sábado, julho 02, 2011

Neguinho da Beija-Flor

Neguinho da Beija-Flor (Luís Antônio Feliciano Marcondes), cantor e compositor, nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 29/6/1949. Aprendeu música com seu pai, Benedito Marcondes, pistonista da Orquestra Tabajara, em Vila Isabel.

A família mudou-se para Nova Iguaçu RJ e, depois, para Nilópolis RJ. Aos dez anos, ganhou duas latas de goiabada em um concurso musical, cantando um samba de Jamelão.

Em 1975 tornou-se puxador oficial dos sambas-enredo da Escola de Samba Beija-Flor de Nilópolis. No ano seguinte, ganhou seu primeiro título no Carnaval carioca, com o samba-enredo Sonhar com rei dá leão.

Lançou seu primeiro disco em 1980: Vida no peito (CBS). Em seguida, lançou os LPs Meu sorriso (CBS) e Quem te ama sou eu (Polygram), entre outros. Ganhou o Prêmio Sharp como melhor cantor de samba em 1991, e em 1994 a Polygram lançou seu CD Neguinho da Beija-Flor, da Vila e da viola.

Em 1997, pela PolyGram, gravou o CD Reencontro, no qual incluiu de sua autoria Meu Rio de Janeiro e Meu mundo novo

Em 1998, abriu um show de Tina Turner no Maracanã e desfilou em Paris, França, por ocasião da Copa do Mundo, com um grupo de sambistas organizado por Joãosinho Trinta. No ano posterior, pela gravadora Indie Records, lançou o disco Essência pura, no qual interpretou Paixão de um velho cais (Franco e Serginho Procópio), Sol de primavera (Acyr Marques e Arlindo Cruz), Quero te dar força pra lutar (Netinho, Serginho Procópio e Luiz Cláudio Picolé) e Feliz sambista, de autoria de Délcio Luiz e Carlito Cavalcanti.

No ano 2000, ainda pela Indie Records, lançou o CD Neguinho da Beija-Flor ao vivo - 25 anos de fé e raiz, no qual fez um retrospecto de carreira e interpretou Bem melhor que você, Malandro também chora, 1000 anos de vida, Malandro chorão e Meu sorriso, todas de sua autoria.

Em 2002, ao lado de outros artistas, participou do CD Os melhores do ano III, disco no qual interpretou juntamente com Thobias da Vai-Vai e Eliane de Lima Não deixe o samba morrer (Edson e Aluísio) e ainda a faixa Talismã em dueto com o grupo Raça Negra. 

Em janeiro de 2003, foi uma das atrações, em Brasília, na festa de posse do presidente Luís Inácio Lula da Silva. No carnaval deste mesmo ano a Beija-Flor desfilou com o samba-enredo O povo conta a sua história: "Saco vazio não pára em pé. A mão que faz a guerra faz a paz, de autoria de Betinho, J.C, Coelho, Ribeirinho, Glyvaldo, Luís Otávio, Manoel do Cavaco, Serginho Sumaré e Vinícius, sendo a campeã do Grupo Especial. 

Lançou o 23º disco de sua carreira Duetos, disco no qual participaram Alcione na faixa Recomeço, João Bosco em O campeão, Zeca Pagodinho em Fé e raiz, grupo Raça Negra na faixa Talismã, Roberto Ribeiro na composição Recomeçar, Simone em A deusa da passarela, grupo Pique Novo na música Desabafo, e outros mais.

Em 2004, como puxador de samba da Beija-Flor conseguiu o bi-campeonato após um desfile embaixo de uma forte chuva. A Escola levou para o sambódromo o samba-enredo Manôa - Manaus - Amazônia - Terra Santa... que alimenta o corpo, equilibra a alma e transmite a paz de autoria de Cláudio Russo, Zé Luiz, Marquinhos, Jessi e Leleco.

No ano de 2005 a Beija-Flor foi tri-campeã. A escola desfilou com sete sambas-enredo de sua autoria. Neste mesmo ano lançou por seu próprio selo musical NB Show, o CD Nos braços da comunidade

Em 2010 participou do show especial de Natal do cantor e compositor Roberto Carlos, realizado na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Neste show comandou a bateria da Escola de Samba Beija-Flor como puxador oficial do samba enredo de 2011 "A simplicidade de um rei", composto em homenagem a Roberto Carlos.

Fontes: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e Publifolha; Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira.