sábado, julho 02, 2011

María Luisa Escobar

María Luisa Escobar
María Luisa Escobar, pianista e compositora, nasceu em Caracas, Venezuela, em 5/12/1903, e faleceu na mesma cidade, em 14/5/1985. Criança ainda, iniciou seus estudos de piano e composição no Colégio Lourdes da capital venezuelana, continuando, em seguida, no Instituto Welgelegen Habay da ilha Curaçao. Aos 14 anos de idade, viajou para Paris, onde aperfeiçoou seus estudos de piano, canto e composição sob a direção musical do professor Roger Ducasse.

O ateneu de Caracas foi fundado em 1931 por sua iniciativa, criando também a Associação Venezuelana de Autores e Compositores, bem como lutou incansavelmente, pelos direitos autorais dos artistas de seu país. O ateneu congregava pintores, escultores, novelistas, poetas, historiadores, músicos, o mundo do teatro e do balé, impulsionando a cultura internacionalmente.

María Luisa González Gragirena, que adotou o sobrenome Escobar depois de seu segundo casamento com o violinista José Antonio Escobar Saluzzo, reunia em sua casa um grupo de mulheres com a intenção de formar uma junta que haveria de fundar, mais tarde, um centro dedicado a Cultura, a Arte e a Ciência. O nome de Ateneu de Caracas foi proposto por Eva Mondolfi.

Sobre a SACVEN, a Sociedade Venezuelana de Autores e Compositores, os primeiros direitos autorais eram pagos pela própria María Luisa, que lutou muito pelo reconhecimento dos direitos dos artistas, músicos, compositores e escritores na Venezuela.

Escreveu numerosas canções, baladas, operetas e dramas musicais. Seu famoso bolero Desesperanza (referente a seu filho que morreu num acidente) e cujas conhecidas palavras letras são: "Nunca me iré de tu vida, Ni tú de mi corazón...", foi gravada pelo tenor venezuelano Alfredo Sadel e em 1950 foi selecionada como "canção do ano".


Acesse aqui a relação de compositores e intérpretes de bolero

Bolero: Letras, Cifras e Músicas

Saiba sobre as origens do bolero


Fontes: Pinceladamusical.blogspot.com; María Luisa Escobar, compositora y mujer de vanguardia - Por: Carmen Cristina Wolf - in critica literaria hispanoamericana.blogspot.com.