Páginas

sexta-feira, dezembro 06, 2013

Nando Cordel

Nando Cordel (Fernando Manoel Correia), cantor, compositor e instrumentista, nascido em Ipojuca, Pernambuco, em 13/12/1953, tem suas canções gravadas por grandes figuras da música popular brasileira, como Elba Ramalho, que transformou em sucesso sua primeira parceria com Dominguinhos, a belíssima canção De volta pro aconchego.

Sua fama como compositor é bem maior do que como intérprete. Já teve músicas gravadas por Chico Buarque, Zizi Possi, Fagner, Maria Bethânia, Fábio Jr, Martinho da Vila, Fafá de Belém, Ivete Sangalo e outros. Alguns de seus sucessos são  Isso aqui tá bom demais, com Dominguinhos, Hoje é dia de folia e Gostoso demais.

Como intérprete, já lançou cerca de 25 discos e uma coleção de 12 CDs dedicados a músicas para meditação e relaxamento. Segundo ele, essas músicas são um encontro com a paz, a serenidade e a meditação. Com títulos que definem muito bem o que se vai ouvir, a coleção para meditação é composta por músicas instrumentais: Doces canções, Doce harmonia, Doce paz, Doce luz, Doce natureza, Dedicado às flores, Dedicado a vida, Dedicado à beleza, Dedicado à voz e Iluminando a alma.

Filho de um comerciante que também era poeta e repentista, "Seu Manoel do Posto", e de uma dona de casa, Dona Nata, Nando é o mais velho de 14 irmãos. O sobrenome Cordel surgiu a partir de uma brincadeira entre os sobrenomes. Mas também é uma homenagem a um tipo de arte popular. A chamada literatura de cordel veio da Europa, se instalou rapidamente e é patrimônio cultural do nordeste brasileiro.

Com trabalhos centrados na cultura musical pernambucana e nordestina, como forrós e xotes, , o artista sofre ainda grande influência de outros ritmos, como a salsa e reggae. Nando Cordel compõe para diferentes estilos e gerações de intérpretes. Por conta disso, as composições dele são bem diversificadas, como as românticas, dançantes e até infantis. O primeiro violão, aos 15 anos, foi o pontapé inicial para a carreira artística. Nando Cordel ganhou o instrumento do pai e aprendeu a tocar sozinho. Com 17 anos, já fazia parte de uma banda de baile. Foi assim que começaram as apresentações profissionais.

Foi nessa época que sentiu necessidade de criar um estilo próprio e passou a compor. De lá pra cá, assinou centenas de composições e teve mais de 500 músicas gravadas por grandes artistas. Em algumas dessas composições contou com a ajuda de importantes parceiros, como Elba Ramalho e Dominguinhos.

 Obra

Arroz com feijão, Aumenta o meu salário, Bateu de close, Brasil Argentina, Com você eu vou, Coração da gente, De volta pro meu aconchego (c/ Dominguinhos), Dedicado a você, Dedicado às flores, Diz pra mim, Doce harmonia, Doce luz, Doce natureza, Doce paz, Doces canções, Doida, Doido pra te amar, É de dar água na boca, É só dengo dengo, E só você querer, É tão bom te amar, Enfeitiçou meu coração, Estrela do amor (c/ Dominguinhos), Faz de mim (c/ Dominguinhos), Flor de cheiro, Gostoso demais (c/ Dominguinhos), Hoje é dia de folia, Isso aqui tá bom demais (c/ Dominguinhos), Jogo de cintura, Mensagem de avião, Minha doce estrela, Na batida da zabumba, Não faz assim (c/ Dominguinhos), Não quero mais sofrer, O povo só faz dançar, Rédea solta, Será que é essa?, Simbora, bora, bora, Tem que ter molejo, Vê estrelas, Vem ficar comigo, Vigiando você, Você caiu do céu, Você endoideceu meu coração, Você parece que tem mel na boca, Volta pra casa .


Fontes: Wikipédia; Dicionário Cravo Albin da MPB.

Nenhum comentário: