foi Deus (1951) Odeon 78
Veleiro do Brasil/Voltei (1951) Odeon 78
Brasil grande/Exaltação ao Rio (1952) Odeon 78
Amazonas (Inferno verde)/Sofrimentos iguais (1952) Odeon 78
Não adianta chorar/Vou morar no deserto (1952) RCA Victor 78
Boneca/Não sou Deus (1952) RCA Victor 78
Mamãezinha/Saudade (1953) RCA Victor 78
Feliz casamento/Sonho desfeito (1953) RCA Victor 78
São Judas Tadeu/Hino infantil (1953) RCA Victor 78
Meu mal é você/Mentira (1953) RCA Victor 78
São Paulo/Virgem Nossa Senhora de Fátima (1953) RCA Victor 78
Maria José/Gira gira (1953) RCA Victor 78
Vai com Deus/Exemplo do cachorro (1953) RCA Victor 78
Amor perdido/Bolero dos namorados (1954) RCA Victor 78
Lencinho querido/Ambição (1954) RCA Victor 78
Garçon/Muitas vezes (1954) RCA Victor 78
Maria da noite/Pepe Romero (1954) RCA Victor 78
Ai, Pepe toureiro/Garotas das porteiras (1954) RCA Victor 78
Funeral/Minha esposa querida (1955) RCA Victor 78
Agasalho/Casado não pode abusar (1955) RCA Victor 78
Ano novo/Natal...natal (1955) RCA Victor 78
Gorro de meia/Cadilac de pobre (1955) RCA Victor 78
Arrivederci Roma/Nada (1956) Polydor 78
Quem paga sou eu/Não sou palhaço (1956) Polydor 78
Jequintibar/Cai meu pranto (1956) Polydor 78
Meu vício é mulher/Cravo e canela (1960) Califórnia 78
Meu amanhã não é mais seu/Eu que amo só você (1963) Philips 78
Gimba/Céu brasileiro (1964) RMS 78

_______________________________________________________________
Fontes: Dicionário da MPB; www.musicapopular.org; Revista do Rádio.