terça-feira, fevereiro 22, 2011

Margareth Menezes


Margareth Menezes, cantora e compositora, nasceu em Salvador, BA, em 13/10/1962.Desde menina aprendeu com a mãe a cantar sambas de roda. Cantou na escola, em coral de igreja e fez teatro antes de estrear em trios elétricos, durante o Carnaval. Compõe desde os 15 anos; também toca violão.

Em 1983 começou a carreira profissional, em casas noturnas de Salvador. Em 1985 ganhou o Troféu Caymmi como melhor intérprete da Bahia.


Gravou em 1989 seu primeiro disco, Margareth Menezes (Polygram), fincado nas raízes da música baiana, obtendo êxito nacional e internacional, com destaque para a música Elegibô (Ytamar Tropicália e Rei Zulu), que ficou 11 semanas em primeiro lugar nas paradas de sucesso dos EUA, na categoria world music e foi premiada pela revista norte-americana Billboard. A repercussão dessa música atraiu a atenção do cantor norte-americano David Byrne (ex-Talking Heads), que a convidou para fazer parte de seu show.

Em 1989 e 1990, acompanhou David Byrne em mais de 50 shows pela Europa e pelos EUA, cantando na abertura um repertório de samba-reggae, que ela definia para as audiências internacionais como um “novo ritmo criado pelos blocos afro da Bahia”. Participou em festivais de música na Bélgica, Alemanha, Inglaterra e no Japão e fez apresentações individuais em vários países.

Seu segundo disco, Um canto pra subir (1990), mesclou os ritmos afro e pop, trazendo samba-reggae, funk-samba e samba carioca, com destaque para as faixas Me abraça e me beija (Dominic Smith e Jimmy Cliff, versão de Lazzo e Gileno Félix) e Co-brador (Carlinhos Brown).

Em 1991 lançou Kindala, um disco mais tecnopop, em que gravou pela primeira vez uma canção de sua autoria, O jet ski do presidente. Em Luz dourada, disco de 1993, incluiu duas músicas de sua autoria: Mar de amor e Terra e mar.

Em 1995 lançou Gente de festa (Continental), um disco dançante com participações especiais de Caetano Veloso em Vestido de prata (Jorge Alfredo), Maria Bethânia em Libertar (Roberto Mendes e J. Veloso), e três composições de sua autoria, entre elas Cavalo alado. No mesmo ano, foi citada entre os 11 artistas estrangeiros mais conhecidos pelo público norte-americano, em pesquisa feita pela Billboard.

Em 1997, participou da Ópera Lídia de Oxum, evento público montado ao ar livre com participação de 20 mil pessoas, dirigido pelo autor, o poeta e letrista Ildásio Tavares. Neste mesmo ano, participou da coletânea Tropicália - 30 anos, ao lado de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Tom Zé, Lazzo, Carlinhos Brown, Gal Costa, Asa de Águia, Armandinho, Pepeu Gomes, Daniela Mercury, Didá Banda Femenina, Araketu, Banda Eva, Banda Cheiro de Amor, Ilê Ayê e Vírginia Rodrigues.

Em 1999, participou mais uma vez do carnaval de Salvador com o seu Trio Futurista e comandou o Bloco da Cidade, homenageando os 450 anos da cidade de Salvador, ao lado de Gilberto Gil e Caetano Veloso.

No ano 2000, a convite de Gilberto Gil, participou do festival de percussão "Percpan", no qual cantaram juntas pela primeira vez Ivete Sangalo, Daniela Mercury e Margarteth Menezes.

Em 2002, pela Universal Music, lançou o CD Maga Afropopbrasileiro. Neste disco, produzido por Carlinhos Brown e Alê Siqueira, interpretou Dandalunda (Carlinhos Brown), Do mar, do céu e do campo (Belchior), Mãe de leite (Zeca Baleiro), Lua candeia (Lenine e Paulo César Pinheiro), com participação especial de Lenine, e ainda, com grande destaque para Cai dentro (Baden Powell e Paulo César Pinheiro), com participação especial de Daniela Mercury e Ivete Sangalo. 

Neste mesmo ano, participou do disco Os tribalistas de Marisa Monte, Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes, do qual se destacou a faixa Passe em casa de sua autoria em parceria com Marisa Monte, Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes e na qual participou interpretando a faixa.

Em 2003, recebeu como convidadas Alcione, Elba Ramalho, Ivete Sangalo e Sandra de Sá em show no Canecão, no Rio de Janeiro e apresentou o show Margareth Menezes Convida, no qual recebeu, entre outros Gilberto Gil, Alcione e Toni Garrido, no Centro Cultural da Rocinha, na ocasião de lançamento do centro cultural, também no Rio de Janeiro. Apresentou-se na Concha Acústica do Teatro Castro Alves. Na ocasião, gravou o primeiro DVD ao vivo, recebendo como convidados Marisa Monte, Carlinhos Brown e Toni Garrido, entre outros, que interpretaram em dueto com a anfitrião sucessos que marcaram sua carreira.

No ano de 2004 apresentou-se nos Estados Unidos, recebendo crítica favorável no jornal Los Angeles Times por seu show Noite Brasileira no Hollywood Bowl.

Em 2005 a composição Dandalunda (Carlinhos Brown), música de trabalho da cantora, alcançou o quarto lugar, segundo o ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição de Direito Autoral), como uma das músicas mais executadas em shows nos primeiros meses do ano. Neste mesmo ano lançou o CD Margareth Menezes pra você no Canecão, no Rio de Janeiro.

Fontes: Dicionário Cravo Albin da MPB; Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora.