Páginas

domingo, maio 11, 2014

Moreira da Silva gostou do Sul ...

Foto: CARIOCA, 20/2/1937
"Arrasta a sandália, aí, morena!
Arrasta a sandália, aí, morena!

Quem não se recorda deste samba de grande sucesso de 1933? E mais tarde:

Implorar
Só a Deus
Mesmo assim
Às vezes não sou atendido ...

Dois autênticos sucessos do passado e as duas maiores criações de Moreira da Silva, um cantor conhecido do público carioca e que felizmente não figura nos calendários radiofônicos ao lado dos "medalhões" ...

Moreira da Silva é o mais carioca dos cantores da cidade. Como nenhum outro, através do ritmo de um samba, ele sabe contar a simplicidade da vida dos nossos morros e de seus habitantes.

Artista original, como poucos do nosso broadcasting, Moreira vai lançar uma série de sambas novos, tipo "Jogo proibido", todos ainda desconhecidos do público carioca.

Há muito, porém, ele não se apresenta frente aos microfones cariocas. Porto Alegre com seus encantos e o seu público sempre acolhedor, prendeu-o por mais de um mês. Lá, segundo o testemunho dos jornais locais, o seu sucesso foi grande. "Cadê o toucinho?", "Vara criminal", "Trabalho me deu o bolo" e outras músicas genuinamente cariocas e 100 por cento Moreira da Silva, foram verdadeiros sucessos na PRF-9, Rádio Difusora de Porto Alegre.

Moreira é amigo de CARIOCA. Chegando ao Rio, tivemos logo a primazia de sua visita. Mostra-se encantado com o que viu e com a recepção que teve:

— Porto Alegre é uma cidade linda. Tem passeios encantadores e uma população amabilíssima com os artistas cariocas. Tivemos, Joel e Gaúcho, Ivette Canejo e eu, uma recepção, sob todos os aspectos, magnífica. Tantas foram as gentilezas que, nem sei como agradecer. Apenas em Porto Alegre há uma coisa que não me agradou: os mosquitos ... No dia que a Prefeitura resolver acabar com eles, creio que a capital rio-grandense será uma verdadeira sucursal do Paraíso ...

— E o ambiente radiofônico?

— O "pessoal" é igual. Há um sambista interessantíssimo: Lupiscínio Gonçalves (1). Algumas composições dele já são conhecidas do Rio. Trago, porém, comigo, outras inéditas, que serão lançadas brevemente.

Fazia-se tarde. Moreira já de pé se retirava, quando lançamos a última pergunta:

— E agora, que vamos fazer?

— Voltar para o Sul dentro de breves dias ...”

(1) Equívoco da reportagem ou de Moreira? Ele provavelmente falava de Lupicínio Rodrigues ou de Alcides Gonçalves, a dupla de compositores gaúchos.


Fonte: Revista Semanal CARIOCA, de 20/02/1937.

Nenhum comentário: