quinta-feira, setembro 18, 2008

Afinal

Afinal (bolero, 1951) - Ismael Neto e Luís Bittencourt - Interpretação: Os Cariocas (1958)



Afinal
Tu sofres o que eu sofri
Pagas hoje o que fizeste de mal
Sentes a dor que eu senti

Quando eu quis
Só para mim teu amor
Tu zombaste
Eu me julguei infeliz
Me vendo sem teu calor

Sou feliz, bem longe de ti
E nem sequer lamento o que sofri
Aaquele meu tormento já teve fim
surgiu nova ilusão sim
Para o meu coração

Afinal
Tu sofres o que eu sofri
Pagas hoje o que fizeste de mal
Sentes a dor que eu senti

Sou feliz, bem longe de ti
E nem se quer lamento o que sofri
Aquele meu tormento já teve fim
Surgiu nova ilusão sim
Para o meu coração.

Afinal
Tu sofres o que eu sofri
Pagas hoje o que fizeste de mal
Sentes a dor que eu senti