quinta-feira, dezembro 29, 2011

Quem dá mais

Quem Dá Mais (1978) - Beto Suryan - Interpretação: Antônio Marcos

Compacto Duplo Antonio Marcos / Título da música: Quem Dá Mais / Beto Suryan (Compositor) / Antônio Marcos (Intérprete) / Gravadora: RCA Victor / Ano: 1977 / Nº Álbum: 102.0191 / Lado A / Faixa 1 / Gênero musical: Canção.


Tom: G

D/F# Em           Em/D
Eu quero me ver em 1996
        Am           Am/G                         D
Pois eu quero saber como vão ser as coisas por lá
G                 D/F# Em             Em/D
Eu preciso me ver em 1996
     Am               Am/G                 D
E dizer sim ou não aos processos de vida de lá
G                       D/F#           Em         Em/D
Outro dia eu sonhei que estava numa arena gigante
     Am                         Am/G         D
Era eu o mais caro objeto vendido em leilão
 G                  D/F#                Em          Em/D
Gargalhadas soavam por toda essa arena mercante
    Am                          Am/G           D
E eu era um palhaço sem graça vendido em leilão

 C                 D   G  D/F# Em
E eu olhava tudo calado
 C                 D   G  D/F# Em
E eu levava fé nessa mão
 C                  D   G  D/F# Em
E eu ouvia os preços gritados
 C                   D   G  D/F# Em
e eu calava o meu coração            (2x)

G                  D/F#               Em        Em/D
Quem dá mais por um cara que ousou acreditar nos seus
    Am             Am/G                    D
Quem dá mais por um homem que insiste na palavra Deus
G                  D/F#               Em        Em/D
Quem dá mais por um louco que discorda do computador
    Am                Am/G                             D
Quem dá mais por um velho ultrapassado que ainda crê no amor

  G                     D/F#           Em       Em/D
Fui vendido afinal como tudo no grande mercado
       Am            Am/G                   D
Mas meu medo acabou quando alguém me tocando falou:
G                    D/F#            Em         Em/D
Este povo um dia já foi por meu Pai perdoado
       Am              Am/G                 D
E eu também fui vendido, pregado e nada mudou

Letra:

Eu quero me ver em 1996
Pois eu quero saber como vão ser as coisas por lá
Eu preciso me ver em 1996
E dizer sim ou não aos processos de vida de lá
Outro dia eu sonhei que estava numa arena gigante
Era eu o mais raro objeto vendido em leilão
Gargalhadas soavam por toda essa arena mercante
E eu era um palhaço sem graça vendido em leilão

E eu olhava tudo calado
E eu levava fé nessa mão
E eu ouvia os preços gritados
E eu calava o meu coração
(2x)

Quem dá mais por um cara que ousou acreditar nos seus
Quem dá mais por um homem que insiste na palavra Deus
Quem dá mais por um louco que discorda do computador
Quem dá mais por um velho ultrapassado que ainda crê no amor

Fui vendido afinal como tudo no grande mercado
Mas meu medo acabou quando alguém me tocando falou:
Este povo um dia já foi por meu pai perdoado
E eu também fui vendido, pregado e nada mudou