domingo, abril 03, 2011

Hélcio Milito


Hélcio Milito (Hélcio Pascoal Milito), instrumentista, nasceu em São Paulo SP, em 9/2/1931. Começou a carreira de percussionista atuando com o Conjunto Robledo, em São Paulo, de 1950 a 1951.

Em 1952 entrou para a orquestra do maestro Peruzzi e, de 1953 a 1954, integrou o sexteto de Mário Casali. Ainda em 1954 atuou com a Grande Orquestra de Luís César e, em 1956, com o Trio de Izio Gross.

Transferindo-se para o Rio de Janeiro RJ, em 1957 passou a integrar o Conjunto de Djalma Ferreira, com o qual gravou a série Drink, em 1958. Nesse mesmo ano viajou para a Venezuela com a Orquestra de Ary Barroso, estudando também com o percussionista americano Henry Miller.

Entrou para a orquestra da Rádio Nacional em 1959, ano em que gravou, na Odeon, o disco Garotos da bossa nova, com Roberto Menescal, Luís Carlos Vinhas, Luís Paulo, Bill Horn e Bebeto. Atuou em shows do início da bossa nova e em 1960, além de excursionar pelos EUA com Luiz Bonfá, apresentou-se num show de Sammy Davis Jr., no Teatro Record, de São Paulo, executando pela primeira vez a tamba, instrumento por ele criado.

Estudou teoria musical com Moacir Santos em 1962, ano em que, com Luís Eça e Otávio Bailly (mais tarde substituído por Bebeto), formou o Tamba Trio (que realizou no Bottle’s Bar, no Beco das Garrafas, o primeiro da série de pocket shows da época), com o qual excursionou em 1962 pelos EUA e Argentina.

Em 1963 e 1964 continuou seus estudos de teoria musical com Ester Scliar. Ao deixar o Tamba Trio em 1964, participou de shows em Nova York, EUA, ao lado de João Gilberto, Stan Getz e Astrud Gilberto.

Durante os anos de 1964 e 1965, tocou com o duo norte- americano Michell-Ruff, com Luís Bonfá, fez gravações com Don Costa, Gil Evans, Tony Benett e outros. Em 1966, no Brasil, deu concertos na Aldeia, de Arcozelo, e na sala Cecília Meireles, do Rio de Janeiro, apresentando com Clementina de Jesus e coral a Missa de São Benedito, para tamba e vozes (José Maria Neves).

Novamente em Nova York em 1966, gravou com o guitarrista Wes Montgomery. Trabalhou como produtor fonográfico na CBS e na Tapecar, de 1966 a 1971, ano em que voltou a atuar com o Tamba Trio, no Teatro Teresa Raquel, do Rio de Janeiro.

Em cinema, foi o responsável pela percussão nas trilhas sonoras de A Pedreira de São Diogo (1961), de Leon Hirszman, episódio do filme Cinco vezes favela, Os cafajestes (1962), de Rui Guerra, Garrincha, alegria do povo (1963), de Joaquim Pedro de Andrade.

Em 1973 excursionou com o Tamba Trio pela Europa e, nesse mesmo ano, realizou conferências e debates no Norte e Nordeste do Brasil, sob o patrocínio do Ministério da Educação e Cultura. Em 1974 e 1975 voltou a viajar com o Tamba Trio pelos E.U.A. e América do Sul.

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira.