quarta-feira, maio 07, 2014

Pinheirinho, o humorista de cinco instrumentos

Pinheirinho conseguiu dar uma feição diferente a cada instrumento que lhe cai às mãos: ensaia com violão acordes boêmios, ensina ao cavaquinho novas modalidades de som, faz o banjo ficar muito alegre, empresta ao violão-tenor uma outra voz e consegue com o "tryolin" ressonâncias básicas. Ele é o esplêndido estilizador de melodias simples, gostando de criá-las a seu modo. Por isso mesmo, nunca se atrapalha com todos os instrumentos que acompanham a sua vida de artista vitorioso.

Pinheirinho é um dos antigos elementos do "broadcasting" brasileiro, tendo atuado ao microfone pela primeira vez em 1926, ainda na antiga Rádio Record, então sob a direção de Álvaro Liberato de Macedo. Sempre às voltas com seus instrumentos prediletos, Pinheirinho integrou durante algum tempo o "Quarteto dos Kalungas", um programa do qual faziam parte mais três artistas da força de Pinheirinho: Barreto, Lázaro e Machado.

Sua carreira artística tem sido das mais felizes percorrendo estações de rádio se contratou durante longo tempo na Record, obtendo o primeiro prêmio, medalha de ouro, em concurso de músicas brasileiras. Depois, atuando no palco, obteve de Procópio Ferreira o título de "humorista do cavaquinho", um de seus instrumentos prediletos.

Deixando a vida teatral regressou ao microfone, que o recebeu festivamente. Agora contrato pela Rádio Nacional, depois de ter percorrido sempre com êxito diversas outras emissoras do Rio e de São Paulo, ele se declara perfeitamente satisfeito.

Falando à CARIOCA, fez questão de se confessar encantando com a gentileza dos ouvintes, os quais chegam a lhe escrever cartas em português, francês, etc ...

O seu nome verdadeiro é Adail Pinheiro Machado, natural de São Paulo.

Na PRE-8 ele atua sempre com grande sucesso, tocando os seus cinco instrumentos, um de cada vez, cada qual com seu estilo próprio.

Pinheirinho já tem viajado muito pelo interior do Brasil e pretende continuar viajando. Além de artista ele é também ativo funcionário do Ministério da Agricultura.


Fonte: Artigo da revista semanal "Carioca" de janeiro de 1937, atualizado para a nossa ortografia atual, com foto e propaganda daquela época.

Nenhum comentário: