quinta-feira, maio 08, 2014

Xerém

Xerém (Pedro de Alcântara Filho), compositor e cantor, nasceu em Baturité, Ceará, em 5/8/1911, e faleceu no Rio de Janeiro em 1982. Seu pai foi maestro na Marinha, influenciando-o a seguir a carreira artística. Foi o primeiro compositor a utilizar a palavra "forró" em uma composição, sendo, por essa razão, considerado por muitos como o pai do forró.

A partir de 1926 apresentou-se em circos e teatros pelo Brasil, integrando a "Trupe de Crianças Pequenas Edson", formada por seu pai. Em 1937 veio para o Rio de Janeiro com a irmã Nadir, com quem formava a dupla Xerém e Tapuia. Apresentaram-se inicialmente na Rádio Tupi e posteriormente foram efetivados no programa "Festa na roça", apresentado pelo Capitão Furtado.

Em 1937 gravaram o primeiro disco, cantando Quadria no arraiá, de Xerém e Pequeno Edson, e o choro Forró na roça, de Xerém e Manoel Queiroz.

A partir de 1939 passou a formar dupla com Bentinho, que cantara durante algum tempo com Alvarenga. No mesmo ano, a dupla gravou o primeiro disco cantando a moda de viola Chapéu das moças, de Xerém e Bentinho, e a rancheira Mariquita de Pequeno Edson. A dupla apresentou-se no programa de César Ladeira, na Rádio Mayrink Veiga, onde lançou várias músicas.

Em 1941, a cantora Araci de Almeida gravou Mamãe baiana, parceria de Xerém e Joraci Camargo.

A dupla Xerém e Bentinho lançou diversos discos, principalmente pela RCA Victor, como o calango Avoa jacutinga, de José Alves Torres, e a moda de viola Moda do casamento, de Xerém e Bentinho.

Em 1943, Xerém passou a fazer dupla com De Moraes, com quem gravou, em junho de 1944, a marcha Lá vai balão, de Xerém e Pequeno Edson, e a valsa Saudades de Marianinha, de De Moraes. No mesmo ano, Xerém participou do filme Abacaxi azul de J. Rui.

Em 1947, participou de Fogo na canjica, filme de Luís de Barros, diretor com quem trabalharia em 1949 no filme Eu quero é movimento. Em 1954 voltou a fazer dupla com Bentinho, com quem gravaria mais alguns discos.

Em 1954, passaram a se apresentar no programa do Capitão Furtado, na Rádio Piratininga em São Paulo. Durante esse período a dupla apresentou-se em diversas cidades brasileiras. Com o término da parceria, Xerém apresentou em diversas emissoras de rádio o programa "Na palhoça do Xerém". Atuou no episódio "Tesouro perdido", da série de televisão Vigilante Rodoviário.

Em 1978, gravou um LP em que se destacaram as músicas Na palhoça do Xerém, dele e Reinaldo Santos, Quatro namorados, de Xerém e Capitão Furtado, No Ceará tem, parceria com Claudir Durante e Trem de Jequiá, parceria com Luciano Garcia.

Em 2009, foi homenageado pela neta Cris Aflalo, que interpretou, no programa "Viola minha viola", na TV Cultura de São Paulo, acompanhada pelo sanfonero Oswaldinho do Acordeom, seu baião Alegria comigo mora, parceria com Mané Baião.


Fontes: Wikipédia; Dicionário Cravo Albin da MPB; Revista semanal Carioca, de 6/2/1937 (foto).